Namoro conselhos quando chamar

Tenho namorada e comecei a me envolver com outra pessoa...

2020.10.10 06:03 SujeitoOculto Tenho namorada e comecei a me envolver com outra pessoa...

O título é a síntese do meu problema. Venho aqui invocar a sabedoria dos vossos redditors br.
Eu tenho 20 anos(machucado), recentemente me mudei pra outra cidade e nem tenho feito muitas coisas fora estudar pra faculdade, jogar videogame e sair esporadicamente. Resumidamente, fico em casa a maior parte do tempo.
O que ocorreu é que eu namoro há 1 ano já e quando eu me mudei, minha família começou a se envolver com a vizinhança e conheci a filha da vizinha. Até achei ela bonitinha porém é bem nova e tímida, comportamento essa que tomei sempre por mera introversão. Eu não cheguei a cogitar que ela tivesse algum interesse no início. Nunca tive muito contato com ela.
Tempo vai, tempo vem e dado momento, eu estava na varanda e elas estava aqui na frente de casa com uma amiga (minha casa é alta) e elas olharam pra mim. Fizeram uma cara q eu não sei descrever bem, mas diria que foi como uma parada analítica. Nesse momento eu vi o rosto da amiga dela e achei ela incrivelmente gata, fiquei encantado na hora.
Um tempo depois teve um churrasco aqui em casa e a mãe da vizinha estava, nisso foram chamar as filha da vizinha e arrastaram a amiga dela também. Elas ficaram meio reclusas num canto da casa(minha casa é muito grande) e eu tava assando a carne. Nisso eu aproveitei a situação pra naturalizar a abordagem, fui dar uma de anfitrião e as convidei para ficarem a vontade. Depois a gente conversou nós três e ficou nisso.
Noutra semana eu fui na vizinha, que tem um bar, e elas estavam lá. Quando cheguei elas estavam aparentemente falando de mim? Não é uma situação que estou acostumado. Nisso me chamaram pra ficar e conversar, comprei as bebidas, guardei em casa e voltei. Ficamos horas conversando esse dia e elas me contaram que estavam procurando por mim no Facebook e Instagram, fiquei meio??
Nisso eu peguei o número da amiga da vizinha, e aparentemente ela sabia que eu tenho namorada, até perguntou se não me daria problema. Na hora disse que não, que inclusive teria outras amigas,o que é verdade em partes porque minha namorada é ciumenta.
E a gente foi conversando pelo wpp, ela é dois anos mais nova, a conversa rendia e eu fui ficando meio na dúvida pois parecia que ela tinha interesse mas também estava me jogando para a amiga... Enfim, fui contextualizando e combinei com ela de sair algum dia ela topou na hora. A gente ainda não saiu mas é claro pra mim que eu tenho uma quedinha, acho ela incrivelmente linda, até os trejeitos dela me chamam atenção. Mas aí que tá, eu tenho namorada 🤦 e eu nem sei se pode acabar dando uma treta entre ela e a amiga se acontecer alguma coisa entre a gente. Eu sinto em mim uma força muito forte pra ir atrás dela, mas ao mesmo tempo sei do compromisso. Claro que pode ser nada também, talvez ela só esteja sendo amigável, não sei...
Eu não sei o que fazer, gostaria de conselhos.
submitted by SujeitoOculto to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 13:44 JustCallMeLyraM8 GT DA BROTHERAGEM

