Como data um cara

California residents can opt out of 'sales' of personal data. ... Escolha um cara bonito com B: ... que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de ... Como Dar um Fora em um Rapaz Gentilmente. É normal se sentir desconfortável na hora de dizer a um garoto que não tem interesse nele, mesmo que mal se conheçam ou já tenham saído duas ou três vezes. Nunca é divertido machucar os sentimentos... Cada fundo tem a sua data ex. Porém, cada fundo costuma seguir uma rotina de deixar a data ex próxima todos os meses. É raro um fundo ficar mudando. Por exemplo, se um fundo fica data ex dia 7, ele vai ficar próximo da data 7 no próximo mês. Não existe uma regra quanto a isso, mas é algo que é comum em todos os fundos. (2018) Todos los tipos de cartas con varios modelos de ejemplo. Actualizados y adaptados. Sepa cómo redactar todo tipo de carta, con guías y pasos a seguir. “With Como Sense’s high-end data-driven solution and our innovative restaurant software, we are able to deliver even greater value to our customers.” Dan Calderone, CEO MobileBytes 'We are excited to partner with Como to expand our suite of customer engagement tools and empower businesses to increase Eu era um cara com muita vontade de aprender e descobrir essa profissão. De cara, estreei uma novela das nove sem nem ter alçado isso. E fui a um lugar de pessoa pública, sempre aprendendo a conviver com todas aquelas mudanças muito repentinas e radicais na minha vida. Do lado de fora da sede, os dois bateram um papo sobre o jogo e também falaram sobre o jornalista. Segundo JP, a impressão que teve de Cartolouco mudou drasticamente. 'Eu o enxergo como um cara falso', frisou, explicando que a 'relação de credibilidade não é mais a mesma' depois da discussão que os dois protagonizaram mais cedo. Escreva um cumprimento. Pule mais uma linha e adicione algo como 'Querido', 'Caro' etc. antes do nome da pessoa. Se quiser, escreva o nome completo e, se necessário, inclua também um título profissional ou um pronome de forma abreviada. Se souber o nome do cargo, mas não de quem o ocupa, escreva 'Caro Inspetor de Saúde' ou algo semelhante.

Tenho 24 anos mas tamanho e corpo de uma criança de 12 e sou amargurada por isso

2020.09.26 16:30 LadyHuntress_ Tenho 24 anos mas tamanho e corpo de uma criança de 12 e sou amargurada por isso

Já fiz um outro desabafo sobre isso, mas continuo tendo de desabafar pois isso é uma coisa que sempre vai me incomodar. Eu tenho 1,50 de altura e 40kg, não tenho nada de peito, teria que crescer muito pra ser considerado pequeno, é minúsculo, minha bunda então é algo inexistente, eu uso calça tamanho 14 que é número de criança e ainda assim a parte de bunda fica folgada, não sei como é usar uma calça justinha no corpo. Pra piorar meus quadris são retos como de uma criança também, NUNCA uma calça de adulto fica bonita em mim. Eu queria demais usar uma calça que ficasse justinha em mim bem bonita, como vejo outras meninas/mulheres por aí usando, queria poder usar um vestido justo, um decote, meu sonho usar um decote mas como meu busto é reto não dá certo. Já pesquisei vários vídeos no YouTube de truques pro peito parecer maior, mas os truques ensinam basicamente a levantar usando meia, sutian apertado etc, mas pra mim nada funciona pois é tão pequeno que se eu tentar "levantar" o mamilo aparece. Da impressão que a puberdade nunca chegou pra mim, sei que chegou pois sou super peluda e menstruo. Fora isso qualquer pessoa que me veja na rua acha que sou criança. E isso não é paranóia minha. As pessoas me chamam de "mocinha", pedem meu RG pra comprar bebida, uma vez uma caixa fez eu dizer a data no meu nascimento porque ela achou que meu RG era falso; sempre que falo minha idade a pessoa fala "nossa achei que você tinha 12!"; todo mundo que não me conhece me trata como criança. Os homens nunca se interessam por mim, e eu entendo eles, não tem nada em mim atraente, quem vai se interessar por alguém com corpo de criança?? Só um pedófilo. Vocês podem falar "ah mas o que importa é a personalidade e alguém gostar de você pelo que você é", mas não é isso que eu quero! Sempre que saio com minhas amigas elas são paqueradas, eu sou a mascote da turma que os caras simplesmente ignoram ou acham que é a irmã mais nova de alguém, não consigo ficar com ninguém. Eu queria que alguém me desejasse e dissesse que me acha gostosa pra car****, eu queria dar uns beijos de vez em quando, me sentir bonita, me sentir com tamanho de gente, me sentir bem com uma roupa que caia bem em mim, mas isso nunca vai acontecer. Não quero ter que ter uma coisa séria pelo resto da vida com alguém só porque essa pessoa gostou da minha personalidade. Não quero! Eu quero ser bonita, quero ser gostosa, quero ser paquerada as vezes, eu tenho vergonha do meu corpo e da minha aparencia. No início do ano fiquei com um cara mas ele nunca mais quis, provavelmente de sentiu pegndo uma criança ou se decepcionou quando viu meu corpo já que como ando coberta ele nao sabia como era. Se eu tivesse dinheiro eu faria um monte de plástica, e faria cirurgia de alongamento ósseo, mas infelizmente não tenho e por isso vou ter de passar o resto da vida amargurada e em celibato, e torcer pra na próxima encarnação minha puberdade ser completa.
submitted by LadyHuntress_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 03:02 RickMoraisM Imaginem que uma agência espacial descobrisse que em 20 anos a vida humana e a de outros animais entraria em extinção devido ao impacto de um gigantesco meteoro que provocaria uma drástica mudança ambiental na Terra . Seguem alguns questionamentos ...

Duas considerações antes : suponha que seria impraticável construir qualquer tecnologia que amenizasse o dano, e que não houvesse qualquer alternativa de locomoção em massa para outro planeta .
1- Você acharia ético que os cientistas que descobriram o evento o divulgassem para a mídia ?
2- Se fosse divulgado , como você acredita que as pessoas reagiriam à descoberta ao longo do tempo?
Alguns pensamentos meus sobre : 20 anos é um tempo grande na escala da vida humana . Acho que as reações iriam variar bastante a depender da fase da vida que as pessoas se encontrassem no momento da descoberta . Não que os idosos(60+) não fossem se preocupar , até porque limitar a morte para uma data fixa é mais aterrorizante do que constatar que sua vida vai provavelmente acabar antes do limite . E , além disso , praticamente todo mundo tem um conhecido a quem se tem compaixão. Não se trata apenas de saber que você vai morrer , mas que todos que amamos também vão morrer juntos . Obviamente damos uma importância maior a nós mesmos , e por isso crianças , jovens e adultos teriam um impacto psicológico maior , afinal a probabilidade de eles viverem mais 20 anos é mais alta que a de um idoso.
Eu penso que a morte por eutanásia iria crescer bastante. Provavelmente muitas barreiras éticas relacionadas à morte para aliviar um sofrimento maior seriam superadas, principalmente na proximidade do impacto. Acho que os sentimentos iriam variar muito ao longo do tempo . Nos primeiros meses haveria um grande caos , pânico e , é claro , os negacionistas tentando acalmar o povo - inclusive eles poderiam superar os cientistas na crença popular ,dada a grande dificuldade que temos em aceitar verdades inconvenientes .
Mas como o ser humano não consegue ficar nesse estado por tanto tempo ( creio eu) , aos poucos as pessoas iriam voltar à "normalidade" - como a gente enfrentando a pandemia da Covid . Claro , não seria o mesmo normal , e conforme o tempo fosse passando, a euforia voltaria a crescer , talvez exponencialmente culminando num pico de anarquia no ano do impacto .Nesse cenário penso que as pessoas iriam se arriscar mais. Elas esqueceriam muitos projetos a longo prazo e pensariam mais no presente . Pra quê trabalhar tanto para financiar uma casa cara ? Por que fazer um longo curso chato para ser rico ? O mundo poderia caminhar pra um estado de hedonismo distópico , com muitas pessoas drogadas ou viciadas em qualquer outra coisa , relacionamentos poligâmicos , e violência dos mais diversos tipos.
E quanto ao primeiro questionamento , acho que ele é válido por uma ótica utilitarista . Penso que no geral o sofrimento seria bem menor caso as pessoas simplesmente não soubessem que todas iriam morrer em 20 anos . Por outro lado , só acho ele válido por causa das considerações . Se todas as pessoas soubessem , o mundo iria se empenhar em encontrar uma solução pro problema .( Sei que esse tópico é bizarro mas me veio isso na cabeça e decidi ir digitando hahaah )
submitted by RickMoraisM to brasil [link] [comments]


2020.09.20 14:53 UninformedImmigrant U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 1: Mudanças e chegadas]

Olá amigos. No post anterior introduzi levemente o espírito desta série, e este é o primeiro capítulo "a sério" da série. Este capítulo versa sobre o processo de preparação para a mudança e o "primeiro embate" da chegada ao novo país; que assuntos tive que tratar imediatamente antes de me mudar, assim como assim que cheguei. Como tenho dito, esta experiência é pessoal, e é importante que entendam que não se aplicará certamente a todos. Riam-se, chorem, e deixem os vossos pensamentos na caixinha em baixo.
Ao longo do texto vão ver uns números entre parênteses rectos ([XXXX]). Isto são referências que estão por extenso perto do fim do post, na secção apropriadamente denominada "Referências".

Take-Aways Principais

Eu gosto de ter uns bullet points com as ideias principais que se devem reter de cada capítulo, uma espécie de "se não leres mais nada, lê isto" do capítulo. Os deste capítulo rezam assim:
Os detalhes estão no texto por aí abaixo.

A odisseia do trabalho científico em Portugal

Já alguma vez tiveram aquele sonho em que querem gritar e não conseguem? Aquela sensação quase infantil de impotência, do pavor da inacção e do pasmo em relação ao que quer que seja que se está a desenrolar à nossa frente? Ou aquele em que querem esmurrar alguém mas não acontece nada? A sensação de impotência é, pessoalmente, das piores que podemos ter; a de querermos fazer alguma coisa, acharmos que sabemos o que fazer e não conseguirmos.
Trabalhar no tecido académico e de micro-empresas português (vulgo technology transfer) é um bocadinho assim. Por mais que um gajo se esforce, é muito difícil escapar à subsidio-dependência, à chico-espertice, à mediocridade, à inexperiência, à falta de processo e, acima de tudo, à falta de recursos. Por bom que seja o sonho, por interessante que seja o projecto, por positivo que seja o ambiente de trabalho, por porreiros que sejam os colegas, há uma sensação latente de "isto não vai dar para construir uma carreira". Isto torna-se particularmente agudo quando se trabalha numa área de tecnologia de ponta, para a qual inevitavelmente o mercado português está pouco desenvolvido. Não havendo mercado, a empresa vira papa-projectos e passa a viver de fundos comunitários, QRENs, COMPETEs, H2020s e coisas que tal. O tempo que se devia gastar em desenvolvimento é gasto a tentar convencer revisores de projectos a darem-nos mais uma esmola, e todos os projectos são uma corrida ao fundo: como é que conseguimos fazer esta omelete bonita com muito poucos ovos? Será que precisamos mesmo de duas pessoas para fazer isto, não dará só uma? Certamente o equipamento X também dá para este projecto.
Um aspecto particularmente doloroso neste ambiente é a altíssima rotatividade dos colegas. Quando se trabalha nestas condições tende-se a depender de recursos precários: bolseiros de investigação, estágios IEFP, estágios profissionais, estágios académicos, e por aí fora. Isto torna imediatamente impossível treinar alguém para fazer alguma coisa de jeito, e dei por mim a ensinar 3 ou 4 pessoas a fazer a mesma coisa em ocasiões diferentes ao longo dos anos. Nunca ninguém fica e toda a gente parte para outra, seja porque a empresa não lhes pode pagar, ou porque são incompetentes demais para nos darmos ao trabalho de lhes tentar arranjar financiamento. As caras e os nomes confundem-se numa espécie de groundhog day tecnológico em que cada ano que passa temos as mesmas conversas. Um tipo que vá ficando, ora porque é bom ou porque é teimoso, vai dando por si a avançar na idade ao mesmo tempo que os colegas não. A certo ponto, todos os meus colegas eram pelo menos uns 4 ou 5 anos mais novos que eu; ora se até eu quase nem tinha barba (hipérbole), então eles estavam mais verdes que as bananas da Costa Rica quando chegam ao Continente.
Quando me perguntam porque é que os portugueses têm tendência a se dar bem lá fora, aponto-os sempre para as condições em que somos habituados a fazer trabalho world-class. As publicações a que submetemos artigos não querem saber das nossas dificuldades; querem papers de qualidade. As agências de financiamento não querem saber de rotatividade, querem saber de know-how, track record e orçamentos. O trabalho que temos que entregar para sobreviver tem que ser de topo, ao mesmo tempo que as condições são de fundo. Pega-se num tipo habituado a isto, senta-lo numa cadeira de 300€, dá-se-lhe 3 monitores e um portátil que dava para comprar um carro, e é natural que o desempenho seja incrível.
Eu não me considero um perfeccionista (e acho que quem se considera perfeccionista pensa demais de si próprio) mas procuro estar numa constante curva ascendente no que toca à qualidade do meu trabalho. Umas vezes a curva é mais inclinada, outras vezes é menos inclinada, mas a cada dia estar um bocadinho melhor que no dia anterior. Aliás, quem me conhece sabe que esse é um traço que aplico em quase tudo: no trabalho, na vida, no desporto, etc. Antes de me mudar sentia que tinha batido no tecto da qualidade do que podia entregar. O meu esforço era máximo e o factor limitador da qualidade da entrega era a forma como o trabalho que eu tinha para fazer era entregue. Não havia tempo suficiente para inovação, era preciso planear de forma irrealista (e entregar de forma irrealista) para se conseguir fazer o malabarismo de todos os projectos. A constante mudança de contexto comia horas todos os dias.
A ética de trabalho portuguesa é, geralmente, horrível. Se eu trabalhei as minhas 8h, entreguei o que tinha para entregar e não tenho horário de trabalho, então vou sair às 16h. Ou chegar às 10h. Geralmente, fazer menos que 9-19 é mal visto, e eu fui sempre muito vocal (se calhar de forma prejudicial para mim próprio) acerca do quão estúpido isso me parece. Cheguei a ouvir algo semelhante a "tu és daqueles gajos que vão de férias desaparecem do mapa". Não é esse o objectivo das férias?

Um dia destes decidi mudar-me para o UK

Então um dia desatei a mandar CVs por esse mundo fora, a ver o que colava. Inevitavelmente, apareceram-me várias ofertas interessantes, a melhor das quais no UK. Contas feitas, a oferta praticamente multiplicou o meu salário bruto por 5 (talvez um bocadinho mais), empurrando-me de um salário mediano em Portugal para um salário bastante acima da média no UK. Esta é daquelas particularidades a que me refiro quando digo que a minha experiência é extremamente pessoal: eu tive a sorte de gostar e ter talento para trabalhar nesta área, e a dupla sorte de ser uma área em que simultaneamente há muita oferta e pouca procura de trabalho. Meio ao calhas cultivei um skillset muito valioso, ou que consegui vender bem. Infelizmente, para manter esta conta dissociada da minha identidade não vos posso especificar qual é; somos poucos, tornava-se muito fácil encontrar-me pelas publicações.
Curiosamente, está agora (à data da escrita) a fazer um ano que me decidi mudar. Nessa altura, a maior preocupação de quem se mudava para o UK era o Brexit, mas houve uma série de factores que me acalmaram:
Acerca deste último: ser estrangeiro no UK ou ser em qualquer outra parte é, para mim, semelhante. Então, se o Brexit por alguma razão resultasse numa perseguição aos estrangeiros, ou numa forte desvalorização da libra, etc, a minha situação ainda assim seria melhor que antes. Teria um CV mais rico, experiência adicional na indústria, e dinheiro no banco, tudo factores que facilitariam a mudança para um país terceiro.
Portanto com os factores políticos resolvidos por ora, e com a família a apoiar, lá me decidi.
Lá vim eu.