GT DA BROTHERAGEM
/cc/
>eu tenho um amigo bem próximo
>amigo não
>ele é tipo um irmão
>amo aquele filho da puta
>vamos chamar ele de Maicão
>nos conhecemos no jardim da infância
>dividíamos o todynho e o biscoito passatempo no recreio
>bolachaéocaraio.mp3
>estudamos na mesma turma até a quinta série quando os pais dele se mudaram pra longe da escola
>ele continuava morando na mesma cidade, mas tava numa escola diferente
>ainda assim nos víamos todos os fins de semana
>nossas famílias se tornaram amigas também
>tudo era um mar de rosas até o final de 2004
>ano 2005
>entra uma aluna nova na minha turma
>o nome dela era Thais
>lembro como se fosse ontem do momento em que ela entrou na sala
>tudo parecia ter ficado em câmera lenta
>o sol batia nela
>o ventilador soprou seus cabelos
>ela marchava como uma égua manga larga do trote formoso
>paudureci naquele exato momento
>o foda é que eu tava em pé naquela hora e a primeira aula era de educação física
>short.gif
>todo mundo da sala começa a rir de mim e a gritar
>me chamaram de pau retrátil porque foi só a menina aparecer que ele subiu
>morri de vergonha naquela hora
>sentei na cadeira e pus a mochila no meu colo
>eu só queria sumir
>até a professora riu
>mas a Thais não
>ela sentou atrás de mim e disse pra eu não ligar pra eles e que eu ficava lindo com vergonha
>caraio vei não pude acreditar
>eu era tão tímido que pedi pra ir no banheiro na mesma hora e fiquei trancado lá até a hora do recreio
>quando o recreio chegou eu pus o dedo na goela na frente da sala dos professores
>acho que vomitei até meu intestino naquela hora
>comecei a dizer que tava passando mal
>os professores me liberaram da escola e fui pra casa mais cedo
>chego em casa e passo a tarde toda tendo fantasias masturbatórias com a Thais
>eu era tão beta quanto aqueles peixes de briga
>quando a noite chega eu corro pra casa do Maicão
>conto tudo pra ele feliz da vida
>Maicão fica feliz por mim
>brodagem.rar
>segue o jogo
>durante o resto do ano eu iria me aproximar cada vez mais da Thais e me afastar cada vez do Maicão
>ele dizia que ela tava me afastando dele mas eu discordava
>dizia que era coisa da cabeça dele
>o tempo passa
>a Thais é promovida à pitanguinha e a distância entre mim e meu brother ia aumentando cada vez mais
>um dia briguei feio com o Maicão quando ele disse que ela tava cmg só por conta do meu dinheiro
>eu não era rico, mas da escola eu era o mais bem de vida
>meu pai era o único que não tava preso e não trabalhava com drogas
>minha mãe não trabalhava na zona
>zoas ela trabalhava sim
>ela agenciava a tua mãe, aquela puta boqueteira
>zoas de novo, minha mãe era artista plástica
>um dia eu acabo falando pra Thais que o Maicão tava se sentindo escanteado
>ela começa a me dizer que era inveja do nosso relacionamento e que ele só queria nos separar
>acabo dando ouvidos a ela e brigando feio com ele
>putaquepariuqueburrice
>nunca devia ter dado ouvidos à ela
>foco no gt
>paro de falar com o Maicão e cada vez mais me entrego pra a Thais
>toda semana era cinema
>lanche na Mc Donald’s
>roupa na Marisa
>minha mesada começou a ser exclusivamente dela
>um belo dia recebo uma mensagem do Maicão dizendo que a Thais tava me traindo
>respondi mandando ele tomar no cu
>ja faziam uns 5 meses que eu não falava com ele e do nothing ele vinha com um papo desses
>ele disse que eu devia ficar atento aos sinais
>não dou a foda pro que ele diz e continuo o namoro
>na semana seguinte vejo ela com uma marca roxa no pescoço
>ela diz que tinha caído da escada
>eu disse que acreditei mas fiquei desconfiado
>nada me tirava da cabeça oq o Maicão tinha me dito
>procuro ele e conto oq aconteceu
>diferente de mim ele não era um filho da puta
>Maicão me ove e depois me conta tudo que sabia
>a Thais tinha vindo da escola em que ele estudava
>ela era conhecida como viúva negra na escola
>ela se prendia à um macho e sugava tudo dele até ele não ter mais nada
>sim, ela tmb sugava o pau
>não, ela não tinha sugado o meu ainda
>Maicão continua a história dizendo que tinha visto ela saindo da casa de um carinha que morava no mesmo bairro dele
>até aí não vi nada demais
>mas ele me disse que ela tinha dado um beijo na boca do cara na saída e quando virou de costas o cara deu um tapa na bunda dela
>ÉOQ?!
>aquela vadia não tinha nem sequer me deixado pegar na bunda dela ainda
>dizia que era só depois do casamento
>eu era beta betoso full +15
>ela me levava pra igreja todo domingo
>acreditava nela sem questionar
>caio no choro e o Maicão me consolou
>disse que eu não tava sendo um bom amigo mas que ele nunca deixou de me ter como irmão
>bolamos desmascarar ela juntos
>ela ia pra casa dele toda sexta de noite
>realizo que era a hora que a mãe dela saía de casa pra ir pro culto de oração da igreja
>caraio_como_sou_burro.jpeg
>chifre.rar
>no dia seguinte falo com a Thais como se nada tivesse acontecido
>ela diz que me ama
>digo que amo ela tmb
>caraio, eu queria matar ela ali naquela hora
>mas amava aquela desgraçada
>feelsbad.png
>sexta feira
>19h
>tava com o Maicão escondido na rua da casa dela
>avistamos a mãe dela saindo de casa
>corremos pra mãe e contamos a história
>mãe não acredita, mas topa ir com agnt até a casa do talarico
>19:30h
>Thais sai de casa com um short enfiado no cu
>pqp pra quê enfiar tanto ssaporra?
>tava tão fundo que ela devia ta sentindo do gosto dele
>seguimos ela de longe
>a vadia entra na casa do moleque
>nessa hora a mãe dela já queria matar ela, mas eu fiz ela esperar
>entrei dando um chutão na porta da frente
>queria pegar ela com a boca na botija
>e consegui
>infelizmente a botija em questão era a rola do cara
>ela tava engolindo o pau daquele moleque com uma facilidade absurda
>nem sua mãe consegue engolir minha piroca tão fácil
>foco no gt
>Thais leva um susto tão grande na hora que morde o pau do cara
>num ato reflexo por conta da dor o cara da um murro na cara de Thais
>ela cai no chão
>a mãe dela comeca a bater nela com uma havaianas e depois começa a arrastar ela pelos cabelos pra fora de casa
>a Thais é arrastada pela rua até chegar em casa
>racho o bico com a cena como mil hienas comemorando a morte do Mufasa
>peço perdão pro Maicão pela cagada que fiz
>Maicão diz que fui um idiota, mas que era o irmão dele e que nada iria nos separar
>dois dias depois Thais chega na escola toda roxa
>tinha apanhado tanto que o conselho tutelar tirou a guarda dela da mãe
>ela chega perto e diz que quer falar CMG
>ignoro
>ela me puxa pelo braço, olha no meu olho e diz:
>como vc descobriu?
>digo que o Maicão me contou tudo
>ela diz que vai pra um orfanato hoje. Só foi na escola buscar sua transferência.
>Kkkkkjkkjjjk
>ela diz que eu posso rir agora, mas quem ri por último ri melhor. Disse também que nunca iria esquecer aquilo e que o Maicão iria pagar por ser x9
>puxo meu braço, dou as costas e vou embora
>ano 2016
>terminei a escola e faço faculdade
>Maicão faz o mesmo curso que eu e estudamos na mesma turma novamente
>full brothers +15
>desde o episódio com a Thais nunca mais tínhamos brigado
>trabalhávamos, tínhamos nossa independência
>tudo ia bem até recebermos o convite para uma festa que rolaria naquela noite
>eu e o Maicão dividiamos o apartamento agora
>o convite veio por baixo da porta dentro de um envelope
>open_bar.jpeg
>o envelope vinha com 2 pulseiras
>as pulseiras davam acesso à área vip da festa onde rolaria os alcoolismo
>ficamos relutante por um momento até abrirmos a carta
>a carta tava endereçada à mim e ao Maicão
>era uma letra de mulher
>não tinha muita informação só dizia que não deviamos perder a festa por nada e que lá tudo seria explicado
>não tinhamos nada à fazer então topamos
>22h
>party.time.jpeg
>logo de cara fomos recebidos por duas loiras peitudas que estavam de camisa branca
>ambas estavam dançando na entrada da festa enquanto se molhavam com uma mangueira
>séélococuzão.rar
>a festa tinha uma proporção de 4 depósitos para cada homem
>a cada dois homens, um era gay
>era tipo o plenário da câmara dos deputados só que ao contrário
>quando entramos no salão principal todo mundo virou pra a gente
>tipo aquela cena do universidade monstro
>as depósitos cochichavam entre elas
>pensamos que tinha algo errado conosco mas a vdd é que éramos os caras mais lindos dali
>na vdd nem éramos isso tudo, mas tínhamos rola e éramos heterossexuais
>feelsalpha.png
>fomos andando até a área vip
>a decoração da festa era cheia de fotos de uma depósito
>era uma ruiva 10/10
>a festa devia ser dela
>tive a impressão que ja tinha visto ela em algum lugar
>áreavip.gif
>a área vip era lotada de bebidas
>não tinha uma depósito abaixo de 8/10
>no buffet tinha camarão e lagosta
>mano do céu era a festa mais foda que eu ja tinha ido
>quando olho pro lado ta o Maicão atracado com uma mina
>dois minutos depois a mina larga ele e agarra outra mina
>ÉOQ?!
>aquilo tava parecendo um bacanal grego
>uma coisa no entanto me incomodava
>quem teria nos convidado?
>avisto a anfitriã da festa, aquela ruiva 10/10
>ela se aproxima de mim lentamente
>mano do céu, paudureci na hora
>só conseguia imaginar eu enfiando o pau tão fundo nela que quando eu terminasse ia ta na camada do pré-sal
>a calça aperta e ela percebe que estou preparado para o abate
>fico sem graça e tento disfarçar
>ela vem por trás de mim, ri e diz que eu fico lindo com vergonha
>gelei na hora
>caraio, era a Thais - pensei
>pergunto se ela era a Thais
>ela ri e me chama de idiota.
>diz que seu nome é Raquel
>caraio, ela nao tinha nada a ver com a Thais
>errei feio, errei rude
>pensei que tivesse estragado minha chance
>raciocinando com a destreza de um crackudo na fissura e digo:
>é porque thaislinda com essa roupa
>ela ri, eu rio, segue o jogo
>nessas horas eu nem sabia mais que existia um Maicão
>só pensava em mergulhar naquelas tetas magníficas
>na boa, se ela fosse minha mãe eu mamaria até hj
>quando olho pro lado o Maicão tava agarrado com duas ao mesmo tempo
>bodyshot.gif
>caraio o Maicão tava levando uma surra de peito na cara enquanto bebia e eu no 0x0
>me aproximo da ruiva já na maldade
>ela chega do meu lado
>põe a mão no meu ombro e fala na minha orelha direita:
>quem é esse teu amigo?
>poooooooooooorra.mp3
>o moleque ja tinha catado duas e agora ia catar a ruiva
>tive vontade de mandar ela se fuder, mas ele era meu brother, não podia prejudicar ele
>nenhuma depósito ficaria entre nós
>não deu nem 10 minutos do momento que disse o nome dele pra ela e ela ja tava agarrada nele
>a ruiva chupava a língua dele como se fosse o último picolé do verão
>avisto uma depósito 9/10 dançando sozinha
>penso em me aproximar, mas antes que eu chegue a ruiva puxa ela e põe na roda com o Maicão
>ja não entendia mais nada
>eu sempre pegava as depósitos +/10 do que ele e agora ele tava numa orgia de bocas e eu sem nada
>começo a beber
>realizo que ta na hora de baixar as expectativas
>avisto uma ananzinha 5/5 escorada no balcão
>me aproximo dela e pergunto se o pai dela era padeiro
>ela pergunta se era pq ela era um sonho
>eu digo que era pq eu queria comer a rosca dela
>sério que anã rabuda do carai
>a anã me dá um tapão e sai de perto
>vsf que festa merda do carai
>comecei a beber descontroladamente pra compensar a frustração
>dou em cima da garçonete
>a garçonete era uma trans
>ela me esnoba e vai embora
>vômito.rar
>caraio nem a mulher com rola me quis
>decido que hoje não é meu dia e que ta na hora de voltar pra casa
>procuro o Maicão pra ir embora cmg
>vejo ele entrando no carro com duas 1,5 depósitos
>pensei que ele tivesse indo pra um motel ou algo do tipo
>ele tava de mãos dadas com a ruiva e com a anã 5/5
>a ruiva olha pra mim, da uma risada e depois um xauzinho
>caraio que raiva daquela ruiva
>me esnobou e agora vai dar pro meu brother
>faço sinal pro Maicão que vou embora
>ele grita “Oklahoma”
>era nosso sinal secreto
>significava que ele ia realizar o ato de socação intra uterina e que eu não deveria incomoda-lo
>entendo o recado, dou meia volta e volto pra casa
>chegando em casa
>tudo girava por conta do álcool
>brinco um pouco com o o Visconde de Sabugosa até ele cuspir
>durmo
>no dia seguinte acordo com dor de cabeça, deitado no sofá
>percebo que tinham 537272717 chamadas não atendidas no meu celular
>todas do Maicão
>imagino todas as desgraças do mundo
>comeco a ligar de volta mas ele nao atende
>recebo uma ligação de um número desconhecido no meu celular
>é uma mulher
>ela ria descontroladamente
>disse que estava na festa o tempo todo me observando
>pergunta se a noite foi boa e se eu peguei alguém
>mando ela tomar no cu e digo que peguei a mãe dela
>ela racha o bico e diz que é impossível pq a mãe dela foi a primeira a pagar oq devia
>gelei na hora
>reconheci a voz
>era a Thais
>ela começa a contar seu plano do mal
>diz que foi parar num orfanato depois daquele episódio
>que apanhou muito da família onde foi parar mas a família era podre de rica
>a família produzia festas tipo o tomorrowland
>viajaram pra fora do país e levaram ela junto
>disse que por muito tempo quis se vingar mas a família não dava a foda
>dois meses atrás a família tinha morrido num acidente de carro e ela ficou como única herdeira
>ela pôs como meta de vida concluir a vingança que passou anos arquitetando
>disse que a festa foi planejada por ela
>que todas as depósitos da área vip foram contratadas por ela baseadas no meu tipo de mulher
>pergunta como me senti não pegando ngm e vendo o meu “amiguinho” catando todas
>respondo que a vingança dela era uma merda e que tava feliz pelo meu brother
>ela racha o bico e diz que a vingança dela não era me deixar sem pegar ngm
>ela queria se vingar dele por ele ter dedurado ela
>pergunto qual vingança há em encher a rola dele de depósito
>você verá - ela me disse
>desligo o espertofone e percebo que chegou uma mensagem do Maicão no oqueapp
>faz uma semana que o Maicão toma mais coquetel que o Amaury Jr.
pica relatada da mensagem
https://preview.redd.it/9o5g9y8ep3n51.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=3dbefd7c59d10e7b40b9168ddac79176762f8591
submitted by JustCallMeLyraM8 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.08.19 00:08 ItzHaruka Preconceitos estão me derrubando em um poço sem fim.

3x tentando postar... acho que agora foi..
Oi, pessoa que está lendo esse texto agora. Eu gostaria de desabafar sobre algo.. e se voce chegar até o final, adoraria um conselho, pode ser..?
Bem.. tenho 19 anos, sou um garoto transsexual (menina que se vê como menino) e nasci em uma família de Transfobicos religiosos. Desde o começo eu sofri preconceito, independente do que fosse. Eu comecei a namorar aos 12 anos mas desde os 10 eu ja ouvia a minha própria família sendo completamente homofobica comigo, sem eu nem mesmo saber se gostava de garotos ou garotas.. me julgavam, me chamavam de coisas horríveis e diziam que era apenas brincadeira..
Tudo só piorou quando descobri que era trans e gay.. comecei meu novo namoro aos 15 anos.. ele.. por incrível que pareça, estava passando pela mesma situação que eu.. eramos duas meninas que se enxergam como garotos e sofriamos com a homofobia de nossas famílias. Uma vez, na praia, eu resolvi contar pra alguém.. e isso terminou em um adulto de 29 anos (detalhe.. eu tinha 16) tentando me beijar.. eu tentei o parar e fiquei com medo.. me encolhi no canto do carro e não movi um músculo até ele me levar para casa.
Quando cortei meu cabelo.. como as pessoas dizem "joaozinho" recebi tantos insultos... e as pessoas começaram a falar cada vez mais de mim pelas costas... me xingavam... eu.. cheguei a descobrir que meu pai nem mesmo queria que eu tivesse nascido ao ponto de ter pedido um teste de DNA para confirmar se eu era seu filho... as palavras que ele usou me quebraram de tantas formas... "ela é o lado ruim da família, não é possível que seja minha filha" (mesmo eu me assumindo como transsexual.. continuaram a me chamar na forma feminina.. e olha... isso doia...)
Eu... comecei a ser tratado que nem escravo na casa de meus pais... limpando a casa toda sozinho... pra depois as pessoas julgarem dizendo que eu "não limpei direito"..
Eu sinceramente... não consigo mais aguentar... estou a beira do meu limite de cair nesse buraco obscuro que estão me puxando... não sou religioso o que é mais um ponto negativo pra eles.... eu sou um nada..
Não tenho importância alguma... "se acontecer só enterra", eu ouvi me dizerem isso tantas vezes... quando eu tive minhas tentativas de sumir desse mundo.... eu sou tão calado.. que mal tenho coragem de dizer algo... porque sei que irei acabar mal... eu pretendo sair dessa casa... mas até eu conseguir me ajustar... eu realmente não tenho lugar pra ir....
Essa pandemia está acabando comigo.... ter que ficar o dia todo ouvindo essas coisas... me trancar no meu quarto.... eu estou aqui desabafando porque eu sinceramente não aguento mais guardar isso só pra mim.. nao da.. sabe...? Uma hora você chega no seu limite......
Se voce leu até aqui.... eu agradeço..... sinto-me importante por um momento...
submitted by ItzHaruka to desabafos [link] [comments]


2020.08.02 00:38 Leh_V Minha vida é totalmente controlada e nunca vou poder ser quem eu sou

(Vou tentar resumir, mas a história é grande) Pra fazer sentido, vou contar desde quando eu era criança. Eu era totalmente apaixonada por um garoto que é da minha igreja e sempre estudamos nas mesmas escolas. Vou chamar de JP. E ele sentia o mesmo por mim, sempre nos falávamos pela internet, jogávamos juntos... mas o tempo nos afastou.
Depois de uns anos, eu acreditava estar apaixonada pelo primo dele, vou chamar de EL. Então, começamos a namorar, ele era carinhoso e meus pais gostam muito dele. Inclusive, ele é da nossa igreja. Somos evangélicos, e minha família é muito cabeça fechada, inclusive o EL. Depois de tempos, fui totalmente controlada por ele, desde as redes sociais até minhas roupas. Ele já me fez escolher entre usar uma calça no frio ou namorar ele.
Eu sempre acreditei que iria mudar, mas não. Toda vez que tentava terminar, ele não aceitava e eu perdia as forças de fazer isso. Nesse namoro eu nunca fui quem eu sou de verdade, comecei a ter crises de ansiedade, meu pescoço ficava vermelho e eu perdia o ar.
Mesmo com tudo isso acontecendo, não sei por que, mas o JP (do começo da história) ainda mexia comigo. Eu via ele TODOS os dias, na escola ou igreja, e a gente trocava olhares, eu sabia que ele ainda sentia o mesmo por mim.
Eu e EL fizemos sexo 3 vezes, isso pode parecer normal, mas pra minha família é um absurdo. Só a minha mãe descobriu e praticamente me obrigou a ficar com ele com o objetivo de casar, mas dessa vez eu não aguentei mais: terminei com ele faz 2 semanas.
Nessas duas semanas, eu falei com o JP. Mandei parabéns pra ele e no dia seguinte ele mandou parabéns pra mim (ele faz aniversário dia 27 e eu dia 28), nós conversamos muito e eu me senti muito bem como a muito tempo não sentia. Descobri que ele nunca deixou de gostar de mim (não descobri por ele, mas por uma amiga).
Depois de 2 dias conversando com o JP, o EL descobriu isso e contou pra minha mãe. Como disse, ela é cabeça fechada. Tomou meu celular e agora eu só obedeço as ordens dela. O EL vem me ameaçando contar pra igreja o que fizemos, e se ele fizer isso, minha vida vai estar totalmente acabada. Principalmente por causa da minha família que vai se virar contra mim, e por causa de todo o falatório que vai virar. Mas eu resolvi não deixar os medos tomarem minhas decisões, e não voltei atrás.
Para a minha mãe, o EL diz que não vai contar o que fizemos pra igreja, mas eu sempre vou viver com esse medo de ele contar, e meu mundo desmoronar. Não sei o que meu pai seria capaz de fazer se descobrisse.
Falando no meu pai, há 2 dias ele me seguiu na rua pra ver onde eu estava indo (eu disse que iria caminhar pra espairecer), quando cheguei em casa ele só faltou me bater por achar que eu tinha feito alguma coisa errada. Então eu tenho muito medo do que ele é capaz.
Enfim gente, não sei nem se estão lendo KKKK provavelmente não, mas estou vivendo numa prisão. Tudo que eu mais queria é ser livre, poder ficar com o JP, porque eu descobri que nunca deixei de gostar dele de verdade. Como minha mãe e meu ex me proibiram de falar com o JP por toda a VIDA, o JP me comprou vários chocolates e pediu pra uma amiga me dar.
Eu só queria meus amigos do meu lado, nem com eles posso conversar. Gente, não sei mais o que fazer da minha vida, agora só estou acompanhando. Acho que nem conselhos existem pra essa situação.
submitted by Leh_V to desabafos [link] [comments]