Preparação

A preparação para a mudança dividiu-se em:
Para benefício máximo meu e das duas empresas envolvidas, decidi reservar apenas umas 3 semanas sem trabalhar para tratar de tudo. Arrependi-me profundamente: devia ter fodido uma das empresas (a velha, potencialmente) e tido mais tempo para mim e para os meus. Naturalmente, houve muito que pude fazer enquanto trabalhava, como tratar da documentação. A logística foi um pesadelo; tive que esvaziar o apartamento em 2 dias e encontrar forma de arrumar tudo o que tinha na minha casa de família. Uma boa parte ficou por fazer pois queria passar tempo com a família em vez de arrumar merda. Tive que denunciar o contrato de arrendamento, da energia, da água e das telecomunicações. Obviamente, a Vodafone foi a mais merdosa no meio disto tudo, primeiro porque queriam que pagasse a fidelização (tive que demonstrar que vinha para o estrangeiro), e depois porque queriam cobrar o equipamento apesar de o ter entregue a horas e em boas condições. Típica escumalhice de telecom portuguesa, nada de novo.
A preparação legal foi mais cuidada. Para referência, a documentação que preparei foi:
Também nomeei (por procuração) um representante legal em Portugal. Inicialmente pareceu-me overkill, e apenas o recomendaria se tiverem alguém que seja de muita, muita confiança. Mas para mim tem sido muito útil, pois essa pessoa pode-me substituir em qualquer todos os compromissos, requerer a emissão de documentação em meu nome, transaccionar os meus bens (tipo vender o carro velho) e negociar em meu nome com as telecoms quando se armam em parvas (ver Vodafone acima). A pessoa que ficou com esta responsabilidade é da minha absoluta confiança, mas mesmo assim é um compromisso que deve ser mantido debaixo de olho e apenas pelo tempo necessário.
Às tantas perguntei-me "sua besta, já pensaste em quanto dinheiro vais gastar?" Bom, através de uma combinação de salário baixo e escolhas financeiras pouco saudáveis (que reconheço mas não quero detalhar), as minhas poupanças resumiam-se a uns míseros 2000€. Amigos, 2000€ não é dinheiro nenhum. Precisava de mais. Pelas minhas contas, e porque não vinha sozinho, precisaria de cerca de 15000€ para fazer isto com algum descanso, ainda que não conforto.
Lembram-se de quando tivemos uma crise "once in a lifetime" em 2008? Aquela da qual vamos ter saudades agora em 2021? Essa mesmo. Uma consequência engraçada dessa crise foi que as pessoas se habituaram a fazer crédito ao consumo, e os bancos habituaram-se a emprestar dinheiro como quem dá cá aquela palha, já que o Estado depois os resgata e ninguém vai preso. Como sempre trabalhei, paguei os meus impostos e nunca tive dívidas, pude pedir um crédito pessoal para pagar a mudança inicial. 15k no banco, check.
Obviamente não o gastei todo, e a empresa para onde fui trabalhar devolveu-me uma esmagadora parte do que gastei através de um fundo de "relocation expenses". A empresa pagou (mas eu tive que adiantar):
Em cima disso, paguei eu:
Admito que fiz algumas escolhas controversas, e houve muito dinheiro perdido em conversão de moeda. Podia ter ficado fora da cidade enquanto procurava apartamento, podia ter comprado mobília mais barata, podia ter dormido no chão, podia ter comprado malas mais baratas, podia ter andado de comboio em vez de alugar carros quando precisei. Mudei-me de uma forma que considero "medianamente confortável": não o fiz luxuosamente, mas dei-me ao luxo de trazer a Maria, de não ter que partilhar casa e de evitar largamente transportes públicos. Com o dinheiro que a empresa me devolveu constituí um fundo de emergência. Não liquidei logo a dívida porque entendo que é mais importante ter um fundo de emergência do que estar debt-free (mais sobre isso daqui a um post ou dois).
São escolhas. Emigrar é caro, amigos. Conheço quem o tenha feito com 200€ no bolso, mas não é confortável e não quero isso para mim.
Praticamente foi tudo pago através do Revolut. Criei uma conta pouco antes de vir, comprei o premium para não ter limites de conversões, e usei. Inclusivamente recebi lá o primeiro salário enquanto não criei a conta no banco.
A preparação emocional foi a menos complicada. O meu núcleo duro é relativamente pequeno, e toda a gente estava preparada há muito tempo para que eu "fugisse"; era conhecido praticamente desde que tinha começado o PhD que a minha área não era viável em Portugal, e que estava revoltado com a ética de trabalho merdosa. Naturalmente a minha mãe não gostou da ideia, mas são coisas da vida. Ainda assim, um conselho: não se armem em fortes e não descuidem a preparação psicológica/emocional que é necessária para este tipo de viagem. Eu sei que pessoas diferentes têm níveis de resiliência diferentes, mas o português tem muito a mania de achar que é o maior; cuidado com isso. Além disso, não deixem que estas preparações vos tomem todo o tempo que têm; guardem tempo para estar com a família, para lazer, e para descansar. Eu deixei-me consumir um pouco e não foi bom.

Como não ser sem-abrigo

Aterrei em meados de Setembro num dia nublado com duas malas de 30kg, uma mochila para mim e outra para a Maria, e a convicta certeza de que me estava a foder. Tinha cerca de 2.5 semanas até começar a trabalhar, e até lá a missão era só uma: encontrar um apartamento. Há muito para dizer acerca da habitação no UK, vou escrever um post só para isso e por isso aqui vou focar apenas na experiência do recém-chegado.
Eu decidi que não estava disposto a arrendar pelo privado; iria sempre através de uma agência imobiliária. Como não tinha tanta familiaridade com o mercado nem com a legislação, achei que seria mais seguro ir por essa via mais cara e minimizar a possibilidade de ser ludibriado. Recomendo vivamente. Então comecei a encetar contactos por telefone para marcar visitas a apartamentos.
E aí bateu-me.
Eu não conseguia perceber nada do que estes caralhos diziam ao telefone. NADA. "Ahka hrask apfiasdafsd duja sudn" diziam eles, e eu "sorry, I have a really bad connection, could you repeat that?" e eles lá repetiam mais calmamente "G'mornin, how can I help you today?". Muita vez disse eu que tinha pouca rede, a ver se eles abrandavam um bocadinho. E funciona! Top tip: se estiverem a tentar perceber o que eles dizem por telefone, queixem-se da ligação; o serviço móvel no UK é tão mau que eles vão na conversa.
Agora, eu sei falar inglês, ok? Naveguei perfeitamente bem as entrevistas, tenho dúzias de publicações em inglês "impecável", e trabalho em inglês há anos e anos. O problema é o seguinte: falar inglês enquanto se trabalha e escrever coisas em inglês são ambos experiências muito diferentes da de tentar falar com um nativo com sotaque, que assume maneirismos e expressões que não conhecemos, sobre locais que não conhecemos e dentro de um sistema (de arrendamento) que não conhecemos, tudo isto por telefone e sem poder ler nos lábios nem ler expressões corporais.
Com algum desenrascanço tipicamente português fui enchendo os dias de visitas a apartamentos na zona. Num dos dias aluguei um carro para ir ver apartamentos numa cidade vizinha (onde até acabei por ficar), algo que recomendo vivamente. Durante essas semanas vimos facilmente uns 25 apartamentos, talvez mais. As primeiras impressões foram:
(Um aparte acerca da alcatifa: se tiverem uma casa toda alcatifada comprem um robot aspirador de qualidade e aspirem todos os dias, até mais do que uma vez. A vossa qualidade de vida vai aumentar 1000 vezes.)
Escolhido o apartamento, fizemos uma oferta/candidatura. Oferecemos o valor que o senhorio pedia e, já tendo falado com muitos agentes, ofereci-me para pagar o contrato inteiro de 6 meses no dia da entrada. O que se seguiu foi um processo que, para mim, era completamente estrangeiro: o de "referencing" do potencial arrendatário. Pediram-me as moradas anteriores até 3 anos e os contactos dos senhorios, assim como a minha morada de família permanente e (muitos) dados pessoais. Essa informação foi usada para verificar que eu não era um impostor, e para verificar que tinha o hábito de pagar a renda. Ligaram para a minha antiga senhoria portuguesa, uma senhora de 82 anos, a perguntar se eu pagava a renda. Por mero acaso ela fala inglês (foi investigadora) e soube-lhes dar resposta, mas achei a atitude absolutamente desnecessária. Lembro-me de me sentir ofendido; "mas estes filhos da puta acham que pagar 6 meses à cabeça não chega?"
Seguiu-se um contrato de arrendamento para uma Assured Shorthold Tenancy [1], que é a modalidade "normal" de arrendamento para habitação por aqui. O agente imobiliário tratou de toda a papelada, mas eu tirei um dia para ler todo o contrato e verificar se batia certo com o que conhecia da lei daqui, o que recomendo vivamente. Atenção que a partir de meados de 2019 as taxas cobradas pelos agentes imobiliários passaram a ser limitadas por lei [2], por isso se vos pedirem alguma taxa administrativa mandem-nos sugar no pénis mais próximo. Na altura disseram-me que o normal, antes dessa mudança, seria o arrendatário pagar uma taxa de 700 libras à imobiliária pelo serviço. Era matá-los.
Assinado o contrato, ficou fixada uma data para entrada no apartamento. O valor a pagar é esperado nesta altura, no momento imediatamente precedente à entrega das chaves, o que significa que é preciso ter esse dinheiro disponível num cartão aceite pela imobiliária. Obviamente que é possível pagar por transferência, mas isso pode atrasar a data de entrada, e eu estava a pagar hotel por isso tinha interesse em me despachar.
Este processo foi, para mim, extremamente stressante. Até ao momento em que temos a chave na mão, o nível de incerteza é altíssimo: vou precisar de estender a estadia no hotel? Vou ter dinheiro que chegue caso o senhorio recuse o arrendamento? Será que vou ter que procurar noutra zona? Será que vou conseguir fazer isso enquanto trabalho? Para mim, encontrar a primeira casa foi facilmente a parte enervante da mudança. Agora já tenho uma posição muito mais sólida: conheço a zona, conheço o mercado, tenho um pé de meia e transporte próprio. O início custa muito mais.

Burocracias adicionais a tratar no início

Além da casa, que era a minha primeira preocupação, há um outro conjunto de coisas que têm que ser tratadas quanto antes:

Referências

[1] https://england.shelter.org.uk/housing_advice/private_renting/assured_shorthold_tenancies_with_private_landlords [2] https://www.gov.uk/government/collections/tenant-fees-act [3] https://www.gov.uk/council-tax [4] https://www.gov.uk/tax-codes [5] https://www.gov.uk/income-tax/how-you-pay-income-tax

Capítulos Anteriores

O próximo capítulo deve ser mais sobre habitação ou sobre compramanter carro e conduzir. Depende de qual o capítulo que acabar por ficar pronto mais cedo. Às tantas calha ser outro qualquer ¯\_(ツ)_/¯
Se este post gerar uma resposta tão forte como os outros, é possível que eu não consiga responder a todos os comments. Se for esse o caso, peço desculpa; vou dar o meu melhor.
No outro post alguém (um mod?) colocou o flair "Conteúdo Original". Não encontrei esse por isso pus "discussão".
Abraços, e obrigado por virem à minha TED talk.
submitted by UninformedImmigrant to portugal [link] [comments]


2020.09.19 21:37 niallwhore Meu ex namorado estragou tudo e esse foi o maior favor que ele já me fez!

Segura que lá vem o textão com meu relato e uma mensagenzinha motivacional pra quem ta sofrendo por quem não te merece. :}
Esse ano eu conheci um rapaz por quem me apaixonei muito. A gente namorou por 5 meses e tivemos um relacionamento extremamente abusivo: ele me acusava constantemente de traição, não queria passar os finais de semana comigo, me agredia verbalmente, era obcecado com instagram e vivia brigando comigo por coisas fúteis relacionadas a redes sociais, não deixava eu ter amigos, não me avisava com antecedência quando ele ia sair pra visitar a amiga dele, sempre brigava comigo, ficava bravo quando eu comprava coisas pra mim, colocava palavras na minha boca, não confiava em mim nunca, ficou do lado do cara que me abusou psicologica e fisicamente - ao invés de acreditar em mim, ele ficava jogando essa história na minha cara como se eu tivesse culpa, além de tudo ele tinha CIÚMES do cara que me abusou. Enfim, comi o pão que o diabo amassou.
Foram 5 meses levando porrada, até que um dia ele desistiu de mim e terminou comigo. A justificativa dele era que eu ficaria melhor sem ele - ao invés de tentar trabalhar as coisas que estavam ruins, ele decidiu fugir. Ele terminou comigo umas 10 vezes enquanto a gente namorava e depois voltava atrás, mas essa última vez eu fui forte, peguei as palavras dele, aceitei o término e não voltei atrás.
Lidar com esse término tem sido extremamente difícil, porque eu ainda o amo demais, eu sinto falta dele todos os dias. Porém, desde que ele terminou comigo eu me apeguei aos meus amigos que se importam comigo, me reaproximei dessas pessoas e aprendi a ser um bom amigo novamente e estar ali pra eles.
Perder o direito de ter amigos quando eu namorei me fez valorizar muito mais as minhas amizades. É muito ruim e assustador não ter ninguém.
Estou passando por maus bocados, mas eu fico muito feliz de ver que não estou sozinho, sabe? De ter meus amigos e minha mãe me apoiando e me fazendo sentir como uma pessoa boa novamente (porque quando eu namorava ele fazia acusações tão graves sobre mim que saí me sentindo o pior monstro do mundo).
É bom demais desabafar com as pessoas próximas e não ouvir como resposta um “fica tranquilo que vai dar tudo certo” ou não me culparem por estar me sentindo mal e brigarem comigo igual meu ex fazia.
Eu estou podendo jogar videogame de novo, e não fico mais triste de passar os domingos sozinho, porque afinal eu estou solteiro, e ta tudo bem. Além de tudo, todo o espaço vazio que o fim do relacionamento deixou, eu estou usando para desenvolver projetos pessoais e profissionais, inclusive tenho uma amiga que ta me apoiando e me inspirando muito a explorar cada vez mais os meus potenciais.
Meu ex se arrependeu muito de ter terminado comigo e deixou claro várias vezes que faria de tudo pra me recuperar. Ele me disse que mudou, que se voltássemos a namorar tudo seria diferente, etc. Por mais atrativo que isso fosse, porque eu ainda o amava (e ainda o amo), eu fui forte e sempre tentava lembrar de tudo que eu fui forçado a deixar de lado porque ele mandou. Sem contar que o fato de ele ter me culpabilizado e me feito lembrar tantas vezes do abuso que sofri foi algo que eu não consegui perdoar.
Enfim, as semanas foram passando e depois de tantos surtos, indiretas injustas sobre mim que ele ficava postando nas redes sociais, entre outras coisas como o fato de ele ter ido brigar com uma amiga minha porque ela deu unfollow nele no instagram e de ele ter seguido um conhecido meu e dado block nele em sequência, as coisas foram acalmando um pouco. Ele parecia realmente estar mudando, e obvio que isso mexeu com meu coraçãozin de gado.
Embora não tivesse sido o bastante pra eu voltar pra ele, foi algo que me fez não querer afastar e tirar ele da minha vida. Eu deixei uma janelinha aberta pra ele entrar, caso se comportasse. E depois de vários dias que a gente estava se dando bem, eu decidi que iria acompanhar ele em um exame que ele ia fazer e ele falou que queria que eu fosse junto.
Eu fui acompanhá-lo e na hora de ir embora, ele disse que queria voltar pra mim e tal. Então eu conversei com ele durante horas com a maior honestidade sobre tudo que eu tava sentindo, e eu concluí a conversa dizendo a ele que se eu realmente sou o amor da vida dele e se ele realmente estivesse mudando, o tempo eventualmente iria mostrar e a gente iria acabar ficando juntos se fosse para ser. Ele disse que estava disposto a deixar o tempo mostrar que ele estava falando a verdade, então embora a gente não tenha decidido se afastar de vez nem voltar, a possibilidade tava ali no ar caso ele quisesse agarrar.
A conversa foi na quarta-feira. Quinta-feira eu segui no instagram um amigo de longa data com quem eu havia perdido contato. Em um plot twist bizarro, meu ex uma duas horas depois desse follow veio querer tirar satisfação comigo referente a este amigo que eu segui. Sendo que a gente tinha conversado sobre como esse tipo de comportamento dele era nocivo um dia antes.
Mano, eu fiquei puto com ele e me permiti surtar e falar o quanto que ele foi invasivo e o quanto essa situação foi fodida. Eu fiquei tão irritado com o que ele fez que não queria mais falar com ele. Ele me ligou algumas vezes durante a madrugada e mandou inúmeras mensagens implorando pelo perdão. Mas eu precisava ficar sozinho pra processar tudo aquilo.
É, galera, quando a gente ta apaixonado a gente é trouxa o bastante pra se decepcionar com a pessoa mesmo ela ja tendo vacilado com você inúmeras vezes antes.
Beleza né, no dia seguinte descubro que ele seguiu outro amigo meu com quem não tenho mais contato no instagram (e meu ex morria de ciúmes desse menino, porque nós já fomos muito próximos como amigos e tinha algumas fotos com ele no meu instagram). Além de ele ter dado follow no menino, eles trocaram vários likes em fotos. Eu vi aquilo e decidi que iria retirar meu ex das minhas redes sociais, eu chorei muito muito mesmo, mas beleza.
Menos de uma hora depois meu ex começou a me ligar de novo e implorar pra eu conversar com ele, porque ele não iria aguentar me perder e que precisava de mim. Eu primeiro tive que mandar uma foto minha chorando pra ver se ele acordava pra vida de que ele foi longe demais e depois fui bem grosseiro ao pedir para ele me deixar quieto. Ele disse que iria me deixar quieto, mas implorou pra eu não sumir de vez e encerrou com um “te amo, até”.
Depois dessa conversa fui conversar com esse meu amigo que ele seguiu no instagram, e o meu amigo disse que tinha conversado com meu ex pra tirar essa história a limpo (pra ver se ele ainda tava namorando comigo e tals) e meu amigo falou que meu ex disse que já tínhamos terminado e ele não queria mais ter nada a ver comigo. Além disso, meu ex falou sobre mim com deboche pra ele, como se o relacionamento tivesse dado errado e acabado por minha culpa.
Bom, gente, eu tinha tudo pra ficar arrasado com isso tudo, porque uns minutos antes o menino tava implorando por mim enquanto ele dava em cima de alguém que eu conheço e já fez parte da minha vida. Ele me acusou de traição durante 5 meses, e quem se provou um grande mentiroso e um traidor do mais baixo nível foi ele. Ontem eu finalmente entendi que ele tentava constantemente me diminuir e dizer que eu sou péssima pessoa, porque na verdade era ele quem fazia tudo isso e ele só estava projetando essas coisas em mim.
No final das contas, embora eu esteja muito triste, eu estou muito grato por ele ter estragado tudo e ter mostrado quem ele realmente é. Imaginem que merda se eu tivesse acreditado nele e voltado pra ele? Fico imaginando quantos chifres que eu levei durante esse relacionamento e fico muito feliz que todo esse abuso acabou.
Eu não estou contente, mas eu estou extremamente satisfeito que estou aprendendo a viver minha vida sem ele e me recuperando de um monte de merdas que aconteceram na minha vida (até antes mesmo de eu ter conhecido ele) ao lado dos amigos que se importam comigo e da minha família. Estou extremamente carente, mas eu nunca vou me submeter a voltar com alguém que me traiu dessa forma e ter esse conhecimento é tudo de bom, é libertador saber que quem mais apontou pra mim é a pessoa que mais fez as cagadas que falava que eu fazia.
Tudo isso pra eu dizer, meus amigos, que tudo bem sofrer por amor. Sua vida vale muito mais que um relacionamento abusivo ou alguém que te ilude. Se você ta malzão ou malzona porque seu amor te maltrata, te humilha, trai ou mente pra você, aprenda a se amar em primeiro lugar porque você tem potencial de fazer coisas incríveis! Onde há vida, há potencial.
Se você ta se sentindo sozinho se apegue aos seus amigos, se não tem amigos se apegue a sua família. Vai conhecer gente nova, às vezes perder uma pessoa nos faz sentir que estamos perdendo o nosso mundo, mas nós ainda teremos um universo inteiro para explorar.
submitted by niallwhore to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 23:59 Pretty-Gap7378 Doença mental