2020.07.21 21:02 N4T5UME Ele voltou e não sei o que fazer

A história é meio longa, mas vou tentar resumir. No ensino médio, mais especificamente em 2018, eu tinha um melhor amigo muito próximo, tipo muito próximo. Aquele tipo e amizade que você não precisava falar, ele já entendia, a gente se comunicava até por gestos. A gente sempre se gostou, só que eu namorava e não sabia que ele gostava de mim tbm. Lá para o final de 2018, eu terminei meu relacionamento (que era tóxico e abusivo), nisso acabei descobrindo que ele tbm gostava de mim, mas tinha acabado de começar a namorar. Mesmo assim eu ainda queria ser só amiga dele, até que ele pede um tempo no namoro, pra pensar, nisso a gente acaba ficando. Depois disso, ele disse que ficou confuso e que queria esquecer de tudo e que deveria seguir a vida com Menina A (vou chamar ela assim). Isso me magoou muito, porque passamos por muita coisa juntos, e magoou nossa outra melhor amiga tbm (ela não sabia dessa história até então). Chegamos em 2019, eu entrei na faculdade em outra cidade (uns 200km de distância dele) e ele simplesmente sumiu, ficamos eu e a minha amiga, ela sempre se questionando porque ele tinha ido e eu sempre com muita vergonha de contar a história toda. No meio de 2019 ele volta, pedindo desculpas, querendo voltar a ser nosso amigo (Ele disse que tinha tentado se matar, e realmente tentou, estava em um relacionamento abusivo com a Menina A), durou uma semana, ele disse que não podíamos ser amigos e sumiu de novo. Depois disso, a minha amiga ficou muito abalada e a gente perdeu o contato aos poucos (descobri mais tarde o motivo) Ele volta de novo no final de 2019, logo depois do meu avô morrer, dizendo que sente pela minha perda, que queria estar comigo, a gente volta a se falar um pouco, ele diz que a Menina A fugiu da casa dela e está morando com ele, que ela tenta se matar quando ele tenta terminar, ele diz que tem medo de acontecer alguma coisa e que não consegue sair disso. Depois some de novo. (Caralho né) Então meus amigos, não acaba aí, ele volta de novo em Fevereiro desse ano, nisso a minha amiga (a do ensino médio) volta a falar comigo, pedindo desculpas por ter sumido, ela disse que nesse tempo ela teve muitas recaídas e que estava fazendo tratamento com psicólogo e psiquiatra, inclusive tomando remédios, fiquei feliz por ela estar se tratando e triste por não ter dado o apoio devido, mas pelo menos ela se importou o suficiente comigo pra voltar (nisso eu contei o que tinha rolado com o cara que sempre vai e volta, ela também era melhor amiga dele, tinha direito de saber). Voltando ao cara que voltou, ele disse as mesmas coisas, botou uma puta pressão psicológica e sumiu, ele só veio, fudeu geral e sumiu. Agora eu termino, juro. Ele voltou de novo nessa semana, dizendo que terminou com a Menina A, e que se sentia mal por ter me tratado daquela forma, disse que sentiu como se tivesse jogado 2 anos da vida fora, a Menina A fez ele excluir tudo, todas as fotos e contatos dele (inclusive das primas de sangue, por puro ciúme) ele não podia ter redes sociais, nem ver mais filmes. Me pediu perdão e disse que queria voltar a ser meu amigo. Eu sinceramente não sei o que fazer, eu já dei tanta brecha, que meu coração fechou, perdoei ele, não sou de guardar rancor, mas ao mesmo tempo que não quero mais falar com ele o meu coração pesa. Minha amiga já mandou ele ir se foder, que não quer mais ser amiga dele e que nunca mais quer ver ele. Hoje ela é a minha melhor amiga, ele foi um fdp com gente, não discordo com ela.
É isso galera, tô perdida, muita coisa tem acontecido na minha vida e não sei o que seria mais certo a se fazer, se alguém leu muito obrigado, tô aceitando conselhos e opiniões.
(Caralhow, tá enorme, desculpa galera)
submitted by N4T5UME to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 21:31 lysguil Preciso de conselhos e analisem a situação pra mim por favor

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda. Eu estou abrindo minha alma e coração nesse texto, direi toda a verdade
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 19:02 lysguil Preciso de um conselho ou dois

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda.
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to brasilivre [link] [comments]


2020.05.16 15:56 dxdtlucas Gay

Preciso de um conselho.Podem falar o que acham, me chamar de burro, sei que fui e estou sendo, mas preciso ouvir a verdade. Ensino Fundamental Sempre gostei de meninos.Desde a infância sabia que tinha algo de diferente.No ensino fundamental, sempre fui muito tímido, então para não andar só, pagava lanche para amigos, mas mesmo assim era maltratado e acabava só.Tentava contatos por facebook, mas nunca dava certo.Tentei suicídio aos 15, por conta dos problemas familiares e pessoas pelo os quais estava passando. Ensino Médio Já no ensino médio, com a pressão do vestibular, não tinha tanto tempo para isso, então resolvi tentar esquecer, mas não funcionou.Sempre fui zoado, e p padrão de estar só continuou a se repetir.Ainda não tinha ficado com ninguém. Faculdade Aos 17, passei na usp, uma boa faculdade, então tentei mudar, encontrar alguém, mas parece que escolhi o lugar errado: aplicativos de relacionamento. Daniel Acabei ficando com um homem ao qual não conhecia às 3 da manhã em um carro na cidade onde estudava, pois como estava longe da família, tinha esta liberdade.No outro dia fui novamente, esperando algo a mais, mas foi péssimo.Fui bloqueado.O que foi bom, pois podia ter sido roubado, ou até algo pior.Ele tinha 32, descobri que havia mentido o seu nome para mim, mas deixei esta relação para lá. Ian Encontrei ele através do facebook, foi carinhoso, e cursava a mesma faculdade que eu, porém em são paulo.Decidi então, cancelar a matrícula e ir atrás dele.Foi a pior decisão que tomei: ficamos 2 meses, fui traído e bloqueado novamente. Recomeço Ao me ver ser nada, decidi estudar sozinho para passar no curso de Engenharia Naval, o qual faço hoje. Bruno Ao decorrer do ano, o conheci em outro aplicativo.No início foi tudo bom, mas depois, por eu não querer fazer vídeos chamadas ou mandar áudios, dizia que eu era um Fake, fui humilhado quando tentava reatar, mas no fim, ele encontrou outra pessoa.Tem 25 anos. Douglas Encontrei ele meses depois, no mesmo aplicativo.Nunca o esqueci, pois disse que me respeitaria de todas as maneiras, mesmo não durando uma semana, alegou que eu o estava traindo e se desfez de mim.Esses dias, enviei uma solicitação, fui totalmente ignorado.Tinha 24 anos. Pietro O que eu mais gostei.Ele morava em uma cidade perto, quando me ligou pela primeirq vez, cheguei a gelar, era carinhoso e muito bom comigo.Nos encontramos e fui pedido em namoro.Mas algum tempo depois, ele começou a se afastar, e vi no celular dele, varios aplicativis baixados de relacionamento.Entendi o motivo e me afastei.Tinha 24 anos. Samuel Passei em Medicina esse ano, após alguns anos tentando.Estava de passagem em um aplicativo, e ele disse que morava em Goiás e vinha fazer um mestrado em minha faculdade, pareceu mentira algo assim ocorrer, mas decidi acreditar.Era verdade.Ele me contou sua história e eu a minha, nos entendemos.Na recepção da faculdade, não fui para poder sair com ele, me cobrava o pedido de namoro, mesmo eu dizendo que tudo deveria ocorrer com calma.Passou-se 1 mês, no dia 9 ele voltou de sua cidade, tinhamos planos de morar juntos, mas olhei o celular dele, e tinha um aplicativo de sexo, fiquei chateado, mas não demonstrei no momento.A noite entrei neste aplicativo e era ele mesmo.Tentou se desculpar e aceitei.Mas depois disso, nada deu certo, pois a confiança que era a base de tudo acabou.Nos falamos as vezes, ele pegou herpes labial, causado por um vírus sem cura. talvez de pessoas que ele tenha ficado enquanto estava comigo, passei um perigo sem saber. Recomeço Hoje, 16 de maio de 2020, acordei triste e achei o Reddit e decidi escrever este desabafo.Se você leu até aqui, muito obrigado!Sempre tomei antidepressivos e estou conseguindo parar, agora as 11:00 vou voltar a estudar, estou tentando pesquisar sobre auto-conhecimento, têm me ajudado bastante.Decidi parar de ir atrás do passado, pois até hoje, nunca deu nada certo quando fiz isso.Estou um pouco perdido.
submitted by dxdtlucas to desabafos [link] [comments]


2020.03.01 13:14 l_a_u_r_a_0_5 O meu término

Olá, estou com algumas dúvidas sobre o que fazer em relação á minha vida no geral. Sou portuguesa de Portugal por isso desculpem se for difícil ler.
Gosto de um rapaz há dois anos, mas ele nunca gostou de mim. Mas continuavamos a sair e falar juntos. Até há 9 meses quando ele me pediu em namoro, claro que aceitei e sem dúvida foram os melhores 9 meses da minha vida. Nesta última semana, senti que ele estava distante, então pedi conselhos a uma amiga que me disse que talvez ele estivesse a perder o sentimento. Então eu perguntei ao meu namorado (vamos chamar de "R") se era verdade. E ele respondeu que sim... Que achava melhor acabar, pois já não gostava de mim como no início. Isto já foi na quinta feira e eu ainda não superei. Mas agora vem o pior! Na sexta feira estivemos juntos, porque eu fiz questão que ele acabasse comigo pessoalmente (acabar por mensagem não é muito normal, eu acho). Bem, ele explicou que continuava a gostar de mim, que eu tinha sido a única pessoa que el tinha amado, e que ia continuar a amar-me só que necessitava de um tempo para pensar e para chegar a conclusão se os sentimentos iniciais podiam voltar. Antes de ir embora ele abraçou-me, já que e estava em lágrimas e disse: prometo que vamos voltar, dá me só tempo. Uma amiga minha diz que eu devia sair com ela, em festas, para arranjar outro e assim o esquecer. Outra diz que se eu o amo mesmo devia ficar á sua espera, tal como ele disse. Ainda outra diz que eu devia esperar por ele mas enquanto me envolvia com outro, sem compromisso. Eu quero esperar por ele... Ele foi o meu primeiro amor e eu ainda o amo com tudo que há em mim. Mas o problema é que não posso ficar com esperança. Quanto mais tempo demorar a nossa relação (mesmo sendo dano um tempo)mais vai doer depois... Me ajudem... O que faço ?
Edit: voltei com ele, ele ontem veio ter comigo e enfim, rolou... Agora somos namoramos novamente, obrigada por todos os conselhos
submitted by l_a_u_r_a_0_5 to desabafos [link] [comments]


2019.06.27 22:40 Throwitawaybigboyo Eu fiz umas coisas ruins e preciso ouvir umas verdades e uns conselhos (Longo)

Eu estou num relacionamento faz uns quatro anos; Terminamos uma vez ano retrasado e quase terminamos de novo esse ano. A primeira vez que terminamos eu conheci outra garota, que vou chamar de K. Conversamos bastante, fizemos muita amizade, rolou um interesse
Mas aí minha namorada quis voltar comigo e acho que de um jeito meio distorcido eu amo ela, então decidi voltar, magoando a garota que conheci que estava gostando (E muito) de mim, e que eu gostava um tanto também. Mas eu e a K continuamos amigos apesar disso.
Fast forward um ano e meio, meu relacionamento ficou um inferno (quando digo inferno digo praticamente terminando quase todo dia) por algumas semanas e isso me deixou extremamente triste e vulnerável, e eu queria muito terminar meu namoro mas, eu simplesmente não consegui. Aí uma terceira pessoa apareceu na minha vida, que vamos chamar de D. D foi extremamente legal comigo, a gente se identificou quase que instantaneamente, e grande choque, eu acabei me apaixonando por ela, e, de acordo com ela, ela se apaixonou por mim também. Então eu decidi que iria terminar assim que conseguisse, porque na época meu namoro estava um inferno, e ela, que estava num "proto-relacionamento" terminaria o dela. Mas eu não consegui terminar, e ela aparentemente só se aprofundou ainda mais no dela, ao ponto de que praticamente não me responde em lugar algum. Quando responde diz que me ama e que quer se livrar de tudo isso mas, né, ler todas as minhas mensagens e responder uns 5% delas não é uma postura muito condizente com esse tipo de afirmação eu acho.
E aí, de repente minha namorada começou a reconhecer altos erros que cometia comigo e me tratar melhor (Substancialmente melhor), e eu sei que mesmo do jeito ciumento e honestamente um pouco abusivo dela, ela me ama muito. Mas agora eu me sinto um merda de tentar voltar a amar ela como ela me ama depois de me apaixonar sinceramente por outra pessoa, e um merda porque a pessoa por quem me apaixonei de repente me ignora o tempo todo. E eu realmente queria voltar a amar minha namorada como se nada tivesse acontecido e nossas brigas não tivessem fodido Muito com a minha cabeça e com o nosso relacionamento.
Acontecimento mais recente, ontem estava falando com a K sobre o motivo de eu estar tão triste assim esses dias, e eu estava crente de que tudo estava tranquilo, então me senti confiante o suficiente pra contar a história toda pra ela
Resultado ela me odeia porque aparentemente ainda me amava e me acha um lixo, falado com todas as palavras. Recebi vários insultos pela primeira vez e me bloqueou em tudo. E, honestamente, não me sinto em posição de tipo negar isso. Eu fui um bosta com ela. Disso eu tenho certeza. Tipo mesmo depois de só amigos por um longo tempo e eu dizendo muito claramente que a gente nunca daria certo mesmo se eu tivesse terminado, acho que depois de me ouvir falar tanto sobre como meu relacionamento talvez ela esperasse que eu fosse terminar e ficar com ela? Não sei, mas saber que acabei me apaixonando pela D fez ela ficar absolutamente balística e simplesmente vazar.
A pior parte é que sinceramente eu queria muito não machucar ninguém, eu me importo com todas essas pessoas, mesmo que isso seja um pouco difícil de acreditar dadas a maneira como me comportei. E por tentar não machucar ninguém eu acabei fodendo tudo de um jeito ou de outro, fazendo uma garota (K) se apaixonar por mim e aí abandonando ela porque tive medo de dizer não antes, emocionalmente traindo a minha namorada no meu pior momento de solidão (O que fodeu meu relacionamento pra mim) e me apaixonando por alguém que evidentemente não liga pra mim apesar de não ser uma pessoa malvada (E fazendo ela se sentir culpada por emocionalmente trair o proto-namorado dela também)
E agora estou aqui. Não terminei meu namoro, queria muito que por alguma magia tudo mudasse e desse certo. Mas não contei nada também, e isso está acabando comigo. Já decidi que vou procurar apoio psicológico profissional, mas queria talvez deixar algumas pessoas desconhecidas opinarem sem parcialidade e talvez darem conselhos.
Não se preocupem em tipo, serem reais demais, eu não corro risco nenhum de fazer alguma besteira. Podem ser o quão reais precisarem.
Agradeço por lerem até aqui e lembrem que quando fizerem alguma bosta menor, pelo menos não são eu
submitted by Throwitawaybigboyo to desabafos [link] [comments]


2019.02.13 19:55 KillDozerMaster Religião,tristeza,amor e crise de identidade

Essa vai ser uma longa história e vou citar varios pontos que tem me incomodado na minha jovem vida e não sei mais o que fazer sobre todas essas coisas,talvez essa sensação de estar perdido seja a "Maldição" do jovem,estou em busca de conselhos.
1°:Eu por um longo tempo não acreditei em Deus,quando entrei para o ensino médio conheci uma garota evangélica de uma igreja conhecida e muito influente na minha cidade,para facilitar o texto vou chamar ela de "L". L e eu começamos a namaorar no meio de 2017,com a condição de eu participar da igreja dela,eu aceitei,com o tempo me apaixonei pelo local e me tornei um crente praticante e de muita fé. 
A igreja que participo é uma igreja em célula,para aqueles que não conhecem é uma forma de evangelização onde há um "Líder" que é uma forma de tutor para os discípulos dele,nos reunímos uma vez por semana na casa do líder pra receber uma palavra na semana(mantenham isso em mente pois é importante). O tempo passou,cada vez mais a paixão tanto por ela como pela igreja foi crescendo,mas eu,em minha puberdade,viciado em pornografia e masturbação usei da minha lábia e de muitas mentiras pra que ela me enviasse fotos e vídeos nuas. Um dia eu entendi de meu Deus que eu deveria terminar esse namoro,fiquei deprimido na hora,contei ao meu "Líder" e ele disse pra que eu obedecesse,eu me sentia muito pressionado,por muito tempo eu fiquei desviando disso e não terminei,mas um dia fatídico chegou em que eu criei coragem e terminei. Ela sumiu da minha vida,mudou para a noite e fugiu da igreja que ela amava tanto,arranjou outro namorado,vendedor de drogas e bêbado famoso na cidade,brigou com a mãe e foi morar com o beleza,tranzou com ele(o que na minha crença é pecado antes do casamento,e ela tinha o sonho de perder a virgindade com alguém que passaria toda a vida com ela),descobri a poucos dias que ela engravidou e escondida da mãe tomou chá para abortar. Eu choro e fico deprimido por toda essa desgraça na vida dela,pois,sinto que é tudo culpa minha,se eu tivesse agido de uma forma diferente com ela nada disso teria acontecido,se eu não tivesse sido um tarado com a pobrezinha ela não teria que passar por toda essa desgraça,isso acabou me levando a uma tristeza profunda que não sai da minha mente.
2° Como foi citado no texto anterior sou um viciado em pornografia e masturbação,e isso é algo que não consigo me livrar,e esse vício piora ainda mais minha tristeza pois sinto que estou magoando meu Deus,que sempre me amou,mesmo quando não acreditava nele.
3° Não quero contar ao meu líder que me viciei em pornografia mais uma vez,e nem para meus amigos da igreja,e para eles eu fico com a máscara de "Santo" e "Bonzinho". Entre meus famíliares eu uso a máscara de quem gosta de ler e é um jovem prodígio quando na verdade eu leio apenas umas dez páginas de livro por dia e não vou bem na escola e nem nos vestibulares que participo,o que me deixa com medo do futuro que eu vou ter. Para meus amigos eu pago de "Fodão" o que pega todas e usa droga,toma cachaça pra caralho e usa narguile,quando na realidade não faço nada disso. E por causa dessas mentiras não sei mais quem sou eu,o que piora ainda mais minha situação.
Alguns adendos para os anjos que quiserem me ajudar: *Largar minha igreja está fora de cogitação. *Eu sou jovem,e escuto bastante o famso "Isso não é problema de verdade eu tenho que X e Y,e esse seu problema não é nada" se for pra dizer isso,nem diga. *Estou no último ano do ensino médio e minha ansiedade tem me devorado cada dia mais por causa do vestibular,qualquer dica é bem vinda.
submitted by KillDozerMaster to desabafos [link] [comments]


2019.01.08 20:26 apsribeiro Pai aos 23 com problemas familiares.