Sinto que algo não está bem. Sinto um sufoco no peito que não me deixa respirar, um nó na garganta que não se desfaz. Tento, de todas as formas e feitios, encontrar o culpado desta dor que me aflige e sufoca a alma. Após desabafos, fármacos e mais fármacos, concluo que a culpa reside em mim. Durante anos carrego-a como se fosse uma sombra. Persegue-me a cada passo, conseguindo-a ignorar apenas na escuridão. Se há reflexão tenho vindo a fazer ao longo dos meus miseráveis 24 anos de existência é a de que as minhas tentativas de encontrar a culpa do meu sofrimento não me levaram a lugar nenhum, se não antes a piorar a minha própria dor.
Vou-vos contar uma história. Nasci numa pequena aldeia. Apesar de sempre ter vivido nessa pequena e pacata aldeia à beira-mar plantada, nunca senti que aquela fosse a minha casa. Isto porque, em parte, cresci e morei até aos 3 anos de idade numa casa muito pobre, mas cheia de amor, a casa da minha querida avó Maria, numa outra pequena aldeia no campo. Maria do Carmo, de seu nome, é a típica avó que surge nos filmes da Disney, uma senhora idosa e frágil, mas de um coração e bondade enormes. Tal como nos contos de fadas, a minha avó também me ensinou a ser bondosa, respeitar o outro, ter compaixão, a partilhar e sobretudo a amar. Fui muito feliz naquele casebre, onde brincava desde o nascer ao por do sol na natureza, convivia com os animais da quinta e ajudava nas pequenas tarefas que me faziam sorrir.
Com os 3 anos feitos, tinha chegado a altura de entrar no jardim de infância. A adaptação foi fácil, as funcionárias eram carinhosas e faziam-me lembrar de alguma forma a educação e valores transmitidos pela minha avó. Tudo mudou quando chegou a altura de entrar na escola primária. Até aquela data, só conhecia amor, carinho e bondade. Tudo se desmoronou depois, o meu conto de fadas havia terminado. A escola primária localizava-se precisamente na pequena aldeia onde nasci. Aqui as pessoas eram frias e mesquinhas e, tal como os abutres, esperavam sempre a próxima vítima para se poderem alimentar da sua dor. Não possuíam qualquer tipo de cultura e a sua vida insignificante resumia-se a um consumismo desenfreado que lhes trazia, presumo eu, algum tipo de alívio à sua triste existência.
Fui obrigada, por motivos profissionais quer da minha mãe, que trabalhava longe, quer do meu pai, que fazia turnos rotativos, a passar muito mais do que as 8 horas de escola a conviver com aquela gente tóxica. Aos 6 anos de idade, após alguns meses naquela escola e a conviver 12 horas por dia com aquela gente, vim a desenvolver uma depressão infantil. Com muita psicoterapia, consegui ultrapassá-la, mas as sequelas ficaram até hoje.
Ainda hoje culpo a minha mãe por ser ausente e egocêntrica, talvez exagere nas acusações, uma vez que esta nunca me abandonou efetivamente, mas culpo-a por me ter deixado naquele ambiente hostil, que mudou até hoje a minha personalidade e me deixou marcas para sempre.
Este é, possivelmente, o evento mais traumático pelo qual já passei até hoje e sei que provavelmente nunca irei conseguir ultrapassa-lo verdadeiramente. Hoje, em retrospetiva, percebo que a minha depressão se deveu ao facto de sofrer abusos psicológicos por parte das pessoas com quem passava a maior parte do meu tempo e por me sentir indefesa, já que os meus pais estavam demasiado longe para me protegerem. Vou contar-vos um exemplo, durante o intervalo escolar, era hábito as mães dos alunos irem à escola dar os lanches aos seus pequenotes (sim, ouviram bem), elas não tinham trabalho, então dedicavam-se inteiramente a tarefas mundanas para ocupar o seu tempo. Por incrível que vos pareça, eu era a única criança naquele intervalo que não tinha um pai ou avó por perto. Lanchava completamente sozinha, a um canto, como uma pessoa sem amigos. Além destes episódios, nunca tive sorte com as pessoas que me rodeavam que, apesar de crianças, também elas já haviam crescido naquele ambiente tóxico e mesquinho e conseguiam ser realmente más. Uma vez, obrigaram-me a pisar cocó de cão sob a ameaça que iriam dizer aos meus pais que eu me tinha despido em frente a um rapaz da escola (algo que constituía obviamente uma mentira) e eu, indefesa, simplesmente cedi. São feridas que nunca saram, algo que não se explica.
O ambiente familiar também não ajudava, o contraste de uma casa alegre e feliz, a dos meus avós, com a dos meus pais era enorme. Contextualizando, irei descrever-vos brevemente a minha mãe: uma senhora aparentemente simpática e comunicativa, de boa aparência que possui um emprego estável. A realidade: uma pessoa completamente desequilibrada a nível mental que possui algo a que eu classifico como o transtorno dos transtornos, isto porque ela apresenta traços de várias condições psiquiátricas e não há forma de lidar com isso. Primeiro, viciada em compras – o meu pai tem um bom ordenado e ainda assim conseguíamos passar dificuldades todos os meses – depois, acumuladora compulsiva – estão a ver aqueles programas em que as pessoas têm a sua casa amontoada de lixo até ao teto? – sim é isto mesmo, a diferença é que há pessoas aqui para arrumar a casa e que deitam efetivamente as coisas para o lixo. Além disso, é uma pessoa extremamente egoísta e egocêntrica, com características subtis de narcisismo – achar que tem sempre razão, os seus problemas são os piores do mundo, enfim. Isto foi um pequeno resumo, ah e esperem, ela também tem características típicas de síndrome boderline, quando uma pessoa explode por coisíssima nenhuma. Estão a ver o filme aqui em casa não estão?
O meu pai, uma pessoa calma, pacifica, muito perfecionista. O seu maior defeito, ter a minha mãe como sua mulher. É triste dizer isto, mas é verdade.
Depois da depressão infantil, a minha vida não ficou mais fácil, pelo contrário, virou uma catástrofe. A mudança da escola primária para o ciclo poderia ter sido uma experiência positiva, já que iria conhecer pessoas novas, talvez melhores que as anteriores. Isso foi, em parte, verdade, porém o problema é que eu era uma criança muito feia. Quando digo feia não estou a exagerar, cheguei a receber o prémio de rapariga mais feia da escola (a sério), houve um concurso amador feito pelos rapazes da minha turma, que fizeram questão de me fazer chegar o prémio. Desde aí, o clima era terrível, rapazes a gozarem comigo, raparigas a excluírem-me porque não iriam ser amigas de uma pessoa terrivelmente horrorosa, cheia de borbulhas pustulentas na cara e dentes tortos e amarelos.
Quando a puberdade acabou, as coisas começaram a melhorar, e muito. Deixei de usar óculos, deixei de ter borbulhas, o patinho feio tinha deixado de ser assim tão feio. A minha vida deu uma volta de 360º, conheci os amigos que tenho até hoje e estou muito grata por este percurso, apesar de todo o sofrimento que passei durante os meus primeiros 14 anos de existência.
No entanto, de vez em quando, surge esta angústia, esta dor que não desaparece, esta ânsia por culpar alguém, que na realidade não existe. Julgo que não serei capaz de ultrapassar todos os traumas a 100%, mas gostaria de os esquecer, nem que um bocadinho. Há dias que olho para um objeto e subitamente lá surge uma memória ou outra associada a um dos muitos episódios de trauma vividos na infância. É algo que me afeta e afetará para sempre, mas também é algo que me define enquanto ser humano. Sinto-me, apesar de tudo, orgulhosa por ter ultrapassado tudo sozinha e ter conseguido tornar-me na pessoa que sou hoje. Já tive os meus altos e baixos, muito baixos mesmo, dos quais não me orgulho. Mas a vida é mesmo assim, uma aprendizagem. Quem nunca errou?
submitted by Pretty-Gap7378 to desabafos [link] [comments]


2020.09.11 16:17 ssantorini Basicão de investimentos para dummies

O que é o mercado? Mercado são todos os agentes que participam da produção e troca de bens ou serviços. São as pessoas físicas (trabalhadores, consumidores, rentistas, empresários) ou jurídicas (empresas de produção, de comércio, de serviços ou financeiras).
O que é o mercado financeiro? É a parte do mercado restrita à circulação de dinheiro. É o "comércio de dinheiro" (empréstimos e investimentos).
O que é investimento? É quando um portador de dinheiro coloca seu dinheiro em alguma atividade, esperando tê-lo de volta em maior quantidade.
O que são investimentos financeiros? São investimentos nos quais o portador do dinheiro não participa diretamente da atividade econômica feita com o mesmo, limitando-se a colocá-lo na guarda de outros (emprestando ou investindo).
Qual a diferença entre empréstimo e investimento direto? No empréstimo, o tomador é obrigado a devolver a quantia em data futura, acrescida dos juros combinados, independente de qualquer coisa. No investimento direto, o credor assume solidariamente com o tomador os riscos da atividade na qual o dinheiro foi empregado, podendo ter lucros ou prejuízos.
TIPOS DE INVESTIMENTOS
Ações: são "pedaços" de uma empresa. Quem compra uma ação se torna proprietário de uma parte da empresa.
Ação ordinária: ação que garante ao portador participação e voto no conselho administrativo da empresa, mas caso a empresa seja liquidada, ele receberá sua parte por último, do que sobrar (se sobrar);
Ação preferencial: ação que não dá ao portador participação e voto no conselho administrativo da empresa, mas lhe dá prioridade na hora de receber sua parte, caso a empresa seja liquidada
Pra que serve investir em ações? Pra obter dividendos (parte do lucro da empresa), caso a ação seja de grande monta, ou para especular (vendê-la por um preço maior depois), Embora quem especule com ações compra "opções", não as ações em si. Opções são derivativos atrelados à cotação de ações (vide a definição de "derivativos" adiante).
Debêntures: investir em debêntures é o mesmo que "emprestar dinheiro a uma empresa". Debênture não é ação, a empresa é obrigada a pagá-lo na data acertada independente de qualquer coisa;
CDB (certificado de depósito bancário): investir em CDB é o mesmo que "emprestar dinheiro a um banco". Bancos maiores costumam pagar juros menores, bancos menores costumam pagar juros maiores.
LTN (letras do tesouro nacional): investir em LTN é o mesmo que "emprestar dinheiro ao governo".
LCI (letras de crédito imobiliário): investir em LCI é o mesmo que "emprestar dinheiro a compradores de imóveis". É intermediado por algum banco.
LCA (letras de crédito agrário): investir em LCA é o mesmo que "emprestar dinheiro a agropecuaristas". É intermediado por um banco também.
LCI, LCA e LTN são livres de impostos e possuem um seguro chamado FGC (fundo garantidor de crédito), que garante restituir 250 mil reais por CPF caso a instituição intermediadora entre em falência e não consiga pagá-las ao investidor.
CDB paga imposto regressivo (quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menos imposto paga).
Fundos de Investimento: são contratos nos quais o investidor deixa seu dinheiro em mãos de corretores profissionais, que o movimentam e investem como acharem melhor, com o objetivo de fazê-lo aumentar. Existem muitos tipos de fundos de investimento, desde os mais seguros (os corretores só investem em coisas de baixo risco, porém baixo retorno, como CDB e letras) até os mais arriscados (os corretores investem em coisas de alto risco, porém alto retorno, como ações e derivativos*), passando pelos de risco moderado (Multimercados**). Esses fundos cobram uma comissão para os corretores, uma taxa de administração e impostos. Por exigirem trabalho contínuo dos corretores (que colocam e retiram o dinheiro a depender das conjunturas do mercado), cobram essas taxas.
*Derivativos: são contratos atrelados a algum índice qualquer, como dólar, ouro, inflação, selic. É como se fosse um jogo: um cara que quer dinheiro lhe oferece pagar a quantia que o dólaouro/IPCA/selic variar, aí você aceita, podendo se dar bem ou mal.
*Multimercados**: são fundos de investimento que mexem com vários tipos de aplicação ao mesmo tempo (ações, CDB, derivativos, etc) com o intuito de equilibrar os riscos e retornos.
SELIC: de forma simples seria a taxa de juros que o banco central cobra aos demais bancos pelo dinheiro que estes últimos pegam emprestado. É a menor taxa de juros praticada em todo o mercado. Todas as demais são derivadas dela. Complicando um pouco mais, SELIC é uma meta que o BC determina para os juros interbancários (cobrados pelos bancos entre si). O BC manipula a oferta de títulos públicos (que os bancos usam como garantia de empréstimos entre si) e o depósito compulsório (fração do dinheiro depositado nos bancos que eles devem obrigatoriamente depositar no BC) para a essa meta seja atingida.
CDI (certificado de depósito interbancário): é a taxa que os bancos cobram uns aos outros quando fazem empréstimos entre si. Ela é a SELIC mais alguma coisa que no momento não lembro, mas são bem próximas em valores.
Por que a CDI é importante? A maioria dos retornos prometidos pelos bancos e financeiras são expressos em "% da CDI". O Banco Bradesco oferece LCA com 80% da CDI, já a XP Investimentos oferece LCA com até 115% do CDI de retorno.
USANDO O QUE VOCÊ APRENDEU
Aumento da SELIC é bom ou ruim? É bom para um governo endividado porque atrai mais investidor querendo emprestar dinheiro a ele. É bom pra combater a inflação, porque torna os financiamentos mais caros e portanto reduz a demanda global por bens e serviços, fazendo os preços caírem. É ruim para o PIB e o emprego, pois torna os financiamentos e empréstimos mais caros, aí as empresas terão menos capital de giro, empregarão menos, venderão menos também porque os juros estão altos, o PIB cai e o desemprego sobe.
Aumento do dólar é bom ou ruim? É bom para os exportadores, pois deixa seus produtos mais competitivos (baratos) no mercado externo, aí conseguem aumentar suas vendas, empregando mais pessoas. É ruim para empresas que dependem de insumos importados (máquinas, petróleo), pois encarece a produção. É ruim também para a inflação, pois deixa os importados mais caros.
Quando se deve investir em moeda estrangeira ou ouro? Quando se perde a confiança na moeda nacional. Isso ocorre quando o governante é inflacionista, emissor ou possivelmente caloteiro (Ex: Ciro Gomes) ou quando as exportações despencam (menos dólar entrando) ou as importações aumentam demais (mais dólar saindo).
Quando se deve investir em ações? Quando se espera que as empresas cresçam e aumentem seus lucros (mais dividendos para o investidor, mais retorno na hora de revendê-las). Isso só é possível se a economia e o emprego crescerem, o que é mais provável de ocorrer em governos que sigam melhor a ciência econômica mainstream (Ex: Meirelles, Amoedo, Alckmin, Paulo Guedes). Obviamente isso depende da empresa. Você deve correr de ações de estatais e investir em ações de empreiteiras se um governo cleptocrata assumir (Ex: PT). Você deve investir em ações de bancos privados se o governo for inflacionista (bancos lucram mais com inflação, porque tornam a especulação mais fácil, além disso a inflação força o governo a aumentar os juros pra atrair mais empréstimos, e isso é bom para os bancos). Você deve investir em ações de empresas produtivas se o governo for um seguidor da ortodoxia econômica e a economia de países compradores estiver aquecida....e por aí vai.
Quando se deve investir em LTN? Você deve procurar o país que seja o mais confiável possível (risco baixo de calote) e ofereça os maiores juros possíveis. Países emergentes são os mais arriscados, principalmente os governados por esquerdistas populistas (gostam de pedir empréstimo e depois se recusarem a pagar), países com contas públicas ruins (déficits altos) ou países que JÁ deram calote no passado (já perderam a moral, não custa nada fazer de novo). A Argentina é tão queimada que oferece LTN com juros de 45% e ainda tem dificuldade em se financiar, recorrendo ao FMI. Os EUA são tão confiáveis que quando Trump aumentou os juros para 2%, ocorreu uma fuga de capitais dos países emergentes para lá.
submitted by ssantorini to investimentoslivre [link] [comments]


2020.09.09 00:37 oakvictor Drogas: Perdição ou Ferramenta?