Olá a todos, não sou muito bom em escrever então tentarei ser breve.
A 2 anos atrás conheci uma menina. Na primeira vez que transamos ela engravidou, assumimos um namoro, o filho, e por algum motivo acreditamos que a gente realmente se amava.
Diferente da minha família que sempre me apoiou em tudo, a família dela quando soube da gravidez meio que me disse "assume seu b.o ou para de namorar minha filha" ou algo do tipo. O padrasto, um policial militar que sempre tratou ela mal, presenciei várias humilhações verbais durante algumas discussões dos dois. A mãe é submissa, parece gostar mais do marido do que da filha.
Com isso, tirei ela da casa dos pais e aluguei um apartamento pra morar com ela, foram meses intensos durante a gravidez, qualquer coisa era motivo de discussão, ela dizia que ia se matar e tudo mais. Durante 9 meses acreditei que o pscicologico dela estava abalado por conta da gestação, quando meu filho nasceu tivemos 1 semana de paz e depois as discussões voltaram ainda mais intensas.
Ficamos no apartamento 1 ano, nesse tempo muita coisa aconteceu, parei de falar com os pais dela por uma discussão seria que tive com eles. Os donos do apartamento pediram pra gente sair pq eles iam vender o imóvel, era contrato de gaveta. Normal.
Saímos do apartamento e por não encontrar outro imóvel equivalente pelo mesmo valor viemos morar com a minha mãe, na casa mora minha mãe, meu padrasto, minha irmã. A casa é grande, havia um quarto sobrando com espaço suficiente para eu, minha namorada e meu filho. No começo foi tranquilo, agora depois de 1 ano que moramos aqui a convivência piorou muito. Ela e minha mãe fingem que se dão bem, ela mal fala com o meu padrasto e tem uma amizade forte com a minha irmã.
Desde que moramos aqui a nossa relação piorou muito também, discutimos quase todo dia, não conseguimos sair direito pelo fato do bairro não ser bem servido de transporte público, não tenho carro, etc.
Eu também não sou a pessoa mais fácil de se conviver, alguns amigos dizem que estou depressivo. Me tornei uma pessoa que perde o controle facilmente. Todos ao meu redor dizem que sou muito ignorante e vivo de cara fechada. Na real eu estou bem descontente com a minha vida e um pouco desesperado, até suicídio já passou pela minha cabeça mas eu não teria coragem por imaginar o sofrimento dos meus pais e meu filho. Eu perdi meu emprego, tranquei a faculdade, me afastei dos meus amigos, parei de fazer coisas que eu gostava, me tornei sedentário. Tudo isso aconteceu de 2 anos pra cá, mas não digo que o motivo de tudo isso é a meu relacionamento ou muito menos meu filho.
Preciso tbm relatar que a minha namorada perdeu a confiança dela em mim. Aconteceu algumas vezes dela mexer no meu celular e ver que eu curti fotos de meninas, que instalei o Tinder no celular e etc. Nem eu sei direito pq fiz isso pq nunca passou pela minha cabeça trair ela.
Dito isso, hoje aconteceu uma coisa que me fez escrever toda essa porcaria. Eu tinha a senha do Instagram dela guardado, e resolvi mexer. Encontrei uma conversa dela com uma amiga e resumindo essa conversa, um cara com quem ela teve um rolo no passado falou com ela e ela respondeu. Ela falou pra amiga que se arrepende de não ter transado com ele, mas que estava com vontade e está aguardando ele chamar ela pra conversar de novo.
Talvez isso seja pq faz 1 mês e meio que não transamos, com tantas discussões no meu relacionamento e com tanta merda na minha vida, nem isso tenho vontade mais. Engordei tanto que me tornei totalmente diferente fisicamente de 2 anos atrás. Sinto vergonha do meu corpo.
Enfim, não sei se devo conversar sobre essa conversa que achei com ela, não faço ideia de como abordar.
Parece que estamos realmente perto do fim, e vcs devem estar perguntando pq não terminamos ainda, e o motivo é que eu não consigo imaginar ela voltando pra casa dos pais e meu filho convivendo com aquelas pessoas tóxicas. Claro que não iriam maltratar o meu filho, porém ele seria educado de uma forma totalmente diferente da que eu julgo correta. Isso me manteve nessa relação todo esse tempo.
Se ninguém leu até aqui tudo bem, pelo menos serviu de desabafo. Se alguém leu e quiser me dar um conselho, aceito com muita gratidão.
Obrigado a todos!
submitted by apsribeiro to desabafos [link] [comments]


2018.11.12 17:14 aureliano_babilonia_ Masculinidade tóxica é uma fábrica de homens infelizes e inseguros

Um casal de amigos meus está se separando após quase 10 anos juntos, contando namoro e casamento. Somos de um círculo de amigos bem fechados e bem próximos, todo mundo se conhece desde a adolescência. Então acaba ficando mais fácil a gente saber exatamente o que está se passando com cada um.
Combinei com uma amiga minha dela se aproximar e ficar mais atenta à mulher do relacionamento enquanto eu fazia minha parte com o homem. O básico mesmo. Escutar, chamar para sair, sondar para ver se tinha alguma esperança de retorno, estar presente para os momentos mais tensos.
Diante disso tudo, me deixa realmente triste como a masculinidade tóxica é imbecil e fode o homem sem que ele perceba. Nem vou entrar aqui no mérito do impacto deste mesmo comportamento na vida das mulheres, mais para o lado de como a insegurança quebra a pessoa justamente nos momentos em que ele mais preciso.
O lado dela: minha amiga é muito próxima da mulher separada nesse caso, então é o tipo de pessoa para quem ela faz as principais confissões. Na boa, ela está fazendo tudo que - pelo menos eu considero - é certo.
Não está saindo com ninguém. Está aproveitando esse momento inicial do divórcio para focar no trabalho e numa pós na qual se inscreveu para distrair a cabeça. Tá vestindo um luto emocional mesmo aos finais de semana, no máximo sai para correr ou visitar os pais, aproveitando para botar os livros e séries em dia. Está triste para caralho, mas está sóbria e dando um passo de casa vez. E cabe falar aqui: é muito bonita, podia estar aloprando agora se quisesse. Mas disse que quer ficar na dela um bom tempo antes de qualquer coisa, até para ter certeza da decisão sobre o divórcio.
O lado dele: é um cara meio em cima do muro politicamente, não é de esquerda e nem de direita. Mas foi criado numa casa bem conservadora, então é o tipo de cara que tem vergonha de andar de rosa ou de acharem que ele é gay porque ele não pegou determinada mulher.
Quase tudo que você pode entender como masculinidade tóxica ou machismo, ele tem. É um daqueles man-child que não sabe cozinhar, arrumar a casa ou manejar finanças. Ganha bem, mas não guarda dinheiro. Só conseguiu dar uma estruturada financeira na vida e fez alguns investimentos porque a esposa pentelhou.
Assim que terminou o casamento, começou a sair com garotas de programa de luxo. Trabalha em um segmento em que quase todo mundo do trabalho é full "tradicional família brasileira - versão fake". Ou seja, 'conservadores' que conhecem o mapa dos puteiros do Centro do Rio como a palma da mão (não estou dizendo que todo conservador é assim, até porque muita gente à esquerda tem o mesmo comportamento).
As recomendações dos caras são estapafúrdias. Tem até um adepto dessas técnicas de pick-up artist (PUA) que está aconselhando ele também. "Tenho que mostrar para ela quem é que manda e que estou bem". Saiu com uma menina no Tinder e fez questão de mandar a foto da menina para a ex-mulher, só para vocês entenderem o nível da falta de noção.
A gente corre junto algumas vezes por semana e as primeiras semanas pós-divórcio ele anda full influenciado pela galera do trabalho. "Não vou ficar sem foder, né?". "Na verdade, esse divórcio foi uma benção". "Vou aproveitar tudo o que eu queria agora". "Vou mostrar para ela que sou muito maior do que ela e do que tudo isso".
Agora o cara vive numa montanha-russa emocional absurda. Tentei dar uns conselhos. Pedi para ele esperar a poeira baixar antes de sair com alguém, que sair comendo qualquer uma não ia curar nenhuma ressaca emocional. Que esse papo de "não posso ficar um mês sem comer ninguém" é papo de retardado, a não ser que ele seja o Tiger Woods e realmente tenha probleminha na cabeça.
Quando eu soube por ele dessa história de mandar essa foto da menina com quem saiu uma vez para ela (primeiro a mulher contou para a nossa amiga, algumas semanas depois ele me confessou isso chorando), só expliquei que ele cada vez mais confirmava as reclamações dela. Que ele era inseguro, que ele era impulsivo, que ele era imaturo. Nas brigas, queria sempre tentar sair por cima para manter a moral. E tudo que ele andava fazendo era queimar pontes.
Não é a primeira vez que vejo um divórcio ou fim de um longo relacionamento acabar dessa forma. Geralmente é o homem tentando mostrar que é homem e negando que a tristeza existe. Aliás, além dessa masculinidade tóxica, outra coisa que as pessoas parecem cada vez mais se negar a aceitar é a própria tristeza. Repetir mantras de que você é feliz ou emanar good vibes não aplaca a solidão ou a depressão de ninguém, só reforça essa falsa sensação de que todo mundo ao seu redor está feliz - só você que não.
Entre mulheres, ainda vejo mais suporte. Ainda vejo mulheres que admitem estar tristes ou que se abrem com mais facilidade para amigas. Entre homens, muitas vezes rola aquela questão da 'fraqueza', de não expor, de ter que mostrar que você é forte. E aí a gente cria essa geração imatura que não sabe lidar com tristezas e frustrações em geral.
Enfim, só queria dividir esse desabafo e essa história. Não é a primeira vez que vejo homem agindo assim após relacionamento, e sei que não vai ser a última.
submitted by aureliano_babilonia_ to brasil [link] [comments]