Não falo em nome do Espiritismo, mas em nome de mim mesmo propondo um debate. Fui ateu até ano passado, e fumo maconha há 3 anos. Me ajudou imensamente com a ansiedade, antes eu rolava na cama por horas e acordava de madrugada sem conseguir voltar a dormir. Adquiri muito conhecimento científico ao longo dos anos por estar voltado ao ateísmo e na época namorava uma Umbandista, relacionei muito dos conceitos da Umbanda com meus conhecimentos e vi que muito dali fazia sentido, só que era dito de forma alegórica. Me tornei fissurado na Data Limite, já que envolvia vida alienígena e amo ufologia. Pensava muito nisso e uma noite, enquanto chapado, tive um turbilhão de pensamentos. Lembro como se fosse ontem e hoje acredito ter sido uma comunicação com um espirito. Sabendo que eu sou apaixonado por astronomia, me foi passado mais ou menos esse pensamento: "Jesus é um ser cósmico, e cada planeta possui seu próprio Jesus que cuida e ajuda evoluir seus habitantes. Todo planeta é um local de desenvolvimento e se a Terra for destruída pelo aquecimento global os que eram boas pessoas poderão habitar um novo planeta, ainda saudável". E fiquei apegado a esse pensamento. Claro, é quase isso, faltava lapidar, mas eu não sabia NADA de Espiritismo. Conversava com muitos amigos e todos riam da minha cara, até que em Fevereiro um amigo espiritualista levou a sério e me pediu para assistir Kardec e ler sobre Ufologia e Espiritismo, pois eu estava extremamente perto do que nós conhecemos.
E foi assim que me interessei pelo Espiritismo e aprendi mais e mais da Doutrina, até me tornar mod daqui e é um prazer imenso compartilhar esse espaço.
Se eu nunca tivesse fumado, nunca teria encontrado minha fé do meu próprio jeito.
Hoje, decidi não mais comprar do tráfico já que é uma maconha manchada de sangue. Pretendo comprar diretamente de um amigo que vai plantar para uso próprio.
O grande debate é: Eu, como experiente e estudioso do assunto gostaria de esclarecer alguns pontos. Maconha não mata, nunca matou ninguém na história. Não mata neurônios, e sua proibição causa uma fonte de dinheiro para o tráfico de drogas, colocando em risco a vida de policiais, inocentes e moradores de comunidade que decidem entrar e ganhar dinheiro.
Álcool e Cigarro, que são drogas letais, são liberadas. Com a legalização o mercado iria se aquecer e a economia teria um grande impulso nessa época de crise absurda.
Qual a opinião de vocês sobre liberação da Cannabis?
Além disso, domingo experimentei cogumelos psilocybe. Não tive alucinações, mas também descobri recentemente que são a droga mais segura do mundo, e devemos sempre tomar com muito cuidado.
Considerações finais: Cogumelos e Cannabis são NATURAIS, o dano ao corpo é mínimo, diferente de todas as outras drogas. Com drogas sintéticas o cuidado tem que ser triplicado, e acho que podemos entrar em consenso que não é pra chegar nem perto de drogas como Cocaína, Heroína e Crack.
submitted by oakvictor to Espiritismo [link] [comments]


2020.09.06 06:42 thebluecoala Decidi voltar pra terapia

Eu fiz terapia pela primeira vez a uns 7 anos atras. Na época, minha mãe me colocou lá pra "resolver meus problemas com o meu pai", e ficou revoltada porque "criei problemas com ela". No fim ela me tirou da terapia, mas paciência.
Conforme o tempo passou, e diversos eventos da vida ocorreram, eu comecei a piorar emocionalmente. Eu sempre fui uma pessoa mega ansiosa desde criança, a ponto de ter febre ou ter que ir no banheiro toda hora por estar ansiosa/com medo de algo. Desde que me entendo por gente eu rôo unha, e não teve Cristo que me fez parar com isso (base com gosto amargo? pimenta? meia na mão? esmalte? necas... dependendo o nível de nervoso eu chego a rancar sangue). Comecei a ter problemas de autoestima e autoconfiança, ao ponto de tirar 6 numa prova que valia 8 e ir pro banheiro da escola me mutilar porque não tinha sido bom o suficiente. Suicídio se tornou algo recorrente na minha mente, e cheguei a tentar algumas vezes (fracassei por mim mesma, não cheguei a causar nenhum dano de fato). A última vez foi na quarentena já, aonde eu simplesmente surtei, catei uma tesoura e num lapso de sanidade mandei msg pra um amigo pedindo socorro. Ele ficou até sei la que horas da madrugada conversando cmg até garantir que eu estava dormindo e fora de perigo. No dia seguinte conversou seriamente comigo sobre.
Bom... No meio desse caminho ai eu comecei com uns problemas bem chatos de digestão e tal. Fui no gastro e não teve outra: gastrite. Comecei a tomar remédio, melhorava por um tempo, ai o médico parava o remédio (porque ele não quer q eu fique dependente dele pra ter um estomago ok), voltava tudo... bem, um dia cheguei nele e perguntei: "doutor, será que se eu fizesse terapia ia ajudar?" pq além disso, eu pensava em voltar pra terapia, mas não tinha como bancar no particular, e o plano de saúde só cobre se for por encaminhamento. Pra minha sorte, o médico super concordou, disse q era uma ótima ideia, já que meu quadro tava claramente ligado com o meu emocional, e me encaminhou.
No início, eu fiquei com medo (ainda tenho por sinal) de ficar ouvindo besteira da minha mãe, pq é aquela coisa, depressão/problema psicológico é triste e preocupante no filho dos outros, no seu é frescura. Não dei muita corta, sempre q ela perguntava sobre eu cortava o assunto. Tive que fazer algumas sessões de terapia em grupo por norma do plano de saúde. Foi uma bosta, mas eu botava na minha mente que era pra um bem maior: o meu bem.
No fim da ultima sessão em grupo, preenchi um formulário sobre disponibilidade de horário, que iriam me ligar pra agendar minha primeira sessão individual. Coloquei que estava disponível pra qualquer horário (era fim de dezembro, então as aulas estavam no fim) e boa. Era só esperar...
Janeiro veio.. Fevereiro também... Março tava ai... e nada. Até que no dia 11/03 (lembro até a data) me ligaram falando que tinha horário pro dia seguinte a noite, se eu podia ir. Eu tenho recomendação médica pra não dirigir a noite por conta da vista, mas foda-se cara, to a um tempão esperando por isso. E lá fui eu pra minha primeira sessão individual.
Conversei bastante com a psicologa, falei dos meus principais problemas, a gente pareceu se entender muito bem, foi bem legal. Marcamos minha próxima sessão e boa... se não fosse que no dia seguinte amanheci doente com dengue (pela segunda vez) e fiquei doente por uns 10 dias. No fim desses 10 dias veio a quarentena, fechou tudo, e lá tava eu sem terapia DE NOVO.
No inicio me ofereceram fazer por videochamada, mas minha mae tava sempre em casa e eu sabia que ela ia ficar bisbilhotando, então preferi negar. E ficou por isso mesmo..
Nessa quarentena muita coisa aconteceu, minha vida mudou muito, eu mudei muito, e de uns tempos pra cá me pego direto em umas oscilações de humor ridículas, tendo crise de ansiedade uma atrás da outra, pensamento suicida do nada (to lá rindo de alguma coisa besta e começo a pensar o quanto algo é ruim e enfim... entro em loop). Não é mais como se meu emocional fosse um constante problema, mas sim uma coisa desforme e mutante que cada hora tá de um jeito e eu não sei como vou acordar amanha. Vou acordar bem e conseguir viver? Vou acordar querendo morrer e simplesmente ignorar a existencia de todo mundo? Vou estar com uma raiva tão grande do mundo que vou descontar em quem não deve? Essa inconstância é horrível.
Pensando muito sobre isso esses dias, e percebendo que até quando as coisas dão certo eu acho motivo nelas pra ficar triste, eu decidi voltar pra terapia. Vou esperar passar o feriado e ligar lá e ver se consigo fazer presencial com mascara e o caramba, ou então tentar arrumar um horário por videochamada que minha mãe não esteja em casa. Eu só não aguento mais sentir q meu potencial como ser humano ta limitado em 0.5% porque meu cérebro ta desequilibrado. Eu não aguento mais sofrer dentro de mim mesma, olhar pra mim e perceber que tudo dentro de mim é caos, e que eu não tenho um apoio sequer pra saber por onde seguir. A inconstância e a insegurança dentro de mim são tão absurdas que eu sinto sim que um dia elas vão me matar. Que um dia eu vou decidir enfiar uma faca no meu estomago e ninguém vai estar por perto pra me parar... Então enquanto eu ainda tenho chances e oportunidades, só me resta tentar.
Obrigada se você leu até aqui.
submitted by thebluecoala to desabafos [link] [comments]


2020.09.05 15:01 macakikah tô muito a fim do meu vizinho e conquistei ele pelo estômago

dei match com o meu vizinho no tinder dias antes dele se mudar pro meu prédio. no meio disso, achei um print antigo do meu MSN e lembrei que ele era um amigo antigo que eu tinha há mais de 10 anos atrás. ele sempre toca meu interfone quando fica emperrado na porta de saída do prédio (não sei se isso é uma tentativa de papo comigo, mas ok). na sexta retrasada, ele passou por mim nas escadas com um amigo, enquanto eu subia correndo pra falar com a vizinha do andar de cima, e eu ouvi claramente ele me chamando de gostosa e me elogiando pro amigo dele. sábado passado resolvi fazer um bolo e dar umas fatias pra ele, como política de boa vizinhança. na terça seguinte, ele devolveu o pote que eu tinha entregado o bolo com sopa que ele tinha feito. chamei ele no whatsapp na quarta pra agradecer a sopa. na quinta, fiz uma lasanha, dei mais uns pedaços pra ele, ele me agradeceu e me chamou pra jantar. cheguei a comentar que na próxima sexta é meu aniversário e ele respondeu que a gente precisa comemorar a data juntos.
eu não sou muito boa de flerte, costumo encantar os caras que eu quero ficar com muitos sorrisos e com olhares meio descarados, mas a velha ideia da minha vó de conquistar um homem pelo estômago tá dando certo. meu vizinho tá me deixando empolgada.
submitted by macakikah to desabafos [link] [comments]


2020.09.02 02:23 pedrozinhu1902 Ela me iludiu, fodeu meu psicológico, e vc ainda tá defendendo ela? (é longa demais, mas vale a pena)

Oi Lubito, Luna, gatas, tia Carminha, tio Otto, Jean, 6º andar, papelões (RIP), Editheus, Tucho, e turma que está a ver, hoje vou contar uma das minha infinitas histórias, mesmo q eu só tenha 14 aninhus. A história se passa em momentos separados de fevereiro de 2019 até o carnaval desse ano, onde encontrei uma guria da minha sala, e ela perguntou pq eu n tava falando com a (vou expor mesmo) Bianca depois de tudo q eu fiz pra ela. Eu fiquei tipo excuse me wtf. Vamos voltar pra fevereiro de 2019, comecinho do ano letivo, e tb das aulas te teatro, onde eu conheci a Bianca. Em julho, uma amiga minha, (vamos chamá-la de Luna) me falou que ela gostava de mim, só q na época eu não sentia nada por ela. Em setembro, mudei de turma da escola, depois de uma crise de depressão que durou do fim de julho até começo de setembro (sofro da doença desde 2017, devido ao bullying que sofri naquela época e da morte do meu pai em 2013). A nova turma era a da Bianca (não gostava mais de mim na época), da Luna e da Farls (outra amiga minha importante pra história). Em outubro, eu comecei a gostar da Bianca, que era uma das minhas melhores amigas na época, mas comecei a evita-la pq doía estar perto dela. No meio de novembro, anunciaram um passeio pro Beto Carrero (bjos de floripa, lubixco) e seria numa quarta aleatória lá. Na segunda dessa semana, havia um "aulão", mas ninguém tava prestando atenção, e geral tava no celular, inclusive eu. Estava falando com um amigo, que tinha dormido na minha casa sábado, e falei pra ele que gostava da Bianca naquele dia. Como se já não fosse tudo ruim o suficiente, na festa de Halloween da galera eu ganhei uma pequena fama de juntar uns casaizinhos por aí, (quase nunca falhei kk) e como um bom amigo, esse cara, vamos chama-lo de Bombom, pediu minha ajuda pra ficar com a Bianca, SABENDO QUE EU GOSTAVA DELA. Fui falar com a Farls, pq sempre falo tudo pra ela. Ela não respondia por mensagem, então eu liguei pra ela no meio do aulão kk. Antes dela poder falar tp "alo", eu falei "Farls, o Bombom gosta da Bianca, q q eu faço?" Quando eu vejo, a Bianca tava sorrindo e feliz, quando eu percebi que a Farls tinha deixado o celular no fucking viva voz. O Bombom e a Bianca combinaram de ficar no Beto Carrero. Na terça, eu pedi pra Farls falar pra Bianca o seguinte: "tem certeza que quer ficar com o Bombom? Têm duas pessoas que podem se machucar com o isso. Eu não posso falar quem é, mas o Gordo (ela não realmente falou gordo, mas eu preciso de um nome falso pra mim mesmo) sabe e talvez ele te fale. Depois da aula, eu encontrei a Bianca e falei o seguinte: "então, uma das pessoas sou eu", e ela disse: "eu sei, mas eu quero saber quem é a outra pessoa". Basicamente ela tacou o fodase. Eu saí dali triste e tals. Chegou quarta e o passeio foi adiado por causa de chuva. Na data nova (segunda) eles não ficaram. Na quarta, depois do teatro, ela queria falar comigo, mas eu saí correndo. Quando cheguei em casa, vi que tinha uma mensagem dela dizendo que gostava de mim também. Fiquei feliz obviamente, falei no grupo de amigos que tinha criado p me ajudarem a superar isso tudo, foi dormir sorrindo. Aí chegou quinta, e ela me diz q também gosta de 2 outras pessoas (o Bombom e o Nicolas, tb nome falso). Falei no grupo, eles falaram pra ignorar e ficar c ela d qualquer jeito, na festa da turma, que eu tava organizando. No meio da festinha teve um verdade ou consequência, onde deu literalmente tudo errado. Caiu verdade pra mim, e a Farls perguntou se eu gostava da Bianca (que tava na roda), eu disse que sim. Aconteceu a mesma coisa com ela, que também disse que sim. MAS, aí uma guria drogada da minha sala, desafio a Bianca a dar um beijo nela mesma. Elas se beijaram, eu saí dali, e a Farls veio atrás, me acalmou, me explicou q tudo era só pelo jogo e tal, e que tava tudo bem. Tava tudo certo, eu e a Bianca íamos ficar, mas eu tava tendo um ataque cardíaco (bv é foda) e pedi um tempo pra me acalmar. Depois de 30 min, fui lá pra trás, num lugar onde o pessoal geralmente ficava, e esperei por ela. Depois de uns 20 minutos, ela aparece chorando, e eu, claro, fui muito atencioso, abracei ela e tudo. Aí a Farls aparece e fala o seguinte: "a Bianca tá chorando pq o Nicolas vai ficar com alguém". Eu só saí dali. Em conclusão, ela gostava mais dos outros dois do que de mim, enquanto eu amava ela. Ela falou pra um monte de gente uma versão completamente errada da história, onde eu fodi tudo. Hoje ela quer voltar a ser minha amiga, e eu só mando os amigos que a gente têm em comum tomar no cu, pq bloqueei ela e eles que passam recado.
Expliquei essa versão pra guria do carnaval, e ela falou q eu tava mentindo.
Depois dessa história eu provavelmente nunca vou confiar em alguém o suficiente e nunca vou me achar suficiente pra alguém gostar mais de mim do que de qualquer outra pessoa, e por causa disso vou morrer sozinho. Bjos Lubixco, e Bianca, se tiver assistindo, eu te odeio com o fundo do meu coração, aquele órgão que você destruiu de mim.
Edit: O Nicolas não ficou com a outra guria, pq ele gostava da Luna, que gostava do Bombom
submitted by pedrozinhu1902 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.31 08:21 LuDeVa Como foi meu "Feliz aniversário"

Olá, para quem não sabe, dia 29/08 eu postei aqui sobre como eu estava me sentindo em relação ao meu aniversário e como essa data me afeta todo ano (Caso você não tenha visto, acho que você não vai entender direito essa publicação). E bom, como essa comunidade me ajudou, eu me achei no dever de atualizar vocês sobre como foi meu "Feliz aniversário".
Eu acordei de manhã e já tive meu coração arrasado, uma mensagem de meu pai... Na mensagem ele me desejava feliz aniversário mas também falou algumas coisas que me quebraram totalmente, como: "Eu sei que minha ausência machuca você" , "Eu sei que foi falta de compreensão não conversa com você", "Não são minhas palavras que vão justificar o meu erro", "Só peço desculpas a você". Essas palavras me quebraram de um jeito que eu não tive forçar para responder. Simplesmente desliguei meu celular e fiquei jogado na minha cama. Fiquei jogado na cama por horas, nunca tive ansiedade, mas, naquelas horas minha mente ficou dividida e eu já estava certo que iria fazer algo de errado, já tinha tudo planejado, confesso que só não fiz besteira por falta de coragem e por causa das palavras que vocês me disseram, as palavras de vocês me ajudaram. Mais tarde minha tia e meu tio vieram em casa, trouxeram um bolo, mas infelizmente eu estava quebrado de mais para me alegrar com eles, fiquei por pouco tempo aproveitando a presença deles e na maior parte do tempo fiquei em meu quarto sozinho. O dia foi se passando, e uma amiga muito querida para mim me enviou parabéns, e ela passou por uma situação parecida em relação ao seu pai anteriormente, então eu pedi ajuda para ela, ela me ajudou bastante. Quando era 22:00 horas eu finalmente tive coragem de responder, escutei aqueles áudios dele mais uma vez e enquanto chorava escrevi um texto enorme sobre como a ausência dele me machucou e atrapalhou a minha vida, mas que eu perdoava ele pois sei que ele teve os motivos dele (Não sei quais foram, mas com certeza teve) e terminei dizendo para ele não se culpar pelo o que aconteceu como eu fiz por todos esses anos, por que essa experiência machucou, mas nós tornou o que somos agora e o que seremos no futuro.
Ele viu a mensagem, e quis ligar, a gente ligou, conversou por um tempinho, e acho que foi o suficiente para eu acalmar um pouco mais essa confusão toda dentro de mim. Ele disse para a gente ligar mais vezes, não sei se conseguirei por causa da minha timidez e falta de coragem, mas só de ter ligado uma vez, foi muito bom.
Assim eu termino de falar sobre esse dia que tinha de tudo para dar errado, e por muitas vezes eu pensei que tinha dado errado, mas no fim deu certo. Só tenho que agradecer a Deus, a vocês e a palavras de vocês que me ajudaram muito, a minha amiga e a minha família, que mesmo eu estando de mal humor e emburrado, estavam aqui comigo.
Caso alguém esteja passando por algo parecido. Cara... Se prepara que vai doer, vai doer muito e muitas vezes você vai pensar em desistir, mas relaxa, respira e tenta ficar calmo em meio a toda essa tempestade, uma hora passa, e você vai superar.
Novamente, muito obrigado a todos, vocês são maravilhosos.
Quem sabe até ano que vem :D Adeus
submitted by LuDeVa to desabafos [link] [comments]


2020.08.30 02:32 querocafune parece fanfic mas eu juro que aconteceu

vou contar o filme que minha vida virou...
Pro contexto: eu acabei de voltar de um intercâmbio de 8meses em Wellington, na Nova Zelândia
Então, conheci esse menino na minha escola, numa aula feita pra que pessoas do mesmo ano escolar se relacionem, era uma aula de meia hora que acontecia duas vezes por semana, então não tínhamos muito contato, mas sempre sentava com ele e os amigos dele nesse tempo. Como eu era estudante internacional, não tinha muitas amizades além dos brasileiros que estavam na mesma situação que eu, então eu achava um máximo ter esse grupinho pra conversar. Enfim, entramos em lockdown em março, e as aulas online começaram, e essa aula parou de acontecer. Eu tentava fazer amizade com pessoas de outras aulas por mensagem, mas ninguém continuava a conversa... até que depois de algumas semanas eu e esse menino, começamos a conversar pelo instagram, conversávamos a cada 2 dias, mais ou menos, sobre coisas bem aleatórias, mas era alguém com quem conversar. E eu sempre fui muito devagar pra relacionamentos românticos né, mas resolvi investir nele e ver no que dava. Eu tentava flertar, mas além da falta de experiência tinha o fator idioma, flertar em inglês é uma coisa assim... complicada kkkk
Passamos 2 meses de quarentena e as coisas começaram a reabrir, obrigado Nova Zelândia!! E acabei chamando ele pra sairmos quando pudéssemos. Fomos tomar um café, e como sou do Brasil tive que honrar o estereótipo e chegar 1hora depois do combinado, me culpei muito por isso, mas no final das contas passamos um tempo bem legal juntos, mas não rolou nada. Mais ou menos uma semana depois sugeri que saíssemos de novo, e acabamos indo pro “cable car”, basicamente um carrinho que sobe um morro, mas que é um dos lugares turísticos da cidade, junto com o jardim botânico que fica no topo desse morro. Eu, na inocência, me arrumei pra encontrar ele, quando chego lá ele tinha levado uma garrafinha de água, preparado pra dar uma caminhada kkkk andamos igual notícia ruim, e eu sempre fingindo costume e não mostrando que eu estava a beira do desmaio... Obviamente, não conseguimos conversar muito, mas cada experiência é uma experiência. No final, quando já não tinha mais subidas ou descidas de morro tentei jogar um charme, um elogio, mas ele não captou minhas mensagens, um tempo depois ele disse que tinha dever de casa e foi embora na vespa dele kkkkk
Continuei persistente, porque apesar de tudo eu gostava das nossas conversas e de passar tempo com ele, e mesmo que não desse certo, seria uma amizade de um outro país, eu não tinha o que perder.
Foi aí que fomos nesse museu, “te papa”, que tem exposições interativas e é super interessante, mas eu já tinha ido lá no mínimo umas 3 vezes, então eu estava com bastante foco no objetivo kkkkk eu nunca encontrava a hora certa pra dar o primeiro passo, e ficou nisso durante o dia inteiro. Até que quando estávamos indo embora, dessa vez ele não estava dirigindo a motinha dele então pegamos o mesmo ônibus pra casa, o ponto dele era antes do meu e quando ele desceu eu não aguentei, e senti que deveria fazer alguma coisa. É aí que a produção entra em cena, eu levantei e pedi pro motorista parar o ônibus, falei que eu tinha que fazer uma coisa rapidinha e eu já voltava, aí eu desci do ônibus e corri atrás dele, ele achou que estava sendo assaltado, mas eu fui e falei pra ele que eu senti que perdi muitas oportunidades de fazer isso durante o dia mas que eu tinha que fazer isso, aí perguntei se eu podia beijar ele, ele disse que sim!!! Voltei pro ônibus e a cara do motorista foi muito boa, ele viu tudo pelo retrovisor kkkkk DETALHE, tava chovendo.
Depois conversamos por mensagem, e eu falei que não sei de onde eu tinha arranjado coragem pra fazer aquilo, mas que eu estava muito fez de ter feito.
Na segunda-feira, combinamos de encontrar depois da aula, acabamos indo pra casa dele e conheci a mãe dele kkkk fiquei meio sem reação, não sabia o que fazer, foi super bizarro, mas de novo, cada experiência é uma experiência né? A mãe dele saiu e ele tentou me beijar, mas eu travei tanto que não consegui, ele coitado ficou super confuso, e eu comecei a tagarelar sobre timidez, insegurança, umas coisas nada a ver, tentando me justificar... Ele só ficou mais confuso, resolvemos então dar uma volta e fomos comprar pão, fomos num parquinho e comemos lá... Conversarmos e tava tudo muito bom, mesmo eu tendo tornado tudo muito constrangedor. Cada um foi pra casa e ficou aquele clima estranho, mesmo ambos querendo a mesma coisa.
Mais tarde mandei mensagem pra ele falando sobre minha mania de auto-sabotagem, e que tudo tava sendo tão bom que alguma coisa em mim me dizia que tava errado, então eu estraguei tudo. Ele não entendeu direito, então só falei pra que a gente ignorasse tudo o que eu falei e continuar do jeito que tava antes kkkkk
Dia vai, dia vem e esse amigo dele deu uma festa, um dia antes de uma viagem que eu iria fazer, mas eu fui mesmo assim. Fui com uma galera da minha outra aula, e já tava me sentindo mais confortável, até que eu chego na festa... Uma coisa bem maluca kkkk tinha uma fogueira com sofás em volta, uma garagem com colchões e bebidas, uma caixa de som, e gente usando vape. Até aí tudo bem, encontrei ele e as coisas tavam indo na paz, tirando a parte em que tive que ensinar ele como eu beijava de língua, que foi um pouco constrangedor mas que no final deu tudo certo, a gente se encaixou e ficamos agarradinhos perto da fogueira, porque tava muito frio! Até que um doido resolve tirar o próprio sapato, colocar vodca pura dentro e beber... pois é, como reagir? Ok, algumas horas se passam e esse menino do sapato, surpreendentemente, começa a passar muito mal, então deitam ele em um dos colchões e eu falando pra darem água pra ele... Não sei o que rolou, voltei pra perto da fogueira, não ia dar uma de baba pra alguém que eu nem conheço. Até que um carro entra onde a gente tava, eram os pais do menino do sapato, tiveram que buscar ele porque ele só tava piorando...
Por causa da confusão dos pais, uma das vizinhas chegou lá pra ver o que tava acontecendo, então o menino que eu tava beijando, já um pouco alterado levanta e fala que a gente tem que sair dali pra que não me deportassem kkkk eu fui com ele, entramos num lugar muito escuro e eu comecei a ficar com medo, porque por mais que eu goste dele eu não queria morrer. Fomos parar numa estação de trem e ficamos rondando por lá por um tempo, sem saber o que tava acontecendo na festa, mais tarde a gente voltou pra lá e tinham guardado tudo, os sofás, a música, apagado a fogueira, e estavam falando que tinha baixado polícia lá... Não vi nada. Tava todo mundo indo embora, e achei melhor eu também ir, mas minha carona tinha vazado, fiquei sem saber o que fazer, então tive que ligar pra minha hostmom pra ela vir me buscar, achei que ia levar esporro, mas ela achou até bom eu ter feito isso kkkk
No dia seguinte eu fui pra minha viagem, e foi muito boa, conheci gente nova e fiz coisas que nem acreditava que faria, inclusive pular de avião e de bungee jump! - mas agora, a história é sobre meu romance clichê
Quando eu voltei marcamos de encontrar várias vezes, e tudo tava sendo lindo e cor de rosa... conheci a família dele, até a vó kkk e ele a minha hostfamily. Eu tava nas nuvens.
Porém, com toda essa complicação do covid, minha data de volta tava sempre mudando. Até que confirmaram meu voo pro dia 29 de agosto, ok, me planejei organizei o que eu iria fazer. Só que uma semana antes me ligam avisando que mudaram a data mais uma vez, só que dessa vez pra 4 dias mais cedo! Eu entrei em pânico, por mais que 4 dias parece pouco, mas é muita coisa... Tive que remanejar tudo, remarcar as despedidas e tudo mais. eu tava muito emocional, chorava por tudo.
Até que um dia nessa última semana, eu tinha acabado de jantar e estava brincando com as crianças da minha casa, ele me liga e pede pra que eu fosse lá fora, fiquei super confusa, mas eu fui. DETALHE, tava chovendo também... Eu perguntei o que ele tava fazendo ali e ele disse que tava fazendo uma corrida noturna e que eu não poderia ir embora sem que ele falasse isso, foi aí que ele disse que me ama... Eu fiquei em choque, não tava caindo a ficha de que isso tava acontecendo, eu perguntei se ele queria entrar, tomar uma xícara de chá, sei lá... Ele me disse pra pensar sobre isso e que tinha que ir embora, então ele saiu correndo. Eu voltei pra dentro e não conseguir pegar no sono. depois, mandei mensagem pra ele falando que eu não esperava por isso e perguntei se ele tinha certeza do que ele tinha falado, conversamos bastante mas eu ainda não conseguia engolir, mesmo com ele sendo incrivelmente perfeito em tudo que ele falou pra mim. Na manhã seguinte tive minha sessão de terapia semanal, ouvi umas poucas e boas de como eu negava o amor dos outros, de como eu achava que por eu não me amar ninguém seria capaz de fazer isso... E cada palavra valeu a pena, quando acabou disse pra ele que queria ver ele, e de noite fomos pra cidade, e com toda certeza foi uma das melhores escolhas da minha vida. Jantamos pizza e caminhamos por todo lugar, e quando tava chegando a hora dele ir embora não deu, e comecei a chorar, me abri pra ele e disse que também amava ele, e ficou assim, os dois boiolas chorando num ponto de ônibus, olhando um pra cara do outro. Mas por mais triste que eu tava, me senti muito bem de estar vivendo aquilo. Levantamos e continuamos a andar pela cidade, dando sempre uns intervalos pruns beijinhos...
Então ele teve que ir embora, e quando ele deu partida na motinha dele eu gritei pra todo mundo ouvir que eu amo ele! Comecei a chorar de novo, muito muito mesmo, não só por ele, mas por tudo que eu vivenciei naquele país, vida, morte, conexão, solidão, despedida, saudade, amizade, amor, tudo que faz a vida valer a pena e como muitas vezes já pensei que nada disso valia a pena. Esses 8 meses me ensinaram o que é estar vivo, e sou muito grata por ter aprendido isso!! nessa minha profunda reflexão, meu ônibus chegou, e era um ônibus de dois andares, eu que não vou boba nem nada fui pra frente da parte de cima, chorar ainda mais e fazer esse filme ainda mais clichê...
Até que enfim, chega meu dia de voltar pro Brasil, ele foi no aeroporto se despedir, e eu não passei um segundo sequer sem chorar, desde Wellington até BH, quase 3 dias de viagem e de muitas lágrimas...
A gente tem conversado todos os dias desde que cheguei, e sinto muita falta dele, mas ainda fico com receio de expressar tudo isso e ficar ainda mais triste com a situação, não sei como começar a conversa sobre o que vai acontecer entre a gente, se estamos em um relacionamento a distância ou continuarmos nos amando só que em forma de amizade, se ele toparia um relacionamento aberto, ou sobre o que ele planeja pra nós... Tenho medo de conversar com ele sobre tudo isso e estragar o que a gente tá tendo agora, porque por mais que exista a distância ainda sei que ele está lá pra mim do mesmo jeito que estou aqui pra ele...
E é isso, só queria abrir minha história a debate mesmo. Valeu aí...
submitted by querocafune to desabafos [link] [comments]


2020.08.27 01:34 XxolivertwistxX Hoje eu provavelmente perdi uma oportunidade de vida

E ai, como estamos? Achei que ia ficar curto, mas acabei me alongando, sorry.