2017.09.25 21:45 botafora01 Sinto que a minha vida já está traçada

Desde já peço desculpas pela muralha e pelo throw away
OK, desde o Ensino Médio eu sofria com algo que eu imagino 90% do Reddit sofreu: não conseguia pegar sequer resfriado. Era extremamente zoado pela sala toda por isso (meus amigos até hoje dizem que eu sou o único da turma que nenhuma mulher chegou), cheguei até a apanhar por isso. Só fui perder meu BV no meu ano de calouro na faculdade e a minha virgindade quando fui num bordel. Eu ficava triste com isso, mas também estava esperançoso: afinal, era um adolescente, estava entrando na faculdade, e todos sempre me louvavam por, segundo eles, eu ser muito inteligente. A menina que eu gostava na época, e que até hoje é uma amiga (e que eu passei a maior vergonha da minha vida, ao me declarar pelo fucking MSN), vivia brincando dizendo "O nerd de hoje é o cara rico de amanhã". Boas memórias.
Chegou 2013, e eu entrei na faculdade. Não fui maravilhosamente bem no ENEM, mas consegui uma bolsa integral em Administração em uma bela universidade. Escolhi Adm por pensar que o mercado estava bom e por ser noturna, o que me permitiria trabalhar. Nesse período, perdi meu BV e fiquei com outra menina uma vez, num espaço de 9 meses. Pra mim, isso era o ápice, eu era o deus da conquista, mesmo que meus novos amigos me zoassem de "pega ninguém" do mesmo jeito. Nessa época, eu baixei o Tinder e conheci o meu primeiro namorico, vamos chamar de Ana. Ana morava a 3h30 de viagem, então era praticamente um namoro à distância. Ficamos algumas vezes, 3 meses depois começamos a namorar e, depois disso, ela passou o mês seguinte dando desculpas para eu não ir lá. Chegou fevereiro, veio o carnaval, e ela disse que estava passando mal. Foi para o hospital e detectaram leucemia. Óbvio que eu pirei, queria ir pro hospital dela de todo jeito, mas ela nunca deixava, dizia que os pais me viriam, iria arrumar encrenca, ela iria ver um momento que estivesse sozinha. Se passaram 5 meses nesse tormento, hora ela dizia que estava boa, hora dizia que estava mal, quimio e afins, até que meus amigos de sala fizeram uma intervenção comigo, mostrando que não havia nada em rede social nenhuma dela a respeito de câncer, mostrando que ela estava postando normalmente sobre coisas cotidianas e que era a maior retardadice do mundo eu não ter ido nenhuma vez ver ela. Eu fiquei meio balançado, até porque meus pais concordavam com este ponto de vista, mas fiquei meio irregular com ela. Pouco mais de um mês depois disso, ela disse que tinha tido alta, tinha encontrado um ex, tinha ficado com ele e queria terminar. Não lamentei muito, até porque isso ocorreu em um espaço de uma semana, no máximo. Terminei e, desde então, ouvi dela duas vezes na vida. Passou.
Vale mencionar que, nesse meio tempo, a minha vida em casa havia melhorado demais: durante meu período de Ensino Médio, minha adolescência se resumia a passar finais de semana com minha mãe em bares, vendo ela entrar quase em coma alcoolico com as amigas e outros finais de semana na casa do meu pai, vendo ele ficar bêbado e chorar no meu ombro sobre ele ser um fracassado que não conseguiu sequer manter um casamento. Quando eu terminei, minha mãe já estava mais centrada (como está agora), saindo ocasionalmente e socialmente, e meu pai parou de beber após enfartar e voltou a ser o cara extremamente trabalhador que eu sempre admirei. No fim do meu primeiro ano de faculdade, eu passei a estagiar em um instituto federal. Ao mesmo tempo do término que eu disse acima, eu fui chamado para um concurso temporário, em outro órgão público, bem mais perto de casa.
Poucos meses após eu terminar com a Ana, entrou em cena a pessoa que eu, de fato, considero como a única que eu namorei. Vamos chamar ela aqui de Beatriz. Beatriz me chamou no Facebook, para brincar sobre uma postagem que eu havia feito (já havíamos tido pequeno contato ainda no colégio), e daí começamos a conversar. Dois meses depois, ficamos e, 5 meses depois, começamos a namorar. Ela perdeu a virgindade comigo e, na prática, eu também perdi com ela (transei com prostitutas umas 4 vezes antes. Fiz exames, por precaução, e não deram nenhum reagente). Eu aprendi demais a me aceitar com ela, nós tínhamos a mesma personalidade, ela era a primeira pessoa que não só não me julgava por meus interesses, como me incentivava a seguir eles. Não me cobrava nada, eu não cobrava nada dela, mas conversávamos de forma quase ininterrupta das 7 até meia noite. Com ela, no entanto, eu descobri algo que já havia visto antes nos bordeis: não sei o que me causa, mas com certeza eu tenho ejaculação precoce. Fui em um urologista, que me disse que era algo psicológico, que eu só precisava "me desligar". Tentei os exercícios que o próprio Reddit indica, mas nunca funcionava. Usei camisinha anestésica 2 vezes: uma vez foi uma maravilha, na outra estourou e eu traumatizei. Sempre me sentia extremamente culpado e furioso comigo mesmo após cada fim de penetração, mas o que atenuava era a presença dela, que sempre me dizia que não ligava, que eu conseguia deixar ela no céu somente com as preliminares, que não ligaria de passar por isso por não sei quanto tempo. Tudo que eu me julgava errado, ela me mostrava que não ligava. Eu me sentia num porto seguro com ela, e isso me impulsionava na faculdade: eu imaginava que iria me formar em um emprego na iniciativa privada, sem "data de validade" como meu emprego temporário, e que, 1 ou 2 anos após isso, estaria casado com ela. O único motivo de discussão que tínhamos era que ela tinha total ojeriza de tornar público: não podia postar nada com ela no Facebook, não podia atualizar status de relacionamento, não podia ir conhecer os pais dela, que "iriam proibir completamente". Mesmo os amigos eu só vi 2 vezes (uma outra vez eu não pude ir por motivos profissionais). Eu sempre entendi que isso era um receio dela, então, mesmo um pouco frustrado, eu aceitava. No que eu terminei minha monografia, estava preocupado com a questão do mercado, mas nada demais. Até que veio o dezembro, 1 ano e 4 meses após começarmos a ficar.
Eu estava na faculdade, pegando os convites de formatura, quando ela mandou o tradicional "precisamos conversar". Resolvemos por texto mesmo: ela disse que gostava de outra pessoa, e que se sentia culpada namorando comigo com interesse em outro. Aceitei, triste, e demos um tempo. 2 dias depois, um amigo me manda uma foto no perfil de um rapaz, que era o mesmo que ela gostava: ambos deitados, ela de top e ele sem camisa, e uma descrição bem...insinuante. Óbvio que eu pirei, liguei para ela, tivemos uma baita discussão, mas, depois disso, esfriou. Acabamos nos vendo, e ficando de novo. Ela terminou com o rapaz, mas ainda jurava de pés juntos que aquela foto era uma coincidência, que ela não havia me traído, que jamais faria isso, que era íntegra. E ficamos uns bons 3 meses indo e voltando até que, em abril, ela me mandou um testamento contando tudo: numa segunda, ela estava na casa de uma amiga, com este rapaz e o cara que a amiga estava pegando. A amiga e o peguete dela começaram a dar uns amassos no local e, segundo ela, ela não conseguiu "resistir" e montou no cara. Uma traição espetacular, que até hoje eu uso como humor auto depreciativo. Fiquei em choque por um tempo, mas, contra os conselhos de todos, perdoei ela e voltamos a namorar. Mas não era a mesma coisa. Ainda era maravilhoso por um aspecto, mas, por outro, ela estava insegura com o relacionamento (dizia que se sentia culpada por ter "estragado tudo por um impulso") e eu estava inseguro com tudo, precisava de validação dela pra tudo, principalmente no que tangia sexo. Eu já era inseguro sexualmente antes, agora era 3x mais, então eu basicamente a induzi a me contar toda a experiência sexual dela com ele, até eu me sentir menos perdedor. No entanto, eu estava começando a me recuperar em junho, estava me reencontrando, entendendo que estava apertando ela desnecessariamente (uma amiga teve essa conversa esclarecedora comigo). Então, tanto como solidificação como um pedido de desculpas, eu planejei uma viagem para nós, no dia que ficamos pela primeira vez, que cairia num sábado. Disse para ela os planos, ela ficou elétrica, empolgada, começou a me mandar links do local, brincar com meus planejamentos e afins...e, na semana seguinte, pediu para terminar. Disse que nunca esteve certa sobre nós termos voltado, que ela ainda me amava, que ainda sentia tesão comigo, mas que não se sentia pronta para um relacionamento sério, e "não queria me magoar". Aceitei, até mantive o contato, pq, nesse meio tempo, ela virou a minha melhor amiga. Mas o mesmo amigo da vez anterior me mandou um print de uma conversa dela com a irmã dele, dizendo que tinha terminado por estar afim de outro cara, e eu reconheci o sujeito: era um cara que ela falava horrores bem dele, "ah, fulano fez isso, fulano fez aquilo, me ajudou com x, um cara foda, faz não sei o que". Não sei se ela me traiu, mas tal conversa era de 1 dia e meio após termos terminado, e ela já havia ficado com tal cara. Não sei se ela me traiu de novo, mas a confrontei (não falei do meu amigo, obviamente, disse que a vi na rua) e ela manteve que não me traiu, mas que, dessa vez, poderia ficar com quem quisesse pq "fez a coisa certa". Eu disse que não conseguiria conversar com ela enquanto ainda tivesse sentimentos, ela disse que entendia, mas que queria saber de mim, que eu ainda era "o melhor amigo" dela.