Pois bem. Até dia 08 de Setembro estão rolando inscrições para um processo seletivo de Trainee da Ambev. Dentre todos os requisitos, o mais rígido era conclusão da graduação entre Dez/2018 e Dez/2020, no qual, com uma pequena ressalva, eu me encaixo, mas nesse assunto eu volto daqui a pouco.
A informação do processo seletivo chegou pra mim através de um amiga de infância, da mesma idade que eu (20 e poucos anos) que é casada com um cara que trampa lá dentro. Iniciei minha inscrição pela plataforma disponibilizada pela empresa e ontem, quando fui finalizá-la, topei com uma caixa em que eu deveria apontar como tinha descoberto o processo seletivo, sendo uma das opções a "indicação", bastando colocar o nome e email da pessoa que havia me indicado. Voltei a falar com essa amiga, perguntei se poderia utilizar o nome e email do cônjuge dela e a resposta foi positiva. Já deu aquele gás. Finalizei as respostas e foi isso.
Hoje de manhã, acordei com mensagens dela, me mandando alguns prints de que o cara havia recebido uma notificação a respeito da minha menção, pedindo uma confirmação de que ele realmente teria me indicado. O cara confirmou E AINDA FOI ALÉM. Falou direto com uma das pessoas responsáveis dentro do RH, falando da minha inscrição. Em resposta, essa pessoa mandou um áudio, dizendo com todas as palavras que eu deveria enviar meu currículo, para que caso eu fosse barrado em alguma das fases do processo seletivo, ELA ME CONSEGUIRIA UMA ENTREVISTA. Na hora, eu quase não acreditei. Fiquei a manhã toda conversando com essa amiga, ela me deu várias dicas e eu já ia começar JANTAR qualquer coisa que encontrasse sobre a Ambev pela internet. Tava empolgadasso.
O baque veio na hora do almoço. Abri meu email pra dar aquela checada padrão antes de começar a trabalhar e a primeira mensagem era uma resposta, da plataforma, indicando que eu não havia preenchido os requisitos da vaga e INSTANTANEAMENTE eu desabei. Aqui entra a ressalva da minha graduação.
Formalmente, encerro minha graduação em Dez/2020, mas to com o andamento do meu TCC um pouco atrasado. Na hora em que fui preencher o cadastro, a última etapa era composta por algumas perguntas, uma delas a respeito da data de término do curso. Na hora me ocorreu esse detalhe do TCC e NA INOCÊNCIA, encarei aquele questionário de maneira informal indicando o término da graduação pós Dezembro de 2020, sendo provavelmente o que me desqualificou. Essa informação já havia sido requerida em uma etapa de preenchimento anterior, me fugiu completamente o caráter classificatório dessa informação e eu perdi a chance de participar do processo. Não é possível realizar nova inscrição através do meu cadastro existente na plataforma, que também não aceita um cadastro novo em meu nome.
Enfim, de tudo, não sei o que é pior: 1) O fato de provavelmente ter perdido uma oportunidade que eu NUNCA MAIS VOU TER, 2) Ter perdido por COMPLETA INOCÊNCIA ou 3) Não ter qualquer noção de como crescer a partir de uma experiência dessas.
No fundo, me sinto merecedor da desqualificação. Na posição da empresa, jamais contrataria alguém que cometesse um erro desse nível, o que provavelmente vai me fechar a porta da entrevista a parte também. To me sentindo um completo lixo e vim gastar com vocês, porque só tive coragem de conversar sobre isso com a minha mina, mas nem tanto, para não brochá-la demais.
Hoje, recebo 500 conto por um estágio em um escritório de advocacia que caga pra mim. Era uma vaga que literalmente ia mudar minha vida, mas eu perdi.
submitted by XxolivertwistxX to desabafos [link] [comments]


2020.08.26 15:02 HanSolo100 A teia do Benfica

A TEIA DO BENFICA
Sobre a rede de interesses e de influências que gravita em torno do nosso Clube e estrangula o desenvolvimento do Sport Lisboa e Benfica
“O maior castigo para aqueles que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam.” — Arnold Toynbee
A citação acima relembra que todos, enquanto Benfiquistas, temos as nossas responsabilidades e não devemos deixá-las para outros sob qualquer pretexto. Esta lembrança torna-se ainda mais importante quando em causa está o nosso maior amor, O Benfica!
As relações de Poder estão por toda a parte, inclusivamente na esfera da nossa vida privada. Neste caso em particular, a esfera do Sport Lisboa e Benfica. Esfera essa que tem vindo a ser corrompida, sobretudo de 94 em diante, até aos dias de hoje em que enfrentamos consequências de vária ordem que colocam em causa todo o potencial deste gigante clube.
PREÂMBULO
No sentido de verificar e validar o que doravante apresentaremos, contactámos um historiador, Benfiquista insuspeito, salvo-conduto da nossa história e dos nossos valores que, confrontado com os dados inicialmente lançados para cima da mesa, nos disse, ipsis verbis, o seguinte:
ü - “tudo começou com a primeira máfia do futebol português, pois eles funcionam como a máfia, adiantavam dinheiro para manter os clubes presos, e essas pessoas, de que falamos, foram agentes ao serviço dessa máfia do norte, dos direitos televisivos (…) foi aí que tudo começou”, disse, referindo-se à Controlinveste, grupo empresarial dos irmãos Oliveira (António e Joaquim), proprietários da Olivedesportos.
Quer isto dizer que, nas últimas décadas de vida do nosso Clube, o revisionismo histórico tem sido um instrumento useiro e vezeiro e que a narrativa que nos tem sido vendida, afinal, é um logro que nos impede de ter uma percepção da realidade que nos permita defender o Clube e traçar-lhe o destino que é seu e que Lhe tem sido negado.
Esta investigação teve como mote o almoço anual onde participam algumas figuras que iremos abordar mais adiante. Coube, este ano, a Francisco Cortez organizar o que decorreu no passado dia 18 de julho de 2020, em Coruche. Sabidos os nomes que nele estiveram presentes, tocaram os alarmes e, ao juntar as pontas de um intricado novelo, ficou patente um elitista almoço, contrário à génese do que é o Benfica, e cujos participantes têm para si a assunção de direitos-naturais sobre o Benfica e, claro está, o seu controlo.
Antes deste evento ter lugar, assistimos à criação de uma elevada expectativa, para um messias que estaria para chegar. Propositada e estrategicamente posta em prática, a preparação para a entrada em cena de João N. Lopes foi durante semanas acompanhada de soundbytes como “fortíssima base de apoio, num projeto imponente”, nos termos de Adão e Silva, e teve como palco, como seria de esperar e com bastante tempo de antena, a Sporttv+.
Foi desta forma que, naquele espaço televisivo, foi continuada e reiteradamente anunciada, permeio de forte suspense, com pompa e circunstância a chegada de um presumível predestinado a assumir os destinos e a presidência do Benfica. A Sporttv +, de Joaquim Oliveira, não olhou a meios e disponibilizou, semanalmente, amplo tempo de antena.
Tudo isto, estrategicamente preparado para parecer extraído de um conto de fadas. Toda esta mediatização não mais foi do que uma forma de mascarar um cheiro a bafio que conspurca o Benfica há cerca de 30 anos. Uma história falsa que nos querem impingir, uma versão repetidamente contada, empolada e amplamente romanceada para mascarar a podridão com que nos presenteiam há décadas.
A reboque do almoço elitista, lembremo-nos que o Benfica é, e sempre foi, um Clube de origens populares, que sempre rejeitou as elites e cuja transparência das suas práticas democráticas sempre prevaleceu mesmo em contexto de regime autoritário, de Salazar.
A ORIGEM
Importa, pois, contextualizar todo o processo que adiante exporemos.
Manuel Damásio, o 1.º ensaísta de um Benfica das elites, deixou o Sport Lisboa e Benfica de rastos por meio de uma gestão profunda e reconhecidamente danosa que deixou o Benfica profundamente vulnerável a um homem que se soube aproveitar dessa vulnerabilidade estrutural do Benfica para nele entrar.
João Vale e Azevedo foi o que foi, um engenhoso autocrata. Ainda assim, se mérito há que deve ser reconhecido a João Vale e Azevedo (JVA), foi a coragem deste para ter rompido com a máfia do norte que mantinha o Benfica refém devido aos direitos televisivos, via Olivedesportos. Recorde-se, nesta altura estava-se em pleno processo de revolução e expansão do mercado de transmissão audiovisual de jogos de futebol.
A reação da Olivedesportos ao rasgar do contrato, assinado por Damásio em março de 1996, levado a efeito por JVA, não se fez esperar. Porventura, já precavendo aquilo que anos mais tarde se veio a confirmar, quando o acórdão do Tribunal da Relação veio conferir razão às pretensões do Benfica ao declarar a nulidade do contrato com a Olivedesportos, esta, rapidamente gizou e colocou em prática um meticuloso plano para recuperar e conservar o monopólio dos direitos de transmissão televisiva do 1.º escalão do futebol profissional.
A Olivedesportos foi, nunca é demais recordar, comprovadamente, desde logo, no âmbito das escutas do processo "Apito Dourado”, a cabeça e principal braço de uma organização criminosa que dominou o futebol português durante décadas com recurso a esquemas de corrupção altamente elaborados e enraizados nas estruturas de poder do futebol português.
É então que a família Oliveira, com recurso ao auxílio de meia dúzia dos mais argutos agentes ao seu serviço, resolve lançar uma ofensiva muito bem planeada para recuperar a influência sobre o Benfica, Clube sem o qual perderia o monopólio dos direitos televisivos, bem como o exercício de domínio total do futebol nacional e das respectivas estruturas de decisão.
Os mais destacados agentes escolhidos pela família Oliveira para materializar o insidioso plano, meticulosamente desenhado, foram, por diversas e estruturais razões, três pessoas da máxima confiança de Joaquim Oliveira. Tendo sido eles, Luís Filipe Vieira, Luís Seara Cardoso e Tinoco de Faria.
O objectivo primordial passava, pois, por estes recuperarem os direitos de transmissão televisiva das partidas de futebol do Benfica para a Olivedesportos, com quem JVA havia rompido.
Recorde-se que Luís Filipe Vieira e Luís Seara Cardoso tinham histórico de grande proximidade ao poder corrupto do norte. Ainda recordar Tinoco de Faria, representante da RTP/Olivedesportos na disputa com o Benfica sobre direitos televisivos, cuja ética se comprovaria deficitária, mais tarde, no caso do conflito de interesses entre Benfica e TBZ, das quais era simultaneamente representante. Eram os homens indicados para interpretar e materializarem os interesses dos irmãos Oliveira no Benfica.
Acontece que cedo perceberam, juntamente com Vítor Santos e outros nomes que compunham o outro lobby interessado no Poder do Benfica, o lobby do betão, que Luís Filipe Vieira, por variadíssimas razões, não teria capacidade para destronar JVA em eleições, pelo que, em consonância com o lobby do betão, havia que encontrar uma solução de bypass. Isto é, encontrar alguém com mínimos de perfil que anuísse em vencer as eleições, frente a JVA, no ano 2000, para em seguida transmitir o poder ao seu principal homem de confiança, Luís Filipe Vieira.
A solução encontrada para dar início à operacionalização do plano passou, pois, por Manuel Vilarinho. Ele que já havia estado no Benfica como diretor financeiro da desastrosa direção presidida por Manuel Damásio e que se predispunha, de resto, como o próprio já assumiu publicamente, a assumir as expensas de derrotar JVA, para, uma vez conquistado o poder no Benfica, em seguida transmiti-lo a Luís Filipe Vieira.
E assim foi. Em, simultaneamente, boa hora por um lado, e má hora por outro lado, Manuel Vilarinho derrota JVA com recurso a um discurso profundamente populista, à geração de imensas e falsas expectativas junto dos associados, com recurso à promessa fácil de trazer Mário Jardel que ficou, no entanto, por cumprir integralmente.
Foi, ainda assim, e para o que para eles verdadeiramente importava, eficaz, e escancarou as portas a quem sempre obedeceu, tendo levado para dentro do Benfica, precisamente, quem estava previsto levar com ele. Recorde-se, Luís Seara Cardoso e Tinoco de Faria.
LFV, esse, entrou meses mais tarde, tendo aproveitado esse hiato para resolver algumas pendências e lançar as bases para outras dependências estruturais, após a sua entrada, como se verificou, nomeadamente, com o corredor de transferências entre o Alverca e o Benfica, e vice-versa. A fazer lembrar o protocolo de parceria que havia assinado com Damásio quando ainda era dirigente do Alverca, mas a um nível completamente diferente e lesivo para o Benfica.
Mas sobre LFV já muito foi dito e escrito, cabendo agora ao julgo popular e das autoridades avaliar tudo aquilo que foi feito. Ao dia de hoje, só se deixam enganar os atingidos por uma profunda cegueira, que confunde Vieirismo com Benfiquismo, pelo que, passemos, portanto, a elencar e desmistificar aquilo que aqui nos traz.
Em outubro de 2000, Manuel Vilarinho vence as eleições e herda um Benfica que tinha rasgado o contrato com a Olivedesportos e outro, financeiramente muito mais vantajoso, deixado acordado com a SIC, por JVA.
É então que Manuel Vilarinho, Luís Seara Cardoso, este umbilicalmente ligado ao poder corrupto, e Tinoco de Faria, resolvem, por assim dizer, devolver os direitos de transmissão televisiva dos jogos do Benfica à Olivedesportos, não obstante o acórdão do Tribunal da Relação, entretanto, ter vindo dar provimento às pretensões do Benfica na quebra unilateral de contrato com a Olivedesportos, levada a efeito por JVA.
O Benfica, recorde-se, vivia uma penúria financeira sem precedentes, JVA havia negociado um contrato financeiramente muito mais vantajoso com a SIC e, estes senhores, agentes ao serviço do poder-corrupto, resolvem devolver os direitos à Olivedesportos servindo-lhos numa autêntica salva de prata.
As questões que ficam por colocar, entre muitas outras, são:
  1. Uma vez que o Tribunal decidiu em favor das pretensões do Benfica, dando-nos razão no diferendo que nos opunha aos interesses dos Oliveira, por que razão a Direcção do Benfica não aproveitou o momento e o enquadramento legal favorável para negociar um novo contrato?
  2. Que razões presidiram à decisão de não promover novas negociações ou um concurso entre os demais agentes presentes no mercado televisivo e, considerando a dificílima conjuntura financeira do Benfica, à data, porque não consideraram entregar os direitos de transmissão televisiva à proposta financeiramente mais alta?
  3. Estando a Olivedesportos já amplamente identificada no seio do universo benfiquista como o “ grande inimigo”, que nos queria destruir, por que razão se privou o Benfica de outras valências financeiras para enfrentar o futuro, que tão doloroso foi, para se ir entregar assim, sem mais, os direitos de transmissão às mãos do inimigo, à Olivedesportos, sem apelo nem agravo?
  4. Quem foram as partes interessadas neste desfecho?
  5. Quem lucrou com tão danosa e dolosa decisão de gestão?
O Benfica, caras e caros benfiquistas, com terminante certeza, não foi!!
O Benfica foi perturbadora e vilmente prejudicado!!
Resultado?
O Benfica passou pelas maiores amarguras e dificuldades financeiras da sua história a expensas desta decisão, de entregar numa bandeja os direitos televisivos aos irmãos Oliveira. Assim, sem mais, depois do Tribunal ter decidido no sentido que permitia ao Benfica libertar-se do garrote financeiro com que se debatia aviltantemente. Resultado disto, o FC Porto, coincidentemente, conheceu a sua década de maiores conquistas desportivas, nomeadamente, no plano internacional, enquanto se passeava por entre óbvias e concedidas facilidades nas provas domésticas.
OS INTÉRPRETES
Mas… há mais. Muito mais.
Prova disso mesmo são os incontáveis registos fotográficos só possíveis de obter por via da enormíssima vaidade pessoal e tendência para a ostentação nas redes sociais de Luís Seara Cardoso.
Mas, é só isso? - Perguntar-se-ão.
Não, muito longe de ser apenas isso. Não obstante a comprovada intimidade com o poder corrupto em registo fotográfico, assim bem como artigos produzidos que consubstanciam tudo isto. Existem registos oficiais.
Por registos oficiais, entenda-se, registos, por ex., em Diário da República.
E o que nos provam esses registos? Comprovam que coincidentemente com, pelo menos, todo o 1.º mandato de Seara Cardoso como Vice-presidente do Benfica, este mesmo Luís Seara Cardoso partilhou responsabilidades societárias com Adelino Caldeira e Angelino Ferreira, já à data homens do topo da hierarquia do FC Porto, numa sociedade denominada “Clube Imobiliário o Beco, SA”.
https://benficalivre.blogspot.com/2020/08/A-Teia-do-Benfica-1.html
submitted by HanSolo100 to benfica [link] [comments]


2020.08.21 19:11 meucat Aquecimento global. Como pode ser que 12 anos depois o polo norte ainda tenha quase a mesma quantidade de gelo?

A cada ano inventam que "daqui a X tempo o polo norte vai ficar sem gelo". Lembro que o Al Gore ganhou rios de dinheiro espalhando a fake news que em 2014 ja não haveria gelo no polo Norte. Não somente ele nunca foi processado por espalhar terror pelo mundo, senão que ainda deram o premio Nobel para ele como se fosse um grande cientista.
Sabemos que o gelo nos polos é muito variável pois depende das estações, então temos que medir pelo menos perto da mesma data cada vez.
Em 26 de agosto de 2008 o polo norte estava com 5,26 milhões de Km2 de gelo
https://nsidc.org/arcticseaicenews/2008/08
Agora em 17 de agosto de 2020 (12 anos depois) está com 5,15 milhões de Km2 de gelo
https://nsidc.org/arcticseaicenews/2020/08
Registrado pelo NSIDC (National Snow Ice Data Center) , que vem a ser o Papa Francisco do ártico.
E ainda o NSIDC diz que agora em agosto 2020 está maior que em agosto 2007 (mas não tem registro na web para esta data) e também está maior que um ano atrás, agosto 2019, que teve 5,04 milhões de Km2.
Ou seja, os espertinhos ficham chutando cenários catastrofistas tirados da cartola. Se em 12 anos o esquema não mudou nada, e em 13 anos ainda tem mais gelo, quer dizer que é um eco-sistema muito variável, de onde vc. dificilmente pode concluir alguma coisa com certeza.
Justamente os ciclos variáveis do clima são muito usados para manipular a opinião pública. Lembro que alguns atrás era um tal de cortar as veias por causa do buraco na camada de ozônio.
Que vamos morrer todos feito churrasco, que as ovelhas argentinas estavam com cataratas nos olhos, que o ar condicionado, que a geladeira, que o homem capitalista consumista racista taxista imperialista estava destruindo o planeta e que patati e patata .
Agora resulta que o buraco na camada de ozônio do polo norte sumiu
https://g1.globo.com/natureza/noticia/2020/05/01/como-o-maior-buraco-na-camada-de-ozonio-no-polo-norte-finalmente-se-fechou.ghtml
e o buraco na Antártida também está quase fechado
https://www.tecmundo.com.bciencia/151508-camada-ozonio-recuperando-restaurando-circulacao-ventos.htm
Visto que não podem explicar a merda que fizeram para aterrorizar o planeta (tipo rede globo com os 100 mil mortos), agora tiram da cartola a explicação que "ohhh!!! graças ao protocolo de Montreal que evitou os gases sei-la-o-que que ser humano conseguiu evitar uma catástrofe e solucionar os buracos no ozônio.
Mas vão catar coquinho com estas explicações estapafúrdias, estes fenômenos são cíclicos, demoram muitas décadas para voltar no ponto zero, e todo mundo fica pensando que "ora somos nos os culpados, ora somos nos os salvadores".
Lembra muito aqueles caras que tiram uma foto do monte Fuji no Japão no inverno coberto de neve, depois tiram outra foto pelado sem um pingo de gelo no verão, e colocam na web "catástrofe do aquecimento global". Tudo mentira, o monte Fuji tem este ciclo de gelo-não-gelo desde o tempo dos dinossauros.
submitted by meucat to brasilivre [link] [comments]


2020.08.21 17:11 PokerLucky84 Nice People from past

Bom apenas um relato, vou resumir o backgound history que é de suma importância.... quando colocar datas, é para contextualizar a "situação"
2000 - Conheço a Carls
2002 - Entramos para uma federal "perto" de onde morávamos..
2004 - Vamos morar juntos em uma "republica" cada um em um quarto....
2004/2 - No segundo semestre devido a falta de dinheiro vimos que teríamos que rachar um quarto, nesta época rolou "brotheragem" entre eu e a calrs, estávamos Financeiramente fodidos, e a faculdade consumia todo o nosso ser, ja que ela era integral, nos sustentávamos fazendo bicos de garçom e outros)
2007 - conseguimos nos formar, cada um seguiu a sua vida, eu me mudei pra um outro estado, ela voltou para a cidade onde morávamos, Neste 12 anos que ficamos longe ainda mantínhamos o contato, mas a vida cotidiana acaba afastando as pessoas, neste meio tempo ela casou, teve uma filha, divorciou-se mergulhou em uma depressão profunda por anos (onde inclusive foi preciso intervenção para interna-la), ela se recuperou, e algum tempo ja esta reconstruindo a sua vida.
2019/2 - Me recusei a fazer algo inescrupuloso na empresa onde trabalhava por 10 anos, pedi conta, voltei para a cidade natal.
Hoje - Arranjei um novo trabalho no Inicio de 2020, e hoje tenho mais controle sobre todos aspectos da minha vida do que jamais tive morando em SP.
Começa a historia aonde a empresa decide contratar uma outra profissional para ajudar o time B, essa profissional era carls.
A carls é uma mulher de personalidade muito forte, perfeccionista, o que acaba sendo "qualidades" importante para a tarefa que desempenhamos.
No meu time, acabo recebendo muitos novatos e estagiários, pessoal jovem (sim sou boomer) acaba tendo mais energia, e ate a maneira de se relacionar com companheiros de trabalho acaba diferente....
Aqui começa a besteira toda.
antes da quarentena, todo mundo no meu time acabava indo para um happy hour, e de vez em quando carls aparecia, mas as coisas começaram a mudar quando uma guria inclusive é filha de um amigo nosso começou a trabalhar para gente.
Numa dessas compartilho um stories onde a "guria" e o resto do time esta comemorando um importante marca que atingimos. então ela me chama no privado e manda uma mensagem
-Sua esposa sabe disso?
-Ola Carls, Bom dia, sabe de que?
-Voce de rosto coladinho com a varls filha do john.
-ué.... o que que tem isso?
-ela não se importa?
-não, deveria?
-voce tem que se dar o respeito, voce é chefe deles....
(nesta hora pensei em dar uma reposta mais brusca, mas decidi levar o papo na moral.)
-Olha carls, Chefe, é o brals, eles são minha equipe, eles são foda pra caralho no que fazem, são excelente pessoas, não sei porque voce pensa desse jeito, mas não ligo.
-ahh poker(eu), eu nao confio em estagiários, e também não confio em homens...
-pera ai, o que tem uma coisa a ver com a outra.
(neste momento ela da uma pausa longa e depois continuou)
-é realmente isso não é da minha conta, mas se fosse eu, eu não faria isso.
-calrs, que inferno, o que voce esta falando?
(nesta hora eu entendi, só queria ver o que ela iria falar, o negocio pegou foi porque ela achou desrespeitoso eu tirar uma foto com a varls, naquela epoca fiquei sabendo que a varls estava quase namorando com o ex marido da carls, por tabela ela achava que varls estava dando em cima de mim).
-poker voce tem que ter mais cuidado com o jeito que voce trata os seus subalternos (sim ela disse essa palavra), principalmente as meninas, se não vai ser desrespeitoso com sua esposa.
(como eu disse la em cima, minha esposa não se importa, chegamos ao um nivel de confiança um no outro que sabemos aonde estão os limites, nessa hora soltei os cachorros)
-Carls, olha não tenho culpa se por acaso voce casou com fulano e na epoca ele era um FDP que te deu um pé na bunda depois que voce teve depressão, eu não iria me envolver com alguem do trabalho, ou qualquer outra pessoa, não foi porque a gente fodia quando jovem e eramos livres que eu vou repetir esse comportamento aqui, eu acho que voce tem que cuidar da sua vida, nada mais que isso.
nesta hora o selo de nice girl veio.
-nossa voce se acha a ultima bolacha do pacote né? se enxerga filho, eu fui a mulher mais bonita que voce ja ficou.
(realmente ela continua extremamente bonita, mas ela não conseguiu conectar-se a alguem para entender que beleza não faz companheirismo, ou te da força em horas difíceis)
-realmente carls, o problema é que voce não viu que beleza não preenche caráter.
-vc ta me chamando de sem caráter poker.....
(aqui vou poupar voces das coisas que ela me disse, porque algumas são +18, mas é aquele mix, de sempre, sou muito bonita, sua esposa é feia, varls é feia, voce deveria ter me chamado para namorar naquela epoca, sou uma profissional muito melhor que voce, voce esta fardado a ruir).
-carls se voce esta infeliz na sua vida pessoal, olha.... não vem descarregar essas merdas na minha, to na nice, to tranquilo, felizão com o meu trabalho, se vc tem algum problema pessoal com alguem da minha equipe, vai la e fala pra pessoa no pós expediente, desculpe se eu não tive uma vida fodida como a sua, que não tive uma pessoa que me tratou como merda, e que sou realizado profissionalmente, olha vou te tratar normalmente e fingir que isso aqui nunca ocorreu, em respeito pela amizade e todas as merdas que passamos juntos no passado.
- ai voce joga a minha depressão na minha cara como se fosse culpa minha....
(nessa hora eu ja vi que tinha descarrilado o trem, simplesmente relevei e disse)
-caso você não saiba ler, disse para voce não vir descontar suas frustrações em mim, e te dar a dica, o plano de saúde da empresa tem terapeuta ta?! da uma passada lá, porque da pra ver que voce tem uma lista de coisas não resolvidas na sua vida.
Dias depois ela pediu uns dias, hoje teve uma reunião (agora a pouco na verdade) ela se quer me olhou na cara....
PS:Eu tenho os prints dessa patacoada toda, mas tenho quase certeza que a filha dela assiste o luba, e possivelmente conhece o sub.
submitted by PokerLucky84 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.19 17:41 _No_Game_No_Life_ Eu só queria ver anime ;-;

Olá Luba, turma, convidado q nunca tem, gatas e Pekeanu Reeves, hoje vou contar uma historia trágica kk, (eu tenho o dom de transformar os desastres da minha vida em comédia) , bom vamo la
A uma semana mais ou menos (eu sou horrivel com datas), eu estava assistindo One Piece, depois de muito enrolar finalmente tinha começado a assistir, eu estava tranquilamente assistindo o ep 81, quando DO NADA eu desmaiei, fiquei uns 5 minutos inconsciente em cima da cama vibrando igual um telefone, até q vieram ao meu socorro, eu tava muito zonzo e gorfei na minha cama sujando meu headfone ;-;, depois de ter passado mal caralhadamente minha mãe me levou pro hospital, no meio da noite, vey eles me deitaram numa maca e me deram uma injeção no braço Q EU N SEI Q POHA DE INJEÇÃO ERA AQUELA Q DEIXOU MEU BRAÇO INCHADO E TA DOENDO ATÉ HJ, a medica disse q ia doer só um poquinho, o rabo dela q doeu so um poquinho, eu quis dar uma paulada naquela mulher.
depois disso eu fui pra casa e me marcaram uma consulta no outro dia, MANO o médico era muito lindo veyy, e eu só o pó da rabiola com cara de cu e minha mãe explicando o desastre q foi a noite passada, e o médico disse q foi um ataque epilético, sim, EU SOU EPILÉTICO, como se minha vida ja n fosse dificil o bastante agora eu sou epilético, q merda viu, e eu fiquei super bugado pq eu n sabia q epilepsia dava vomito, ou sera q foi por causa de outra coisa? sei la.
FELIZMENTE, minha epilepsia não é crônica, ou seja, tem cura, mais pra eu estar curado eu tenho q tomar 4 comprimidos de remedio todo dia :) durante 3 anos :)
Agora, como se tudo ja não tivesse um caos, minha mãe me PROIBIU de ver anime ;-; e agora minha prima ta aq todo dia pq minha familia toda trabalha e agr n posso ficar sozin, q poha ein e tbm, meu tempo em telefone e videogame é limitado, ou seja, meus piores pesadelos se concretizaram, Inclusive, agr q eu deveria estar estudando estou mandando essa historia aq pra vcs kkjk ;)
Bom, muito de vocês leitores podem ficar com pena do q eu estou passando (ou não né, talvez ninguem se importe kk) mais só me resta erguer a cabeça e seguir em frente, em alguns anos eu posso ler essa historia q estou mandando nesse exato momento e rir bastante com o quão trouxa eu sou kk
submitted by _No_Game_No_Life_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.18 03:28 isaaaklotz Meu Nice Pai pt.2

Oii Luba, editores e turma que está a ler. Primeiramente peço mil desculpas por ter demorado tanto para postar o restante da história.
Bom, continuando os acontecimentos do que contei anteriormente. No começo da "separação" (meus pais ainda não estavam separados pela justiça) eles até que se davam bem, jantamos uma vez juntos no porão da avó demoníaca e assistimos um filme. Tudo certo até então. Porém de repente meu pai mudou muito, começou a ser rude com a minha mãe, fazer drama por nada, inventar histórias etc. Ok, estranho mas pode ser por causa da separação ou assim né? Mas o fim da picada foi quando ele me perguntou se eu andava ligando pra Liar e ameaçando ela e suas filhas, coisa que eu neguei prontamente pois nem o número dela eu tinha. E ele não acreditou em mim! Perguntava se eu tinha certeza, duvidando de mim, a própria filha dele! Minha mãe me defendeu, mas eu duvido que ele acreditou em nós.
Depois disso começamos a brigar bastante, pois tínhamos medo dele pirar e nos acusar injustamente de novo, por isso toda vez que ele tentava sair comigo e com a minha irmã dávamos uma desculpa esfarrapada pra não ir. Quando ele ligava para nós jogávamos os fatos na cara dele, como ele acreditava na amante dele, como ele preferia comprar coisas pra ela em vez de pagar pensão para termos o que comer etc.
Após um tempo as coisas sossegaram, paramos de brigar tanto e saíamos de vez em quando para almoçar com ele. Algo que eu achava estranho é que ele vivia falando mal da minha mãe pelas costas. Como isso que ele fazia era alienação parental (para quem não sabe, "a alienação parental é o processo e o resultado da manipulação psicológica de uma criança em mostrar medo, desrespeito ou hostilidade injustificados em relação ao pai ou mãe e/ou a outros membros da família.") e é um crime, eu comecei a gravar nossas conversas como prova se caso ele quisesse botar a culpa de alienação parental na minha mãe. E ele não fazia isso apenas quando saíamos para comer, também quando me levava no treino de vôlei, futsal e judô. Teve um dia em específico que eu acho que ele deve ter percebido que eu estava gravando nossa conversa. Na real eu não me lembro certo se foi a caminho do meu treino ou quando estávamos saindo do restaurante, mas ele me disse que "... não tinha problema, se eu não estiver gravando a nossa conversa". Enfim, era toda hora ele fazendo pressão psicológica para contarmos coisas sobre a nossa mãe, algo que com certeza não faríamos, afinal ela era e é a única entre os dois que realmente se importa se eu e minha irmã temos o que comer, e sinceramente, ela nunca fez algo de errado para poder incriminá-la de alguma coisa.
Chegamos ao dia 23 de outubro. Nesse dia teve os jogos de interclasses na minha antiga escola. Como naquele dia a minha mãe tinha outra audiência eu e minha irmã ficamos na casa de uma amiga minha da época durante a tarde toda (estudávamos de manhã). Até que chegou a noite, minha mãe me ligou avisando que estava saindo da audiência que acontecia na cidade vizinha, e me deu a notícia que o juiz estava nos OBRIGANDO a encontrar com nosso pai. Eu fiquei p da vida, meu dia estava indo tão bem e do nada vem essa bomba de bosta pra cagar com tudo. Fomos esperar o ser humano num café do outro lado da rua da praça, minha mãe na praça pra ficar de olho caso algo acontecesse. Quando vimos ele chegar, comecei a gravar a conversa. Ele sequer se sentou, apenas disse para pegarmos nossas coisas e entrarmos no carro pois iríamos na casa da mãe dele (ps: o ponto de encontro marcado ERA no CAFÉ, e não fora dele). Eu fiquei nervosa e comecei a tremer e gaguejar, e quase chorando liguei pra minha mãe e contei baixinho o que estava acontecendo. Ela desceu a praça mais rápido que o Flash e começou um barraco na rua dizendo que ele não podia tirar a gente do café porque o ponto de encontro era lá e tal. Ele ficou puto, e entramos num acordo de fazer o encontro num tipo de "concha musical" (que é uma contrução ao lado da prefeitura para bandas tocaram em datas festivas na cidade). Ficamos lá e depois do encontro eu, minha mãe e irmã fomos a pé para casa. (Eu ainda fico pensando o que poderia ter acontecido se tivéssemos ido junto com ele, eu não duvido nada dele). Esse foi o último dia que vimos ele pessoalmente.
Hoje em dia moramos na cidade natal da minha mãe, longe dele e perto da família que nos quer bem. Ele entrou raras vezes em contato conosco, coisa que eu não ligo muito por não querer mais vê-lo. Ele deve mais de 17 meses de pensão alimentícia, além do pró-labore/ salário que ele ainda não pagou pra minha mãe pendente do rolo no parque aquático. E um fato que eu acho engraçado é que não paga a pensão porque "NãO tEm DiNhEiRo SuFiCiEnTe" mas pagar o próprio casamento (sim gente, eles se casaram) e dar mimos pra amante e as filhas dela, pra isso ele tem dinheiro.
Acho que isso foi tudo, se acontecerem mais coisas eu vou contando para vocês.
Vou tentar escrever a história da avó demoníaca ainda hoje.
Bjs
submitted by isaaaklotz to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.16 20:32 AltinoAlagoinhas Amizade, Sexo E a escolha das Mulheres.