Isso faz um mês e meio. Eu não consigo deixar de me sentir mal. Eu podia ter feito tanta coisa melhor, mas não fiz. Ela me traiu, possivelmente duas vezes, e tudo que eu consigo fazer é me culpar. Eu só não a chamei ainda pq imagino ela ficando com esse cara, que é melhor que eu em tudo: mais bonito, com uma barba farta de lenhador, com uma carreira já estabelecida, carro na garagem, mora sozinho e afins. O que me leva ao lado profissional: a sala da faculdade se reuniu para um churrasco há 3 semanas, estávamos conversando sobre empregos e eu concluí algo: apesar de que eu (e eu sei quão arrogante isso soa) ter feito que metade da sala ganhasse um diploma, eu sou o único dali sem um emprego minimamente fixo e tenho um salário que é o menor de todos, com vantagem. Todos falam que eu vou ganhar 3k, 4k logo, mas eu já cansei de tomar portadas de empresas. Gasto com passagem, gastei com um terno novo, gravata, e tudo que eu consegui foram muito obrigados, mas uma parcela da minha sala que literalmente não consegue entender que 50% e 0,5 são a mesma coisa (eu tive que ensinar manualmente regra de 3 simples e cálculo com números decimais quando estudamos Matemática Financeira) estão em empregos bons na iniciativa privada, comprando casas e carros. E, de todos ali, só uma me arrumou entrevista na empresa dela (que eu não consegui, principalmente por dita empresa estar num processo de fusão). Quatro conversam ocasionalmente, e o resto só entra em contato pedindo para que eu faça para eles provas de inglês de processos seletivos ou provas da faculdade (para os que ainda não se formaram).
Eu estou fazendo Contabilidade agora, vendo se consigo recomeçar, mas estou extremamente desiludido. Não sei o meu problema, mas o que eu imaginava quando entrei na faculdade não aconteceu. Eu sou um total fracassado no mercado de trabalho, e dificilmente vou conquistar algo além de pular de trabalho em trabalho de escritório, para tirar 2 salários e soltar rojão de alegria por não estar desempregado. Na verdade, eu já imaginava algo nessa linha desde o último semestre, mas, além da esperança mínima, eu carregava que iria ter uma família. Alguém me aceitava, alguém me amava. Hoje, eu vejo que nem isso. Nesse mês e meio pós-término, eu percebi como meu stock está horrorosamente baixo. Ouvi diretamente de uma estranha (no Tinder, vale dizer) como eu sou "feio, com cabelo estranho e roupas deprimentes". A maior parte dos meus amigos disse que eu vou achar alguém, mas só uma amiga me apresentou para alguém (Spoiler: eu quis levar pra amizade pq esta pessoa demonstrou 0 interesse romântico em mim, mas temos muitas afinidades de gostos. Não quero que alguém legal se perca só por não querer abrir as pernas pra mim em qualquer futuro).
Então, qual a conclusão? Para relacionamentos, eu sou a tempestade perfeita: meus gostos não são nada pop, meu estilo de roupa desagrada geral, minha voz é deprimente, eu sou lerdo, distraído, amo entrar em rants gigantes quando me empolgo (vide este texto) e, mesmo que alguma garota um dia resolva passar por isso tudo, o prêmio dela será ter de viver com sexo oral recheado por 30s de penetração, num dia bom. Nenhuma mulher no mundo quer se relacionar com um homem que precise fazê-la ter um orgasmo com masturbação pq não aguenta chegar a 1min de penetração. Ou seja, eu até posso tropeçar em alguma peguete (sim, essa é a palavra, tropeçar. Um incidente do acaso, como foi com a minha ex), mas nenhuma jamais chegará a ser de longo prazo. Dificilmente eu terei uma família. E, sem uma família, não há nada para contrabalancear o fato de que eu sou um fiasco profissional. O "menino gênio" do colégio, o "cara que vai ganhar 7000 daqui 3 anos" da faculdade nada mais era que uma pessoa com um par de neurônios no meio de um grupo de pessoas com bases educacionais mais fracas que a minha e, principalmente, sem interesse algum em estudar. Numa sala focada, eu teria de me esforçar para estar no meio do pelotão. Eu sou mediano intelectualmente e, profissionalmente, sou um lixo que não conseguiu fazer networking na faculdade e, hoje, irá ter de viver de escritório em escritório, sem nenhum breakthrough.
Minha vida parece estar desenhada para ser a definição de um fiasco, de um total e completo desperdício de oxigênio. Mas eu tenho uma missão: cuidar dos meus pais. Ambos dependem demais de mim psicologicamente, ambos me amam mais do que qualquer outra coisa. Sem a minha presença aqui, a vida dos dois colapsaria. Sinto que eu só vim ao mundo para ser o pilar da vida de ambos. Então, eu tenho que ir empurrando a minha vida enquanto ambos estão vivos, tentando ao máximo não embaraçar eles mais. Decidi que vou viver a vida no limite nesse meio tempo: finalmente comecei a fazer academia (minha postura sempre foi torta e, nos últimos 2 meses, eu ganhei peso. Quero eliminar essa pança antes que ela vire um problema), fui ao Maracanã mês passado ver a ida da Copa do Brasil (sou de MG), devo receber uma indenização boa quando sair daqui e estou planejando um mês de curso de inglês na Europa (meu inglês é bom, mas não é perfeito e isso sempre me incomodou horrores, sem falar que conhecer a Europa é O sonho que eu tenho de vida). Será o meu maior highlight, e a única loucura que eu me permiti fazer. Quando voltar, vou fazer o que gosto e, mais importante, vou cuidar dos meus pais, de tudo que eles precisarem de mim.
Não sei o que o futuro reserva pra mim, mas, pensando com lógica, eu devo chegar nos meus 35/40 anos quando ambos meus pais falecerem. Quando isso acontecer, serei um solteiro entrando na meia idade, possivelmente com pouca experiência sexual que não envolva garotas de programa, num emprego pouco satisfatório e sem nenhum amor que tenha sido recíproco e que não acabe na mulher se cansando de um cara patético e percebendo que praticamente qualquer coisa é melhor que eu. Será covardia, alguns sentirão tristeza, mas será temporário, todos irão superar, e haverá um pouco mais de oxigênio no mundo.
A minha mente ainda tenta, em alguns momentos, achar alguns cenários de ilusão, de que algum milagre irá acontecer, mas não irá. Eu sei que não. Profissionalmente eu fracassei. Academicamente eu fracassei. E, amorosamente, eu também fracassei. Vi que não basta achar alguém que aguente a minha personalidade, ela não irá suportar alguém que trata preliminares como Evento Principal, e eu irei morrer com esta condição.
Por mais paradoxal que seja, pensando assim eu estou aprendendo a abraçar o que eu gosto. Eu gosto de ler. Eu gosto de sair para comer e voltar para casa. Eu gosto de esportes. Eu gosto de escrever. Eu gosto de viajar. Não vou mudar o que eu gosto pelos outros, até porque será inútil, resolver um sintoma não cura a doença, e não há remédios o bastante para curar todos os sintomas dessa doença chamada eu. Fico feliz pelos meus pais existirem, pq, se não fosse por eles, eu teria sido um fiasco absoluto em vida. Fico feliz pelo meu último namoro, pq eu nunca me senti mais feliz do que numa tarde de sábado, quando ela disse "te amo" pouco antes de cochilar no meu peito. Eu fui feliz com o amor, e, por causa dela, eu aprendi que todo relacionamento que eu entrar, obrigatoriamente, terá um fim unilateral. Eu vou ser feliz com meus outros desejos, concluir meus hobbies, fazer o que eu gosto, e cuidar de quem me ama incondicionalmente, até o fim deles. Dali, serei eu que terei meu livramento.
Eu precisava contar isso pra alguém, mas não quero que tratem isso como um pedido de ajuda, pq não é. Meu real objetivo de vida sempre foi ter uma família minha, ter um filho em uma casa estruturada e passar meu conhecimento adiante. Eu já sei que, por questões psicológicas e físicas, isso jamais acontecerá. Quando meus pais se forem, eu literalmente não terei mais o que fazer aqui e, se tudo der certo, eu terei realizado ao menos uma parcela boa dos meus outros sonhos. Eu estou tranquilo quanto a isso. Talvez ainda sinta, de novo, a dor de ver alguém me trocando por outra pessoa melhor, mas agora eu sei que isso acontecerá. Doerá menos, eu espero. E, se nem isso eu conseguir, bem...dois salários por mês dá para pagar por sexo.
De novo, desculpem pelo texto gigante.
tl;dr: Todos confiavam em mim, todos achavam que meu futuro seria brilhante. Meu futuro será medíocre, patético e, ao menos, tem uma data para acabar
submitted by botafora01 to desabafos [link] [comments]