Ok, textão pq eu não tô sabendo organizar essas ideias na minha cabeça.
Primeiramente, eu sou um cara relativamente "presença" eu tenho 1,89 de altura, isso é relevante pois aqui na cidade onde eu vivo o caras não são tão altos e isso combinado com eu ser jogador de Vôlei em uns times amadores por aqui, meio que me dão uma certa vantagem em conseguir atenção de mulheres. Eu não tenho talento suficiente pra ser profissional e altura não é tudo, mas eu gosto de jogar.
Recentemente meu namoro acabou e eu comecei a refletir mais sobre minha posição e atitudes e como eu sou percebido por homens e mulheres e se isso esta me impedindo de manter um relacionamento solido.
Do ponto de vista dos meus amigos homens, eu tenho a vida que eles pediram a Deus e não ganharam na loteria. Eu tenho relacionamentos bem curtos,, variando de semanas a meses, onde esse ultimo foi o mais longo uns 10 meses e o Covid foi o que provavelmente deu essa vida extra. E nesses períodos sem relacionamento eu sou um tanto quanto bem eficaz em conseguir sexo casual(digo não mais que algumas transas com cada pessoa).O que desperta uma certa inveja nos caras, eles me elogiam e brincam, mas eu sinto o tom de rancor escondido por trás das brincadeiras e que as vezes escapam quando eles estão mais alcoolizados.
Uma vez eu cometi o erro de tentar animar um camarada que tava sofrendo depois de uma serie de rejeições, ele veio com "tu pega todo mundo e eu não pego nem as sobras" e tentei dizer algo assim "Calma, isso não é uma competição,qualquer hora vc se da bem,podia aproveitar pra malhar um pouco e etc". Pra que eu fui dizer isso, o cara ficou em tempo de chorar de raiva,"Não é competição pra vc que é um gigante e as mulheres fazem fila, nenhum treino no mundo vai me deixar mais alto ou bonito". Na hora eu não entendi o que eu falei de errado, depois eu vi que ele entendeu o que falei como pena pela inabilidade dele de conseguir atrair mulheres.
Aqui eu tenho que dar um contexto, aqui no meu circulo de amigos,talvez essa cidade (não tenho como saber), tem essa crença entre os homens que é mais fácil transar de cara(logo nos primeiros encontros) com uma mulher que não gosta de vc, mas te acha sexualmente atraente do que se ela tiver intenção de te namorar, a logica por trás disso é que ela pode sentir desejo pelo cara, mas não gosta dele como pessoa ou acha que vai ser traída o que deixa ela livre pra "dar" de primeira sem se preocupar se o cara vai perguntar se ela chegou em casa bem no dia seguinte. E tem os caras que elas tem intenção de criar algo solido e esses vão ralar pra levar elas pra cama,pois elas tem medo de ser vistas como fáceis. No geral nunca me importei com isso pq com o tinder outros app e o modo mais agressivo que as mulheres se aproximam de mim faz essa teoria soar muito machista e produto de ressentimento de caras rejeitados.
Mas ai uma semana atras, essa conhecida minha da academia começou a falar de amizade e sexo e então descobri que ela é lésbica, e na conversa ela disse que era opção pessoal dela nunca se envolver com amigas que ela não quisesse perder, mesmo existindo o conceito de amizades com beneficio(que ela abomina) e tal ela só se relacionou com 2 "amigas" que ela não se importava em cortar relações,o argumento dela é que relacionamentos sexuais dificilmente acabam amigavelmente e ela não quer correr esse risco com amigas que ela preza muito.
Enfim, essa duas ideias tão se chocando na minha cabeça agora, pq eu tô achando que eu sou vitima disso, que as mulheres já se aproximam de mim achando que vai ser só pra passar uma chuva(com medo de ser traídas ou simplesmente não gostam da minha pessoa mas me acham atraente).O que meio aponta pra ideia dos caras, nesse últimos 3 anos eu tive muitos casos de "uma noite" onde eu nem sei se fiquei no final da lista de contatinhos delas. Eu não uso Apps de encontros onde ´sexo casual é supostamente a norma, Meus encontros são sempre da academia, trabalho, cursinho e etc. O que deveria facilitar relacionamentos sólidos.
Eu sei que um relacionamento depende de inúmeros outros fatores, mas se os meus ja começam com data pra expirar, vale a pena investir nisso?
É isso, quem leu até aqui sem ficar entediado agradeço, quem se decepcionou foi mal. só precisava escrever pra tentar organizar melhor minha mente, pq segunda eu volto ao batente.
submitted by AltinoAlagoinhas to sexualidade [link] [comments]


2020.08.16 01:37 not_eletrons Bot isso não é spam :(

Eu eletrons_dark (na twitch), Dei legendas de 5 vídeos a esse bot https://www.youtube.com/watch?v=RW7mP6BfZuY com ajuda desse tutorial: https://www.youtube.com/watch?v=3tlW_jSlYL4 (graças aos dois vídeos foi possível todo isso) abaixando as legendas aqui: https://downsub.com/. Um dos resultados,após um longo tempo foi esse:
"É olha o ali botões borra esperando eu eu isso forma deu me aqui tem então então não que é eu não tudo mandou mandou um tive um têm com jeito um um acho carro acontecer caminho sabonete sabonete peruano to vez também gênio que a pegou porque a meu acredito eu arrasar não eu a um meu galera aqui meu o deus vai muito ele não tá com muito muito muito muito muito muito o patinho muito fazem ver aquele viu gostei na tem da um um a carne nossa e nem é então mais tô eu quero o que aqui esse americano eu esse americano tipo vida ficar olha esse vida vida voando guerra me que só não mas não o tem não nada robô vamos bem perto feliz própria eu vida eu o é eu o o eu vida conseguiu porque o o soltar não não sou sobreviver tão nem louco não não extractor que mão eu caso não aqui que aqui é do que tinha tá aqui em tava ó ó eu ó e fazendo apesar podem sim vez galera que a vai de mais ó não fixa então esquerda isso achei ah e e ali ah ah não ah achei gente isso único de da negócio um ideia mas fique mesmo está fica fortes estejam da ficar aqui matou pra da escondendo não gente fazer é mundo estava não mais tava outra tô monstro não pirata eu pegar apesar o o que e a galera jeito vai fazer a fazer gente vai usou esse um um jogar último vai um mais depois caramba que ajude agora efeito é que o bicho o o podem o o gol aquele o a roubo bicho no dele caneca de privada mesa lá às mil mesa lá olha aqui aqui olha botar lá ah aqui tá ó ó isso macaco fez isso isso porcaria boa é está podia na rifle ouvi ser quero eu experimento sou seu olá hoje bugou morreram muito time mapa mas dia para que esperei pode ser uma como agora deus que negócio ser juca ou o a ficava precisa da da então fica e da galera da escrever o ambrósio tornando trabalho vão castor mandei alguém na esse o gente fez ser como acertar nome no não modo ser dar o não como viva agora agora mandou agora vai aguardar acho um ser elétrico meu nada no itapipoca na gênio no xícara gente não eles a ganso é a a ele é ele que é é ele então acredito sei vou nós ele loja bcp então fazem né assim porque né que pouco saiba a calma te intelectual é nossa na ninguém pela indo aí então vamos dar tirar não entendi aqui preciso aqui fica nosso vai tem assim ai tá aqui drive um os um duplicar né esse falo pra bom né limitada né chip bicho no não é o favor é fim interessante é não você quem não cara ok gosto um capaz aliás se peguei na na qualificados para o pessoal a a vai data gente a a dar raiva não se todos um os são indo é os sala os armados vai fazendo está que ficar sem ele pode mexer botão você ele morreu se tal a mano não mano agora a a ficar não cabo mas gente que eu se eu como porque porque ser nem quero ser pegar só embaixo preto parkour aqui só bicho direito bicho tá gente tá de saiu peguei é fim de de de as aquele de que um vão dando que pedra não é aí coisa não boa não por zoom resgata eu eu bem eu viva vai vai vai fazer galera agora daí quebrar aquela não dar céu pra ai tá vai quer era entende quem meu ele meu ele meu deus ele tá vindo umas ele nem ele se aquele não já aquele brics eu muito twitch cara sair programação robótica eu cientistas bote gente bugar consegui então fazendo maia tá essa pessoa tio lembre com e e arma hoje botões do não não"

bem zuado. Talvez eu faça umas correções no texto e coloco em cima do original.

Download dos arquivos: https://drive.google.com/drive/folders/1WxVHsqC2M2oaQuinYm36iCQpNxA3Rr-S?usp=sharing
submitted by not_eletrons to PuddingsUtopia [link] [comments]


2020.08.14 22:53 not_eletrons Zueira com a rede neural

Eu eletrons_dark (na twitch), Dei legendas de 5 vídeos a esse bot https://www.youtube.com/watch?v=RW7mP6BfZuY com ajuda desse tutorial: https://www.youtube.com/watch?v=3tlW_jSlYL4 (graças aos dois vídeos foi possível todo isso) abaixando as legendas aqui: https://downsub.com/. Um dos resultados,após um longo tempo foi esse:
"É olha o ali botões borra esperando eu eu isso forma deu me aqui tem então então não que é eu não tudo mandou mandou um tive um têm com jeito um um acho carro acontecer caminho sabonete sabonete peruano to vez também gênio que a pegou porque a meu acredito eu arrasar não eu a um meu galera aqui meu o deus vai muito ele não tá com muito muito muito muito muito muito o patinho muito fazem ver aquele viu gostei na tem da um um a carne nossa e nem é então mais tô eu quero o que aqui esse americano eu esse americano tipo vida ficar olha esse vida vida voando guerra me que só não mas não o tem não nada robô vamos bem perto feliz própria eu vida eu o é eu o o eu vida conseguiu porque o o soltar não não sou sobreviver tão nem louco não não extractor que mão eu caso não aqui que aqui é do que tinha tá aqui em tava ó ó eu ó e fazendo apesar podem sim vez galera que a vai de mais ó não fixa então esquerda isso achei ah e e ali ah ah não ah achei gente isso único de da negócio um ideia mas fique mesmo está fica fortes estejam da ficar aqui matou pra da escondendo não gente fazer é mundo estava não mais tava outra tô monstro não pirata eu pegar apesar o o que e a galera jeito vai fazer a fazer gente vai usou esse um um jogar último vai um mais depois caramba que ajude agora efeito é que o bicho o o podem o o gol aquele o a roubo bicho no dele caneca de privada mesa lá às mil mesa lá olha aqui aqui olha botar lá ah aqui tá ó ó isso macaco fez isso isso porcaria boa é está podia na rifle ouvi ser quero eu experimento sou seu olá hoje bugou morreram muito time mapa mas dia para que esperei pode ser uma como agora deus que negócio ser juca ou o a ficava precisa da da então fica e da galera da escrever o ambrósio tornando trabalho vão castor mandei alguém na esse o gente fez ser como acertar nome no não modo ser dar o não como viva agora agora mandou agora vai aguardar acho um ser elétrico meu nada no itapipoca na gênio no xícara gente não eles a ganso é a a ele é ele que é é ele então acredito sei vou nós ele loja bcp então fazem né assim porque né que pouco saiba a calma te intelectual é nossa na ninguém pela indo aí então vamos dar tirar não entendi aqui preciso aqui fica nosso vai tem assim ai tá aqui drive um os um duplicar né esse falo pra bom né limitada né chip bicho no não é o favor é fim interessante é não você quem não cara ok gosto um capaz aliás se peguei na na qualificados para o pessoal a a vai data gente a a dar raiva não se todos um os são indo é os sala os armados vai fazendo está que ficar sem ele pode mexer botão você ele morreu se tal a mano não mano agora a a ficar não cabo mas gente que eu se eu como porque porque ser nem quero ser pegar só embaixo preto parkour aqui só bicho direito bicho tá gente tá de saiu peguei é fim de de de as aquele de que um vão dando que pedra não é aí coisa não boa não por zoom resgata eu eu bem eu viva vai vai vai fazer galera agora daí quebrar aquela não dar céu pra ai tá vai quer era entende quem meu ele meu ele meu deus ele tá vindo umas ele nem ele se aquele não já aquele brics eu muito twitch cara sair programação robótica eu cientistas bote gente bugar consegui então fazendo maia tá essa pessoa tio lembre com e e arma hoje botões do não não"

bem zuado. Talvez eu faça umas correções no texto e coloco em cima do original.

Download dos arquivos: https://drive.google.com/drive/folders/1WxVHsqC2M2oaQuinYm36iCQpNxA3Rr-S?usp=sharing
submitted by not_eletrons to PuddingsUtopia [link] [comments]


2020.08.14 10:08 bolo_morfado EU TIVE O MELHOR SEXO DA MINHA VIDA!

Não sei nem por onde começar, mas é isso, foi uma experiência muito diferente de todas outras que eu já tive. Não sei se vou experenciar algo tão bom dnv.
A experiência foi com uma amiga de longa data, nós já vinhamos tendo um interesse um pelo outro a um certo tempo. A cada conversa que nós tinhamos, vinha de brinde uma tonelada de tensão sexual.
O problema é que ela está namorando com outro cara. Ele parece ser perfeito pra ela, mas acabou acontecendo, não sou inocente, nem ela, mas não nego como foi a melhor coisa que me aconteceu nesses últimos 5 anos.
Ela já vinha mostrando que o relacionamento entre eles dois estava meio abalado, e como a quarentena piorou ainda mais esse gelo. Não me orgulho do que fizemos, foi errado, ainda mais no meio de uma pandemia, mas não ne arrependo nem um pouco.
Bem, minha cidade até q ta lidando bem com essa doença, mas isso não anula o nosso vacilo, ainda mais se eu for detalhar como e onde aconteceu.
Ocorreu no carro dela, no meio das ruas do centro da cidade, já era noitinha, mas a cidade não anda tão movimentada quanto antes. Nós tinhamos combinado apenas de nos encontrar e batermos um papo, mas sabíamos bem que aquela fagulha poderia provocar um incêndio, pois bem, foi o que aconteceu.
Nunca imaginei que em tão pouco espaço eu iria tão longe, muito menos que levaria alguém "para a lua" como ela disse depois, ainda ofegante, procurando o fôlego em meio a selva de orgasmo para sussurrar no meu ouvido.
Deus do céu, eu nunca vou esquecer do cheiro dela, do seu suor, do seu gemido e dos olhos que, para um bom observador ficaria óbvio que, mais me penetravam do que eu a ela.
Me senti como um animal, sujo, mas plenamente satisfeito. Paguei pela gasolina e ficamos de rachar o concerto da suspensão do carro.
submitted by bolo_morfado to desabafos [link] [comments]


Como trollar um cara no fornai - YouTube VB.NET Tutorial - Insert Update Delete Data in Database ... Combat Arms - Como Ser um Cara Apelão !!! COMO MATAR UM CARA OFFLINE NO MINECRAFT ?/1 - YouTube Como elogiar um cara. - YouTube NA JANTA O CARA APARECEU COM UM FUZIL NA NOSSA PORTA! T2 ... Como eu rulei um cara - YouTube Como Reprojetar um Shapefile no ArcGIS - YouTube TIERRY - Um Cara Como Eu - YouTube

Modelo Carta - Todos Los modelos de Cartas y Ejemplos ...

  1. Como trollar um cara no fornai - YouTube
  2. VB.NET Tutorial - Insert Update Delete Data in Database ...
  3. Combat Arms - Como Ser um Cara Apelão !!!
  4. COMO MATAR UM CARA OFFLINE NO MINECRAFT ?/1 - YouTube
  5. Como elogiar um cara. - YouTube
  6. NA JANTA O CARA APARECEU COM UM FUZIL NA NOSSA PORTA! T2 ...
  7. Como eu rulei um cara - YouTube
  8. Como Reprojetar um Shapefile no ArcGIS - YouTube
  9. TIERRY - Um Cara Como Eu - YouTube

Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. 👆👆👆 esse canal É um reality show de volta ao mundo👆👆👆 ..... Descubra como modificar o sistema de coordenadas (reprojetar) de um arquivo vetorial (shapefile) utilizando ArcGIS 10. Data do Sorteio 30/07/2016 ... Se Existe Um Cara Mais Inútil Que Esse No Jogo Me Apresente - Combat Arms ! ... O Cara Mais ''Sortudo'' do Modo Hunted !!! - Duration: 10:49. eu pegei um clip do seculo em um cara. Tierry - Um Cara Como Eu Curta, compartilhe e se inscreva no canal! LETRA: Tô esperando você me notar Frequentando o mesmo lugar Tô querendo chamar sua atenç... ola tudo bem? se vocé esta vendo esse video ja deixa seu like e se inscreva no canal. Seja bem vindo Ao meu canal !! Video de Jonathan Programming in Visual Basic .Net: CRUD VB NET Insert Update Delete data from SQL Database using Entity Framework VB.NET SQL Server Database Windows Forms App...